Bahia

Bahia

29/1/2014 às 10h55

"É muita irresponsabilidade do gestor", diz conselheiro do Cremeb após prisão de falsa médica

Estelionatária Daniele Cotrim Guimarães, de 33 anos, foi presa nesta segunda-feira (27)

Do R7 com Record Bahia

Daniela Cotrim realizava plantões em Candeias e Salvador Divulgação

Um dos conselheiros do Cremeb (Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia), Otávio Marambaia dos Santos, crticou a falta de cuidados dos gestores em selecionar os profissionais que vão atuar na área de saúde, após uma mulher ser presa com uma carteira de médica falsa. O conselheiro chamou atenção para a postura dos gestores e afirmou que um pouco mais de cuidado poderia evitar mais golpes, pois a carteira emitida pelo Conselho de Medicina tem chip e é muito difícil de ser falsificada.

— O que eu vi na reportagem é uma imagem dessa carteira plastificada. É muita irresponsabilidade do gestor contratar uma pessoa para um serviço tão importante quanto o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e não exigir os documentos adequados.

Ainda segundo o médico, o conselho já orientou os gestores públicos do interior sobre como tentar combater esse tipo de fraude. Mas, o conselheiro afirma que os gestores não se interessam pelas informações passadas pelo Cremeb.

— Eles não têm responsabilidade com a saúde pública, com a saúde da população.

Marambaia alerta que os pacientes da falsa médica enfrentaram muitos riscos, pois o nível de qualificação dos médicos do Samu é muito alto, por causa dos serviços de emergência.

A estelionatária Daniele Cotrim Guimarães, de 33 anos, foi presa nesta segunda-feira (27) após apresentar uma carteira de médica falsa na 6ª Delegacia Territorial (DT-de Brotas), em Salvador. A acusada utilizava a carteira do Cremeb  de outra médica.
 
Daniele realizava plantões em Salvador e Candeias, região metropolitana, e quando não sabia executar algum procedimento clínico dizia que estava passando mal. A estelionatária já inventou que um paciente estava a assediando sexualmente para não realizar uma sutura.

A estelionatária já havia trabalhado no Samu de Candeias se passando por especialista em clínica e cirurgia geral. Com a mulher foram apreendidas receitas da Secretaria Municipal de Saúde de Candeias, além de solicitações de exames e um uniforme do Samu. A falsa médica costumava cobrir plantões de profissionais que estavam folgando.



  

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe

Shopping

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!