Viúva luta para conseguir atestado de óbito do marido

A família procurou por Francisco Cardoso de Barros por oito meses até descobrir que ele já havia sido enterrado como indigente no cemitério de Perus, em São Paulo. O corpo do homem havia sido encontrado no Rio Pinheiros em agosto de 2014. Três anos já se passaram e a mãe e a filha de Francisco ainda não têm um atestado de óbito. Sem o documento, elas não conseguem nem encerrar a conta bancária dele. Sobram cobranças de dívidas e a viúva tampouco consegue ter acesso à pensão que teria direito.

  • Espalhe por aí:

Últimos vídeos

Todos os vídeos
Video_box_small.ico
Video_box_small.ico
Video_box_small.ico
Video_box_small.ico
Video_box_small.ico

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!
Access log
Access log