13
dez
21h55

Sei que estou muito desaparecida, tenho escrito pouco e não estou feliz com isso. Minha cabeça está ocupada com muitas outras coisas.

Amanhã viajo por 6 dias, para a Machané da Chazit, o acampamento do trabalho voluntário que realizo aos sábados. Estou há bastante tempo preparando todas as atividades que, acreditem, são muitas. Depois de acabar o semestre faculdade, fiquei um pouco mais aliviada, mas ainda assim, foram muito compromissos e afazeres. Sem reclamar, só contando, afinal, é trabalho VOLUNTÁRIO, eu escolhi fazer parte.

Além disso, estou em um daqueles momentos em que preciso me isolar da realidade. Que, hoje, me parece mais triste que nunca. A cada dia que passo e leio mais, me surpreendo com o que vivemos no Brasil. Todos os assuntos, desde a paixão nacional, o futebol, até o tema do qual tanto fugimos, a política (assuntos que parecem estar longe, mas não estão), estão me fazendo querer sumir do Brasil o mais rápido possível. Sarney assumindo a presidência de novo, por 4 dias. Time argentino não saindo do vestiário para o segundo tempo e alegando ter sido agredido pelos seguranças do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, do São Paulo Futebol Clube. Operação Calouro vende "vagas" em universidades por R$ 80 mil. São apenas exemplos, têm muito mais coisas acontecendo, infelizmente.

Dizem por ai que quem é ignorante, é mais feliz. Em partes, devo concodar. Quem não se importa com isso, quem nem se importa em ler o que acontece no mundo, deve ser mais feliz mesmo, mas não gostaria de viver em um mundo de mentiras. Ser alienado não me parece uma enorme vantagem.

Volto dia 20, e dou sinal de vida assim que chegar em casa. Feliz semana a todos. Vou fugir um pouco, e voltar a acreditar na educação e no futuro desse país. Por mais que pareça impossível, tenho mania de acreditar em mudanças, e acho que enquanto eu viver, minha esperança vive junto.

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com