Publicado em 06/01/2010 às 10:39

Londres Chama

joe strummer the future is unwritten Londres Chama

O disco mais clássico da banda mais completa da história do rock faz trinta anos. Mas isso não diz o que eu quero dizer.

London Calling, do Clash. Não ouviu? Para tudo e vai ouvir. Compra, baixa, rouba. Os sobreviventes da banda estão ricos e perdoam, ou se não, não têm como protestar.

O Clash era fogo na roupa. Quando ouvi London Calling, a música, pela primeira vez, fiquei maluquinho da silva. O engraçado é que não ouvi, vi. Foi no programa Som Pop, da TV Cultura, o único lugar que passava clipes no Brasil em 1980.

Os caras de preto, tocando na barca que atravessa o Tâmisa, tomando chuva na cara. Estou arrepiado até hoje.

Para ter uma ideia de como o mundo mudou: durante muito tempo, a única música do Clash que eu conhecia era London Calling. O disco, ninguém tinha em Piracicaba e não tinha para vender. Eu só fui ter meu primeiro disco do Clash em 1981, segundo colegial, Sandinista. Álbum triplo, PQP.

Tinha rock e reggae e jazz e dub e umas variações muito loucas sobre as mesmas canções. Police On My Back, Somebody Got Murdered, The Call Up, Charlie Don't Surf, Career Opportunities... cacete.

No ano seguinte, mais um disco e ainda nada do London Calling na minha vida: Combat Rock. Tenho até hoje a resenha de Pepe Escobar, amarelada, em frangalhos, que recortei da Folha de S. Paulo. É o meu disco favorito do Clash e conheço cada barulhinho de cor e salteado. É o famoso disco que eu matava aula para ouvir.

Tudo aos contrários, só fui comprar meu vinil do London Calling em 1983, já morando em São Paulo, acho que na Hi-Fi da rua Augusta. Se não me engano, comprei Rio do Duran Duran, Black And White dos Stranglers e o primeiro dos Specials tudo junto, tipo aniversário. Eu era eclético e não sabia.

Perto dos que eu tinha ouvido, London Calling era bem simples, direto e reto. Mas é uma música melhor que a outra, e principal, elas funcionam melhor ouvidas uma na sequência da outra. Como o Combat Rock, não tem sentido ouvir uma faixa isolada. Tem que ouvir todas na ordem correta. Se der para virar de lado a para b, melhor ainda.

O Clash nunca fez uma tour de reunião. Felizmente. Eu sabia que isso nunca ia acontecer. Foi porque o Joe Strummer deu o contra. E agora ele morreu e isso nunca vai acontecer. Eu prefiro meus heróis nas páginas dos gibis e sei que a história não é feita por grandes homens, mas tenho orgulho de pisar no planeta onde Joe Strummer viveu.

Sabe, eu tinha planejado escrever algo bem babão e piegas sobre o London Calling. Mas fui fazer uma busca hoje e desisti e resolvi fazer essa sessão nostalgia. Foi porque trombei com o texto clássico do Alexandre Matias sobre o disco, que ele acaba de republicar no seu blog. Contra talento não há argumento: vá já ler o texto do Matias aqui.

O Clash é a banda que me fez pensar grande, ser valente, cortar o cabelo, não entrar em igrejinha, detestar bicho-grilo, largar Piracicaba, ir pra vida de peito aberto, com medo e com um tesão louco.

É a banda da minha geração, a banda que nos gerou, minha turma, meus irmãos. Quando a vida está cinza e a rotina anestesia, Londres me chama, me incendeia - acende o fogo nas minhas veias.

Veja mais:

+ London Calling completa 30 anos com raro vigor

+ Matadores

+ Todos os blogueiros do R7

Ir para o Topo