Publicado em 13/01/2010 às 12:26

Quem coloca a mão em mim para me governar é um usurpador e tirano, e eu o declaro meu inimigo

O título acima é a declaração de guerra de Pierre-Joseph Proudhon, nascido há exatamente 201 anos e tão atual como nunca.

Proudhon foi o primeiro homem a ser chamado de anarquista e o primeiro a dizer A Propriedade é um Roubo, título de seu livro mais famoso.

Proudhon Quem coloca a mão em mim para me governar é um usurpador e tirano, e eu o declaro meu inimigo

Nasceu pobre. Autodidata, aprendeu Latin, Grego, Hebreu. Era gráfico, jornalista, millitante. Foi amigo e inimigo de Karl Marx. Acertou muitas, errou várias.

Acreditava em autogestão, organização descentralizada, apoio mútuo. Queria fazer a revolução sem violência. É um herói. Outros o seguiriam: Bakunin, Malatesta.

Eu costumava sacanear meus colegas comunistas no colegial dizendo, “sabe como o Proudhon chamava a turma do Marx? Ala autoritária do comunismo.”

Manja aquele símbolo do A dentro de um círculo? É por causa de uma frase de Proudhon, “Anarquia é Ordem”. Sem ele, o mundo seria muito, muito diferente.

Esses dias, uma moça perguntou se eu tinha sido militante político na juventude e tal. Quem me conhece melhor que ninguém resumiu, “o André é anarquista”.

Com vocês, Proudhon:

“O que é o governo?

Ser governado é ser vigiado, inspecionado, espionado, dirigido, legislado, numerado, regulado, alistado, indoutrinado, pregado, controlado, checado, anotado, censurado e comandado por criaturas que não possuem nem o direito, nem a sabedoria, nem a virtude para fazer tudo isso.

Ser governado é, em cada momento, em cada transação anotado, registrado, contado, taxado, carimbado, medido, numerado, dimensionado, licenciado, autorizado, admoestado, impedido, proibido, reformado, corrigido, punido.

É, sob o pretexto da utilidade pública, e em nome do interesse público, ser colocado sob pressão, mandado, roubado, explorado, monopolizado, extorquido, enganado, apertado, assaltado; e ao menor sinal de resistência, na primeira palavra de reclamação, ser reprimido, multado, vilificado, incomodado, caçado, abusado, espancado, desarmado, amarrado, estrangulado, aprisionado, julgado, condenado, fuzilado, deportado, sacrificado, vendido, traído.

E para coroar tudo, humilhado, ridicularizado, espicaçado, ultrajado, desonrado. Isto é o governo. Isto é a justiça. Isto é a moralidade”.

anarquia Quem coloca a mão em mim para me governar é um usurpador e tirano, e eu o declaro meu inimigo

Veja mais:

+ Erasmo Dias: Sem perdão

+ O brasileiro é um povo com os pés no chão e as mãos também

+ Todos os blogueiros do R7

Ir para o Topo