Ao sentar-se na cadeira de presidente da mais alta corte de justiça do país nesta sexta feira, o ministro Cezar Peluso vai herdar um pacote de questões polêmicas, todas de alto potencial explosivo. Quem conhece o desempenho do ministro, tido como dos mais ortodoxos e exaltados dos onze integrantes do Supremo Tribunal Federal, garante que ele “é o cara” para enfrentar estes temas.

Avesso ao contato com a imprensa e conservador nas decisões e atitudes, Peluso deve imprimir novo estilo ao STF, principalmente ao conduzir o julgamento de questões como:

- o pedido de intervenção no Distrito Federal;

- a revisão da Lei de Anistia, que abre a possibilidade de punir agentes do Estado que tenham praticado tortura durante o regime militar;

- a constitucionalidade das cotas raciais nas seleções para vagas em universidades;

- a validação jurídica da relação homossexual.

Isso, só para começar. É munição suficiente para tocar fogo na opinião pública.

Boa sorte, ministro Peluso.