A Comissão de Trabalho da Câmara dos deputados aprovou há pouco o projeto proposto pelo Supremo Tribunal Federal que re-estrutura as carreiras dos servidores do Judiciário. Estima-se que mais este ato de bondade pré-eleitoral vá custar cerca de R$ 7 bi aos cofres públicos por ano. Recentemente, a área econômica do governo recomendou a Lula o veto ao reajuste para aposentadorias acima de um mínimo, cujo custo será de R$1,6 bi. O presidente sancionou a medida sem vetos.

O projeto recém-aprovado pela Comissão de Trabalho também beneficia aposentados e pensionistas e segue agora para a Comissão de Finanças. Como Senado e Câmara aprovaram recentemente reajuste para seus servidores, é provável que o Judiciário também seja contemplado com a aprovação da medida pelo Congresso.

Pelo texto, a remuneração inicial do analista judiciário, somadas as gratificações, passará dos atuais R$6 mil, para cerca de R$10 mil. O mesmo servidor, mantido nesta função, pode chegar ao final da carreira recebendo R$16 mil. De quebra, os deputados ainda eliminaram qualquer possível teto para novos aumentos. Decretaram que o céu é o limite ao aprovarem emenda que impede que este teto seja de 75% do valor do salário do juiz federal substituto.

(Com informações de TACIANA COLLET, TV Record)

+ Veja as principais notícias do dia