A candidata petista à presidência, Dilma Rousseff, reagiu nesta quarta às acusações de tucanos que vinculam seu comitê de campanha aos sucessivos vazamentos do sigilo fiscal de pessoas ligadas a seu adversário, José Serra, e cobrou o resultado da apuração do episódio antes das eleições. “A maior interessada nesta apuração sou eu, porque estou sendo acusada de forma leviana”, declarou Dilma.

A petista também protestou contra as acusações feitas contra ela e sua campanha pela cúpula do PSDB e pelo candidato José Serra: “quero de forma enfática repudiar esta prática de levantar acusações sem provas. Usar a calúnia não é prova de respeito”.

Para Dilma, não há elementos para relacionar os vazamentos a seu comitê de campanha: “Ele [Serra] pode ficar indignado com o fato. Eu até entendo. Mas deduzir que a responsabilidade é da minha campanha? [Isso] ele tem de provar.”

Ao contrário dos planos da Receita, a candidata cobrou que o resultado das apurações seja providenciado para antes do 3 de outubro. “Se tem balcão de compra e venda [de informações fiscais sigilosas], tem de ser apurado antes da eleição” , afirma Dilma.

Veja mais:

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7