Enviado por Priscilla Mendes, repórter especial deste blog

Mesmo depois de o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ter advertido formalmente a coligação de José Serra, “O Brasil pode mais”, os spots na TV que fazem críticas duras a Dilma Rousseff (PT) continuam sem identificação clara da autoria tucana.

A campanha de Serra tem apostado em breves inserções de 15 segundos para atacar a petista, mas um espectador desavisado não tem a chance de saber que é a coligação tucana a autora da peça. Na semana passada, a mensagem alertava para a volta do “time de Dilma”, dizendo que o Brasil “não merece” o retorno de José Sarney, Renan Calheiros e José Dirceu à política.

No domingo (5), o ministro do TSE, Henrique Neves - atendendo à representação do PT contra a propaganda – advertiu a coligação a se identificar, nas futuras propagandas, de “forma clara e legível”. No entanto, os marqueteiros de Serra ignoraram o puxão de orelhas e emplacaram mais dois vídeos semelhantes. O primeiro mostra José Dirceu: “Se a Dilma ganhar, ele será o homem forte do governo mais uma vez. O Brasil não merece essa turma”.

O segundo faz referência à manchete da Folha de S. Paulo de domingo (5), que acusa a petista de ter causado prejuízo de R$ 1 bilhão quando era ministra de Minas e Energia e repassado o ônus aos consumidores. O spot de Serra diz: “A Dilma falhou, mas quem paga a conta é você. Com Dilma, quem perde é o Brasil”.

O TSE aguarda nova representação contra a propaganda para decidir qual será a próxima sanção à coligação. Não deve demorar para o PT reclamar novamente.

Veja mais:

+ Acompanhe as notícias de Brasil
+ Veja os destaques do dia no R7
+ Conheça todos os blogs do R7