A candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, planeja sair de cena por até dez dias após a eleição, “seja qual for o resultado” das urnas – segundo integrante do QG da campanha. O destino praticamente certo de Dilma será o Rio Grande do Sul, onde pretende, além de descansar da maratona de quatro meses de campanha, ficar ao lado do neto, Gabriel, nascido em 9 de setembro, e da filha, Paula.

O embarque de Dilma para a temporada de descanso deve ocorrer na quarta ou na quinta, em caso de vitória. Os primeiros dias como eventual presidente eleita serão dedicados a compromissos políticos com o PT e aliados, além de um comunicado público via imprensa. Em caso de derrota, a decolagem será antecipada para o início da semana.

No comitê de campanha, poucos acreditam que a candidata, se vitoriosa, conseguirá manter a pausa para descanso por dez dias e acham que dificilmente resistirá à pressão por iniciar logo os trabalhos da transição. O espaço físico para isso está praticamente pronto, já que foi mantida no Centro Cultural Banco do Brasil a maior parte da estrutura utilizada por Lula quando o local funcionou como sede provisória do governo por causa da reforma do Palácio do Planalto.

O candidato a vice, Michel Temer, por sua vez, não prevê nenhuma pausa nas atividades políticas após a eleição de domingo. Temer deve reassumir imediatamente os trabalhos da Presidência da Câmara – cargo em que permanece até dezembro, mudando-se para o Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência, em janeiro, em caso de vitória no domingo, ou retornando a São Paulo, sem mandato, em caso de derrota.

Veja mais:

+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7