pedromoreirasallesniltonfukudaae Investidores estrangeiros estão otimistas com o Brasil

Pedro Moreira Salles fala sobre tolerância aos erros e acertos (Foto: Nilton Fukuda/AE)

 

O Centro de Empreendedorismo Cubo completou na última quinta (14) dois anos com um encontro que contou com a presença de convidados ilustres do Brasil e exterior. Investidores, economistas e jornalistas participaram de palestras e debates. O Cubo é um hub de empreendedorismo, um ecossistema que conecta startups, investidores e empresas, uma inciativa do Itaú e do fundo Redpoint. Eventures.

O Economia em 5 Minutos acompanhou os painéis do evento e destaca que investidores, principalmente estrangeiros, estão otimistas com relação aos rumos econômicos do Brasil, mesmo com a crise política.

Em um painel os norte-americanos Alan Patricof e Mathias Schilling enxergam grandes oportunidades e pretendem continuar investindo no país nos próximos anos. Ambos elogiaram a atmosfera contagiante dos empreendedores brasileiros e afirmaram que o Brasil está desenvolvendo ecossistemas interessantes e promissores. Esses investidores estão de olho em setores como fintechs, cyber segurança, educação e robótica.

Um dos pioneiros do capital de risco no mundo, Patricof está à frente do fundo Apax Partners e Greycroft. A Apax foi fundada em 1969 e no seu portfólio de investimentos, tem uma receita anual superior a US$ 29 bilhões. Schilling é diretor da Redpoint Eventures, um fundo de capital de risco focado em negócios de internet. A Redpoint tem entre os seus sócios o brasileiro Romero Rodrigues, ex-Buscapé - um dos maiores cases de sucesso da internet brasileira.

Patricof ainda deu uma série de conselhos a empreendedores e investidores: “Nunca diga o que um empreendedor deve e como fazer, dê apoio e se você está investindo nele, confie em seu trabalho”. Também afirmou que não existe uma receita de bolo para ser um empreendedor ou investidor de sucesso, mas o ponto em comum é a vontade de impactar positivamente a sociedade, ter um propósito claro.

Schilling, por sua vez, orientou sua plateia a pensar grande, não se limitar em seus projetos. “A maior revolução desde a internet é o avanço da tecnologia do blockchain (sistema de segurança de registro de informações de forma descentralizada) que vai proporcionar muitas transformações no mundo”.

Conselhos não faltaram. O reservado e discreto Pedro Moreira Salles, Presidente do Conselho de Administração Itaú Unibanco, direcionou sua fala à tolerância. “O Brasil precisa mudar sua mentalidade que condena o erro e o fracasso. Precisamos também alterar a legislação que penaliza demais o erro do empreendedor, errar no Brasil custa muito caro. Para um ambiente empreendedor saudável precisamos ter incentivos a tentativa e erro, testes, mudanças. O modelo que permitiu as empresas crescerem no passado não se sustenta mais. Hoje elas precisam se adaptar e ter equipes com grandes líderes que saibam combinar talentos de diversas áreas, que tenham agilidade e não temam o erro, se proponham a testar”.

Moreira Salles destacou que o Brasil precisa de mais ecossistemas de empreendedorismo como o Cubo, é preciso criar as condições para que o espirito empreendedor do brasileiro possa se desenvolver no ambiente adequado.