MercadoMunicipadeCuritibaJAELSON LUCAS SMCS 1024x682 Como ficam a inflação e o salário diante de tantos aumentos

Alimentos não pressionam a inflação (Foto: Jaelson Lucas/SMCS)

Nas últimas semanas tem sido comum reajustes na gasolina, no gás de cozinha, na conta de luz, mas por que a inflação oficial, o IPCA, continua baixa? E os salários estão perdendo ou não poder de compra?

O Economia em 5 Minutos explica.

A inflação oficial depois de atingir o patamar de 2 dígitos em 2015 sofreu forte queda, pressionada pela brutal recessão econômica que deixou o país muito abaixo da sua capacidade de produção, com elevado desemprego e, portanto, sem pressões inflacionárias, mas a um custo social altíssimo. No ano, a inflação oficial está acumulada em 1,78% e no acumulado de 12 meses em 2,54%, mas a partir do meio deste ano o índice sofreu uma pequena aceleração.

Evolução IPCA1 Como ficam a inflação e o salário diante de tantos aumentos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O aumento da inflação se deu pela pressão dos chamados preços administrados (monitorados), aqueles estabelecidos por contrato, por órgão público ou agência reguladora e, geralmente, são menos sensíveis às condições de mercado como plano de saúde, gasolina, energia elétrica, gás, etc.

Durante muitos anos estes preços foram represados para segurar a inflação, mas a partir de 2015 foram finalmente liberados, sendo um dos responsáveis pelo choque inflacionário que levou a inflação oficial para o patamar de 2 dígitos. Nos últimos meses estes preços têm pressionado novamente a inflação oficial. Como comparação: o IPCA acumulado em 12 meses está em 2,54%, os preços administrados (monitorados) apresentam quase o triplo, em 6,12%.

Preços Monitorados Como ficam a inflação e o salário diante de tantos aumentos

 

O peso dos preços monitorados no IPCA total é de 24,5%, se sobem 10% vão contribuir em 2,45 pontos para a inflação. O IPCA seria de 2,45%, caso os demais preços livres não tivessem qualquer variação. A tabela abaixo demonstra o peso de cada preço com destaque para plano de saúde com 3,8%, Gasolina 3,7% e energia elétrica 3,5%.

Composição Preços Administrados Como ficam a inflação e o salário diante de tantos aumentos

 

Mas, a inflação oficial global mesmo com o aumento dos preços administrados segue comportada, graças a queda forte dos preços livres, com destaque para os itens de alimentação no domicílio que estão com deflação.

 

Preços Livres Como ficam a inflação e o salário diante de tantos aumentos

Os salários estão ou não perdendo poder de compra?

Por muitos meses com o aumento do desemprego e inflação o poder de compra dos salários sofreu uma forte queda, começando a se recuperar apenas no primeiro trimestre de 2017, quando finalmente voltaram a ganhar gradualmente poder de compra, o chamado aumento do rendimento real. Este avanço é gradual, mas tende a melhorar com a queda do desemprego e aceleração da atividade econômica em 2018.