MercadoMunicipadeCuritibaJAELSON LUCAS SMCS1 1024x682 Varejo mostra que finalmente país retoma consumo de itens básicos

Brasileiro volta a comprar itens básicos como comida (Foto: Jaelson Lucas/SMCS)

De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o comércio varejista no país teve um crescimento nas vendas de 0,5% frente a agosto e 6,4% em relação ao mesmo período do ano passado, o melhor resultado desde abril de 2014. No ano, a alta acumulada é de 1,3%, porém o acumulado em 12 meses ainda permanece no território negativo em -0,6%.

Mas, qual a importância deste dado no meu dia a dia?

Em primeiro lugar precisamos explicar que varejo é o termo utilizado para as empresas de comércio que vendem produtos diretamente aos consumidores finais, portanto é um ótimo termômetro para sabermos como anda o poder de consumo das famílias. Além disso, o setor de varejo gera uma grande quantidade de postos de trabalho e contribui de forma significativa para a arrecadação de impostos.

Os principais participantes do varejo brasileiro são supermercados, farmácias, lojas de vestuários, lojas de veículos, lojas de materiais de construção, lojas de móveis e decoração, postos de gasolina, lojas de eletroeletrônicos e livrarias.

O que dizem os últimos dados divulgados?

Eles reforçam a retomada gradual da economia, com o início de uma melhora no mercado de trabalho e crescimento da renda. No mês de setembro o setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo avançou 6,0% frente a setembro de 2016, taxa mais elevada desde abril de 2014 e exerceu o maior impacto positivo na formação da taxa global. Outros destaques positivos foram o setor de móveis e eletrodomésticos e vestuário e calçados.

PMC SET Not Varejo mostra que finalmente país retoma consumo de itens básicos

Os efeitos da pior recessão das últimas décadas ainda estão presentes, mas o processo de normalização já está em curso, os dados do varejo comprovam isso, quando finalmente as pessoas retomam gradualmente o consumo de itens básicos, como alimentos, eletrodomésticos e vestuário, itens de primeira necessidade. Os dados do varejo demonstram o retorno ao padrão mínimo de consumo, mas ainda distante da média dos últimos anos.