money marcos santos USP 1024x682 Queda na Taxa Selic permitiu economia equivalente de 2 anos de Bolsa Família

Redução da taxa de juros beneficia o país (Foto: Marcos Santos/USP/Fotos Públicas)

O mercado manteve a expectativa de corte de 0.5 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic para o patamar de 7% a.a., o mais baixo dos últimos 60 anos. A mudança deve ocorrer nesta quarta-feira (6) após a reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central que entre setembro de 2016 a outubro de 2017 já reduziu a taxa de 14,25% para 7,50% ao ano.

As sucessivas reduções da taxa de juros contribuíram para estimular o consumo, investimentos e também ajudaram nas contas públicas. Além do crescimento das receitas, pela retomada econômica, com empresas aumentando seu faturamento e recolhendo mais impostos, a queda na taxa Selic permitiu uma economia no pagamento de juros da dívida pública.

A IFI (Instituição Fiscal Independente) do Senado estimou que de outubro do ano passado até setembro deste ano, a queda na taxa Selic permitiu uma economia no pagamento de juros de R$ 51,9 bilhões, valor equivalente a quase 2 anos do orçamento do programa Bolsa Família! E com a nova queda desta quarta, o montante economizado crescerá ainda mais.

A variável taxa de juros tem extrema importância na dinâmica da economia, impactando decisões de consumo, investimento, a arrecadação de tributos, taxa de câmbio e a dívida pública. Mas, para que o país tenha uma taxa básica de juros ainda menor é preciso resolver dois grandes problemas: o custo Brasil e o desequilíbrio das contas públicas.

Custo Brasil

O ambiente ruim de negócios impede o crescimento da capacidade de produção do país, tornando a economia vulnerável a pressões inflacionárias, sempre que a demanda cresce.

Desequilíbrio das Contas Públicas

Os sucessivos déficits aumentam a dívida pública e pressionam as taxas de juros, já que os credores da dívida passam a exigir uma remuneração cada vez maior, diante do aumento do risco (incerteza quanto à capacidade de pagamento futuro dos juros).

Em resumo, basta o Governo não atrapalhar o empreendedorismo e ter respeito ao dinheiro público.