estrias Estria é vilã das mulheres na gravidez. Veja dicas simples e evite as marcasAinda não sou mãe. Mas sei pelas minhas amigas que os nove meses são marcados por transformações no corpo. Há necessidade de se adaptar a mudanças psicológicas e também físicas, já que o organismo feminino vai gerar uma nova vida.

Com as transformações, as mulheres sofrem consequências indesejadas e, muitas vezes, permanentes, como flacidez e as terríveis estrias. Por isso, é importante dar atenção (DOBRADA) à pele.

De acordo com o ginecologista e obstetra, Eliano Pellini, professor da Faculdade de Medicina do ABC. “ O estrogênio e a progesterona, por exemplo, têm sua concentração aumentada dezena de vezes no organismo, deixando a pele mais propensa a mudanças”. Por isso, a mulher precisa investir muito em prevenção, com atividades físicas leves, alimentação balanceada e, claro, muita hidratação.

Estrias – a pior de todas

Uma das maiores vilãs e preocupações das grávidas, as estrias aparecem em 90% das mulheres durante a gestação, quando o útero da mulher chegar a quatro vezes mais que o tamanho normal.

A dermatologista Marisa Gonzaga da Cunha, professora do curso de pós-graduação da Faculdade de Medicina do ABC, explica que as marcas ocorrem com o estiramento da pele, que rompe as fibras de colágeno. E que, apesar de serem mais comum na área da barriga, podem aparecer também nos culotes, seios e parte interna das coxas.

Para evitar, é preciso hidratar as regiões críticas, com loções específicas para gestantes, além de beber muita água e ganhar peso gradualmente (esse é um dos segredos). “ O ideal é a gestante engordar 350 g por semana, não só para proteger a pele, mas também para garantir a própria saúde e a do bebê”, afirma Pellini. Claro que também a mulher deve praticar atividade física para fortalecer a fragilidade muscular.

É possível tratar, mas segundo Marisa, é necessário começar "o mais rápido possível – uma semana após o parto. “O fato de não ter estrias até o dia do parto não significa que não possa ter depois. Os cuidados no pós-parto devem continuar”.

Entre os tratamentos estão o microagulhamento, radiofrequência, tratamentos cirúrgicos etc. Procure o especialista e discuta com ele qual a melhor alternativa.