sexo casal Quer engravidar? Saiba qual o momento certo do mês para fazer sexo e aumente suas chancesTodo mês o organismo da mulher passa por várias mudanças físicas, hormonais e até emocionais. Quer entender melhor seu ciclo menstrual e até saber qual o melhor momento para engravidar, a ginecologista Maria Elisa Noriler preparou um roteirinho.

Veja a seguir:

Fase folicular:  período após a menstruação em que a mulher se sente mais disposta por causa do aumento dos níveis de estrogênio. O corpo se prepara para a gravidez com o espessamento da camada interna do útero para receber o óvulo fecundado. Nesta fase, vale a pena aproveitar a energia para focar nos exercícios físicos, principalmente os de alta intensidade.

Fase ovulatória: momento em que o folículo primordial é liberado pelo ovário e entra na trompa. É a fase de pico dos níveis de testosterona e estrogênio, hormônios responsáveis pela textura e vitalidade da pele. A  vagina fica mais lubrificada e as glândulas do colo uterino também secretam mais para facilitar a entrada dos espermatozoides. É nesse período que há aumento do desejo sexual, os os orgasmos são mais intensos e mais fáceis de serem atingidos. As chances de engravidar são maiores. É uma fase interessante para aproveitar o clima de bem-estar e se estiver nos planos, engravidar.

Fase lútea (pré-menstrual): última etapa do ciclo menstrual que prepara o óvulo para se tornar ou não fecundado. Se o óvulo não for fertilizado, a mulher entra no período da TPM (tensão pré-menstrual), em que os níveis de progesterona ficam mais altos, o que explica o aumento de acnes, inchaço, sensibilidade nas mamas e em algumas mulheres há diminuição da líbido. Já o estrogênio diminui e afeta a produção de serotonina (hormônio do prazer) causando as alterações de humor. Nesta fase, procure praticar atividades físicas leves, beba muito líquido, evite o consumo de cafeína, açúcar e gordura e procure controlar suas emoções.

No término da fase lútea a mulher menstrua. A menstruação pode ser marcada por dores de cabeça, cansaço, cólicas e inchaço. De acordo com a especialista, isso acontece devido aos baixos níveis de estrogênio e a liberação de prostaglandinas que são responsáveis pelo quadro de dor e cólicas. Os desconfortos podem ser amenizados com repouso, ingestão de líquidos, uso de analgésicos, anti-inflamatórios e bolsa de água quente para aliviar os incômodos