distrito federal

Filhos de chocadeiras?

Nas últimas semanas tenho acompanhado nos noticiários, locais e nacionais, reportagens sobre crianças agredidas e abandonadas. Em todos os casos que me recordo, os autores da violência eram pessoas muito próximas das vítimas. Pessoas que deveriam zelar pela segurança desses pequeninos, envolvidas em verdadeiras barbáries! Aqui mesmo, no nosso outrora pacato quadradinho, três casos recentes me fizeram "embrulhar as tripas”.

Como pode uma mãe – alguém que gera e carrega uma vida dentro do próprio ventre por aproximadamente 40 semanas -agredir a sua própria carne? Fazer mal a uma criatura tão inocente e indefesa? No primeiro episódio, foi a babá quem abriu a boca e chamou a polícia. O menino, de apenas quatro anos, aparecia constantemente com marcas das surras que levava da mãe e do padrasto.

Uma semana depois, outra criança da mesma idade aparece na telinha da Record, em um vídeo gravado pela avó, implorando para não voltar para a casa da mãe. O motivo, outra vez, supostas agressões sofridas entre quatro paredes.

Aí, quando parecia que o trem não poderia piorar, me chega, do Entorno do DF, a notícia de que duas crianças foram encontradas abandonadas no meio do mato. Uma delas, um bebê de apenas seis meses. A mãe, se é que tal criatura pode ser chamada assim, sumiu no mundo e deixou os pequeninos a própria sorte.

As crianças de Brasília, agora, estão sob os cuidados das famílias paternas, que lutam pela guarda definitiva. Já os anjinhos de Goiás, estão sob os cuidados do Conselho Tutelar, à espera de um futuro melhor ou, simplesmente, da chance de ter um futuro!

Pense nisso!!!!!

Suposto ladrão de carros é amarrado em poste em Águas Claras

image1 150x150 Suposto ladrão de carros é amarrado em poste em Águas Claras

Foto recebida pelo Whatsapp


Foi no início da tarde desta quarta-feira (10), na altura do residencial Península. Segundo populares, o homem teria sido flagrado no momento em que tentava arrombar um automóvel estacionado próximo ao condomínio residencial.

Alguns moradores perceberam a ação e partiram para o ataque. Eles conseguiram imobilizar o suspeito, que foi amarrado pelo pescoço a um placa de sinalização. Antes, porém, ele teria apanhado um bocado.

A Polícia Militar foi chamada e o homem encaminhado para a 21• Delegacia de Polícia, em Taguatinga Sul.

Pelas fotos enviadas pelo Wathzapp, da para perceber que o suspeito apanhou muito antes de ser entregue aos PMs. Esse tipo de caso vende tornando comum em todo o Brasil. Na semana passada, aqui mesmo, no DF. Um outro suspeito teve destino parecido.

Além de perigoso, o ato de fazer justiça com as próprias mãos, ainda pode levar os populares para a cadeia. Eles podem responder por lesão imagens mostr

Quem matou Leudikelly?

 Quem matou Leudikelly?

Suspeitos já tinham várias passagens pela Polícia

A Polícia Civil apresentou, nesta segunda-feira (18), os dois suspeitos do estupro, tortura e assassinato da jovem Leudikelly Conceição Santos, de 17 anos. Sérgio de Freitas Barreto (30) e Sebastião da Silva Jesus (25) confessaram o crime, que aconteceu há pouco mais de uma semana, em Ceilândia (DF). Durante o depoimento, os dois deram detalhes sobre o crime e disseram que agiram sob o efeito de álcool e drogas.

Aí, eu pergunto a cada um dos senhores e senhoras: Quem matou essa jovem? Será que esses dois criminosos agiram sozinhos nesse crime brutal?

Os dois já eram velhos conhecidos da Polícia e do nosso “Sistema”. Sérgio já respondia por quatro roubos. Sebastião tem 24 passagens – 19 delas, antes de completar a maioridade penal. Entre os outros crimes cometidos por esse monstro estão: roubos, formação de quadrilha e latrocínio (roubo, seguido de morte). E mesmo assim, viviam livremente, entre os cidadãos de bem... como iguais!

Iguais a quem? A você, que lê indignado meu desabafo? A mim?

A quem? Uma coisa é clara... Sebastião e Sérgio não agiram sozinhos! Tem mais gente com o sangue dessa e de várias outras vítimas inocentes nas mãos!

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com