A Proposta de Emenda Constitucional da reforma da Previdência (PEC 287) ganhou mais um adversário: a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF).

A entidade vê riscos de a reforma, do jeito como está sendo encaminhada, eliminar o direito à aposentadoria especial conquistado pelo policiais e que está assegurado pela Constituição Federal.

Diante dessa possibilidade, a ADPF decidiu mobilizar todos os seus associados nos estados, convocando assembleias regionais que deverão ser realizadas nesta terça-feira (28).

Na convocação dirigida aos diretores regionais, o presidente da ADPF, Carlos Eduardo Miguel Sobral, destaca que a PEC 287 não apresenta regras "razoáveis" de transição para os policiais.

Ele lembra que embora a expectativa de vida da cateoria varie de 54 a 64 anos, a reforma previdenciária se aprovada do jeito que está, elevará para 65 anos a idade mínima para a aposentadoria.

Pressão

A ADPF sugere aos seus diretores regionais que de imediato organizem grupos e comissões com o propósito de visitar os líderes e os membros da Comissão Especial da reforma da Previdência, o que deverá ser feito até a próxima sexta-feira (31).

A entidade quer também que até o final da semana que vem, todos os parlamentares sejam visitados pelos representantes da PF.