Desastre em Mariana 150x150 Dilma busca dados sobre tragédia ambiental para o encontro mundial em Paris

Desastre de Mariana deverá ser tema da reunião de chefes de estado de todo o mundo que acontecerá em Paris a partir da semana que vem

Os governadores Fernando Pimentel (MG) e Paulo Hartung (ES) se reúnem nesta sexta-feira (27), logo mais às 15:oo, com a presidente Dilma Rousseff. Na pauta, a tragédia ambiental e humanitária que se abateu sobre o Brasil, afetando de modo particular e dramático, os estados de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Eles irão discutir planos comuns de recuperação das áreas atingidas pela lama de rejeitos de minério da Samarco (Vale/BHP Billiton), que neste momento avança sobre o mar capixaba, e de socorro às vítimas do desastre.

O encontro servirá também para municiar a presidente com informações sobre a tragédia para que ela possa expô-las, quando cobrada, no encontro de chefes de estado de todo o mundo sobre o aquecimento global e o meio ambiente, a COP 21, que será realizado em Paris, a partir da semana que vem.

O que aconteceu a partir de Mariana, onde a barragem de contenção se rompeu no começo deste mês, não possui paralelo no mundo da mineração. E pela sua extensão e danos já provocados ao meio ambiente, muitos deles irreversíveis, já é comparável, segundo a ONU, ao ocorrido em Fukushima, no Japão.

Para quem não se lembra, em março de 2011 um terremoto seguido de tsunami naquela região, atingiu a Usina Nuclear de Fukushima e provocou um dos maiores desastres nucleares da história.