O cerco ao presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), está se fechando mais rápido do que ele imaginava.

Além do pedido de prisão que pesa contra ele feito nesta semana pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e do processo que enfrenta no Conselho de Ética da Câmara por quebra de decoro parlamentar, que poderá resultar na cassação de seu mandato, Cunha viu nesta quinta-feira (9) sua mulher, a jornalista Cláudia Cruz, virar ré na Operação Lava Jato.

cunha 150x150 Encurralado, Cunha poderá virar uma presa não tão fácil assim

O cerco para Eduardo Cunha vai se fechando

A decisão de torná-la ré foi do juiz Sérgio Moro, que coordena os processos da Lava Jato em primeira instância. Cláudia passa a responder na Justiça pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A medida tomada por Moro, além de desestabilizar Cunha emocionalmente joga por terra toda uma estratégia de quem, mesmo afastado da presidência da Câmara vinha agindo com desenvoltura e manobrando para salvar a própria pele, seja apitando no governo interino de Michel Temer, driblando o Conselho de Ética ou negociando um acordão para se livrar da cadeia junto com os seus colegas do PMDB, o ex-presidente José Sarney, o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o senador Romero Jucá, também alvos da PGR.

Agora a sua meta prioritária passa a ser a de evitar a eventual prisão da mulher, e também da filha, que continua sendo investigada no mesmo âmbito da Lava Jato.

Desestabilizado emocionalmente pelo cerco da Lava Jato à sua família e fragilizado politicamente, Cunha pode estar se transformando numa presa aparentemente fácil para seus adversários políticos e para a Justiça.

O problema é que, uma vez encurralado, poderá partir desesperadamente para o ataque, pois já avisou que não vai deixar barata a conta da sua derrocada.

Pode estar blefando, mas assegura que leva junto na sua queda, metade do Congresso, parte do Judiciário e do governo Temer, e de quem mais estiver na sua frente.

Moro, pelo visto, já pagou para ver.