aa 300x191 Governo tucano em MG comprou 3,5 mil tablets para escolas, mas não entregou. Aparelhos mofam há um ano em depósito particular

Parte dos equipamentos deveria ter sido entregue à UEMG

Um total de 3,5 mil tablets comprados pelo governo mineiro no apagar das luzes da gestão Antonio Anastasia (PSDB), que deveriam ter sido distribuídos a professores da rede de ensino superior, estão abandonados num galpão particular próximo à Cidade Administrativa, em Vespasiano.

As compras foram feitas há praticamente um ano, no dia 4 de abril (data da desincompatibilização de Anastasia e da entrada de seu sucessor Alberto Pinto Coelho), e custaram ao caixa do estado R$ 2,3 milhões. Só com aluguel do galpão, onde as 350 caixas contendo os tablets estão armazenadas, o governo estadual já gastou R$ 4.680,00.

Além do desleixo com o dinheiro do contribuinte e da falta de comprometimento com o ensino público, chama a atenção também o fato das compras terem sido feitas por intermédio da Fundação Renato Azeredo.

A instituição leva o nome do pai do ex-senador Eduardo Azeredo (PSDB) e foi fundada quando ele, Eduardo, era governador do Estado. Desde então, se transformou numa espécie de faz-tudo nos governo tucanos, contratando pessoal, recebendo recursos, realizando compras etc, o que chamou a atenção do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que abriu várias investigações, com suspeitas de superfaturamento e outras irregularidades.

Os aparelhos abandonados são da marca Samsung, modelo Galaxy 3 e deveriam ter sido entregues à Unimontes, Universidade Estado de Minas Gerais (UEMG), Hidroex e algumas fundações.

Oficialmente ninguém da gestão passada explicou o motivo para o abandono dos tablets, que já estão com suas garantias praticamente expiradas. Não foi explicado também a razão de eles estarem numa área particular muito menos o motivo que levou a administração da época fazer a compra com a intermediação da Fundação Eduardo Azeredo.

O caso veio à tona durante a auditoria encomendada pelo atual governador, Fernando Pimentel (PT), destinada a verificar a real situação do Estado que recebeu das mãos de seus antecessores do PSDB, Aécio Neves e Anastasia, e de Alberto Pinto Coelho (PP).

A assessoria de Pimentel informou que os tablets serão distribuídos rapidamente para os professores da rede estadual de ensino.

Segundo o Blog apurou, este é apenas um dos vários esqueletos descobertos em decorrência do trabalho realizado pelos auditores. Os resultados serviram de base para o "Diagnóstico do Estado" que será apresentado ao público na próxima segunda-feira (6) pelo próprio governador.