Enfim uma boa notícia para milhares de pacientes que lutam contra o câncer: após cinco meses de batalha na Justiça, a Oncomed conseguiu, na sexta-feira (17) derrubar a medida liminar que impedia a instalação do seu Centro de Prevenção e Tratamento de Doenças Neoplásicas no prédio onde funcionou o antigo Hospital Hilton Rocha, localizado na Serra do Curral, em Belo Horizonte.

Os dirigentes do Centro de Tratamento Oncológico convenceram a justiça que o projeto de reforma do Hospital Hilton Rocha não possui nenhuma irregularidade e que ele já foi devidamente avaliado e aprovado pelo Poder Executivo com todas as exigências e posturas atendidas. Eles asseguraram também que as intervenções previstas no projeto não irão agredir nem modificar a paisagem da Serra do Curral.

A liminar proibindo as obras de reforma e adaptação do hospital havia sido concedida pela 17ª Vara Federal em outubro do ano passado ao acatar ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal em Minas Gerais (MPF/MG) e pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), fundamentada na necessidade de se "preservar o espaço tombado como patrimônio ambiental nacional".

As duas instituições alegaram na ação que a Serra do Curral é um monumento símbolo da cidade de Belo Horizonte tombado em 1960 pelo então Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan), e que a própria construção do hospital não deveria ter ocorrido, pois a área já era protegida por tombamento.

Novela se arrasta há oito anos

A novela de implantação do hospital da Oncomed já se arrasta há oito anos. O imóvel em disputa está abandonado desde 2002 quando o Hilton Rocha fechou as suas portas após enfrentar graves dificuldades financeiras que o levariam à falência.

Ele foi penhorado pela Justiça do Trabalho e levado a leilão para saldar dívidas trabalhistas em 2009, quando, finalmente, foi adquirido pelo grupo Oncomed.

Desde então, a Oncomed vem tentando implantar a nova unidade. Mas ela tem esbarrado na resistência de parte da vizinhança do hospital, que teme o aumento do fluxo de carros e de pessoas na região, principalmente de pacientes atendidos pelo SUS. Para evitar o incômodo e manter o sossego no bairro, ela tem acionado sistematicamente a Justiça e se valido dos órgãos de proteção do meio ambiente.

E, lamentavelmente, com essa estratégia tem conseguido atrasar a ampliação da oferta do número de leitos hospitalares na capital mineira, cidade onde já é mais do que notório o drama para quem se propõe a conseguir uma vaga em algum de seus hospitais.

Hospital referência

O complexo hospitalar que o grupo Oncomed planeja implantar em Belo Horizonte está sendo projetado para ser referência no tratamento oncológico no país.

O centro médico irá oferecer 220 leitos hospitalares e realizar cerca de 13 mil internações por ano. A expectativa é que ele promova 65 mil atendimentos ambulatoriais/ano e realize 180 mil exames de alta complexidade em oncologia, oftalmologia e cardiologia.