A 23 dias da data das eleições, pesquisa Ibope/CNI divulga nesta 6ª feira (12/9) mostra que as denúncias de corrupção na Petrobras e as tentativas da oposição de envolver a candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, ao escândalo, não surtiram o efeito desejado.

Ao contrário. O levantamento do Ibope converge para a mesma direção que outros três institutos (MDA, Datafolha e Vox) já haviam apontado ao longo da semana: que a candidatura de Dilma passou a reagir.

Na sondagem Ibope desta sexta-feira, ela aparece liderando a corrida presidencial com relativa folga, com oito pontos percentuais de vantagem sobre a segunda colocada, a ex-senadora Marina Silva (PSB).

De acordo com o Ibope, Dilma está com 39% das intenções de voto, seguida de Marina, que, em relação à pesquisa da semana passada recuou dois pontos e caiu para 31%.

Já o senador Aécio Neves (PSDB) permanece estacionado na terceira colocação, com 15%, patamar que representa mais da metade das intenções de votos registrados pela socialista, a sua adversária imediata. Comparado a Dilma, Aécio está 24 pontos atrás da petista.

O Pastor Everaldo (PSC) manteve o mesmo quarto lugar e o mesmo percentual de 1% detectado nos últimos levantamentos do Ibope.

Já na pesquisa espontânea, quando o Ibope não apresenta os nomes dos candidatos aos entrevistados, Dilma tem 35% das intenções de voto, seguida de Marina com 23% e por Aécio 12%. Outros somaram 1%; brancos e nulos, 11%; e indecisos, 19%.