EDUARDO CUNHA 150x150 Lava Jato: a hora de Cunha

Denúncia da PGR contra o presidente da Câmara Eduardo Cunha deverá ser apresentada ainda hoje ao STF

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria-Geral da República (PGR), deverá apresentar ainda nesta quarta-feira (19), denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF), contra o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito dos esquemas de corrupção praticados na Lava Jato.

O processo de investigação aberto pela PGR teve início a partir da citação de Cunha em depoimento do doleiro Alberto Youssef, que afirmou ter ajudado Júlio Camargo, ex-consultor da Toyo Setal, a repassar propina para o deputado.

De acordo com Camargo, US$ 5 milhões foram pagos como suborno ao presidente da Câmara com a intenção de facilitar a assinatura de contratos de afretamento de navios-sonda entre a Samsung Heavy Industries e a Petrobras.

Além dele (Camargo), o esquema teria contado também com a participação de Nestor Cerveró, ex-diretor da Área Internacional da Petrobras e do lobista Fernando Baiano. Todos os três foram condenados nesta segunda-feira (17) pela Justiça Federal do Paraná pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Camargo foi sentenciado a 14 anos de prisão, mas por ter delatado o esquema teve a sua pena reduzida para 5 anos com direito a cumpri-la em regime aberto.

Eduardo Cunha, por ser deputado, tem direito a foro privilegiado, tipo de benefício concedido aos parlamentares federais, ministros e outras autoridades para que eles só sejam processados e julgados no STF em matéria criminal.