A nova etapPF 150x142 Lava Jato: semana começa quente. Operação ataca marketeiro do PT e põe Planalto de sobreavisoa da Operação Lava Jato deflagrada na manhã desta segunda-feira (22) teve como foco principal o publicitário e marqueteiro das eleições presidenciais do PT João Santana.

Mas ao fechar o cerco contra ele, os investigadores deixaram claro que o alvo preferencial da Operação é mesmo o Palácio do Planalto, tal a proximidade que Santana mantém com o PT e a presidente Dilma Rousseff.

O marqueteiro foi responsável pelas campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006, e da presidente Dilma em 2010 e em 2014.

Santana e sua mulher e sócia, Mônica Moura tiveram suas prisões decretadas, mas encontram-se na República Dominicana, trabalhando na campanha presidencial daquele país.

Além de Santana, essa 23ª fase da Lava Jato, batizada de "Acarajé", também mirou na empreiteira Odebrecht.

Cerca de 300 policiais federais cumprem, ao todo, 51 mandados judiciais, com 38 de busca e apreensão, dois de prisão preventiva, seis de prisão temporária e cinco de condução coercitiva, em São Paulo, Rio de Janeiro e na Bahia.

Na semana passada, o juiz Sergio Moro negou acesso à defesa de João Santana aos autos da investigação de desvios na Petrobras, e ainda ironizou o pedido dos advogados.

Ele afirmou na ocasião que o acesso poderia colocar em risco o rastreamento de recursos financeiros ou levar à destruição de provas: "como diz o ditado, dinheiro tem coração de coelho e patas de lebre".