marcelo odebrecht 150x150 Quarta feira quente: ministro do STF ameaçado; líderes do impeachment no listão da Odebrecht, e tem maisA quarta-feira ainda não chegou ao fim, mas já gerou assunto suficiente para encher páginas e mais páginas de jornais e blogs.

Vejam por exemplo, o que estava sendo noticiado até as 17:30:

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki sofre ameaças.

Polícia Federal (PF) reforça a segurança dele, depois que grupo de militantes pró-impeachment o atacou pela internet e protestou em frente a sua casa.

Dirigentes da Odebrecht acertam delação premiada na Lava Jato e deixa políticos sobressaltados.

Denúncias devem atingir a maioria dos partidos e governos desde a década de 80.

Ao mesmo tempo vaza um listão da própria Odebrecht expondo nomes de 200 políticos que teriam recebido dinheiro da empreiteira.

A relação inclui principais nomes da oposição que lideram o movimento de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

Aécio Neves, José Serra, Eduardo Cunha, Paulinho da Força e Antônio Imbassahy são alguns deles.

Ironicamente, nem Dilma, nem Lula, principais alvos da oposição aparecem na relação.

Após esse vazamento, juiz Sérgio Moro resolve colocar a lista em segredo de Justiça.

A PF indicia marqueteiro do PT, João Santana, a mulher dele e mais seis pessoas.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) envia ao STF petições sobre a delação do senador Delcídio do Amaral em que ele cita Dilma, Temer, Lula e Aécio.

PF marca depoimento de jornalista que teve relacionamento com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para o dia 7 de abril.

Mirian Dutra diz ter provas de que FHC a manteve no exterior com dinheiro da Brasif, empresa que era concessionária do seu governo.

Enquanto isso, PMDB bate cabeça e racha sobre desembarque do governo.

Temer segue conspirando com lideranças do PSDB.

Surgem suspeitas de que eles estariam tramando frear a Lava Jato num eventual pós-impeachment.

Se acham que é pouco, aguardem que certamente virá mais coisa por aí.