Em tempo (atualizado às 11h40)

Não estava previsto para esta super quarta, mas é um sinal de como o dia promete: o ex-governador Anthony Garotinho (PR) foi preso pela PF por volta das 10h30 em frente à rádio Tupi, no Rio de Janeiro, onde apresenta diariamente o seu programa de rádio. Ele foi condenado pela Justiça por compra de votos.

***

A tão aguardada "super quarta" começou quente: logo cedo em São Paulo, a Polícia Federal (PF) prendeu o empresário Wesley Batista, um dos donos da JBS e irmão de Joesley Batista, que já está detido desde o último final de semana. Os dois irmãos e outros executivos do grupo são acusados de se aproveitarem do acordo de delação premiada para lucrar no mercado financeiro.

A super quarta reserva também para logo mais em Curitiba (PR), um novo encontro entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o juiz federal Sergio Moro, quando tudo poderá acontecer.

Já em Brasília, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) irão decidir sobre o pedido do presidente Michel Temer (PMDB) para suspender andamento de eventual nova denúncia oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, até que sejam analisadas supostas irregularidades no acordo de colaboração premiada de executivos do grupo J&F.

Além de decidir se as provas obtidas no acordo de delação da JBF poderão ser ou não invalidadas, o STF decidirá ainda nesta quarta sobre outro pedido feito pela defesa de Temer, desta vez, de suspeição de Janot, a quem o presidente acusa de perseguição.

Por fim, não será surpresa se o próprio Janot, que está a poucas horas de passar o bastão na Procuradoria Geral da República, apresentar novas (e definitivas) provas contra Temer.