55 JORNAL DE TAIAÇUPEBA

FESTA SERTANEJA NESTE SÁBADO
Os projetos educacionais da SAT são os beneficiados da SEGUNDA FESTA SERTANEJA. A festa deste sábado começa às 21hs no salão Juçara, no Centro Integrado de Sustentabilidade Um Fio de Esperança, uma parceria com a SABESP. A banda do Jorge e o show do Tony Carreiro e Betinho animam a festa comunitária. Mais detalhes no 4724-4248.

DEPOIMENTO DE MORADOR
“ Infelizmente, venho informar-lhes que um grupo de bandidos está invadindo os sítios da estrada do Rio Grande (perto da fazenda Rio Grande) e efetuando o corte e o roubo de palmito de palmeiras juçara (espécie listada como em risco de extinção)No sítio Harmonia foram abatidas pelo menos 20 palmeiras, mas estamos fazendo um levantamento mais preciso para podermos fazer o BO .Aparentemente iniciaram o corte há cerca de uma semana e estão retirando o produto do crime com carros durante a madrugada. “ Este depoimento mostra a importância das reuniões do CONSEG. Denúncias podem ser feitas pelo sat@sat.org.

AO VIVO NA FM 87,5
A festa deste sábado vai ser transmitida ao vivo na comunitária Caramelo Taia. Luciane Vieira vai entrevistar convidados e artistas. A festa pode ser acompanhada no www.radios.com.br/aovivo/Radio-Carmelotaia-87.5-FM/37602 ou no aplicativo do celular.

BIFE COM GÁS
Por trás do bife no almoço e do leite no café da manhã está uma cadeia produtiva responsável por uma boa parcela das emissões de gases causadores das mudanças climáticas. Apenas três produtoras de carne -JBS, Cargill e Tyson- emitiram mais gases-estufa em 2016 do que toda a França e quase tanto quanto algumas das maiores companhias de petróleo, segundo um novo estudo lançado na conferência sobre mudanças climáticas da ONU em Bonn, Alemanha -o maior emissor de carbono da Europa. Ainda assim, o país emite menos.

CELEBRAÇÃO DO NATAL
Uma equipe de voluntários já está organizando a festa de Natal da SAT. As crianças dos projetos educacionais vão participar do dia de alegria com shows e apresentações. Livros e brinquedos doados vão ser distribuídos para as crianças. Se você quiser ajudar na preparação da festa, ligue para o 47244248 ou venha na secretaria.

MÔNICA NO PANTANAL
Uma parceria entre WWF-Brasil e Maurício de Sousa Produções resultou em uma história em quadrinhos que busca levar educação ambiental a crianças. Júlio César Sampaio, do WWF, diz que a região de nascente de rios que alimentam o Pantanal só tem 46% de cobertura vegetal. A degradação e o desmatamento estão ligados, em geral, a atividades agropecuárias. Segundo dados do WWF e da Embrapa, o custo anual da perda de serviços ambientais é de cerca de R$ 19 milhões.

ACADEMIA À TODA
A academia da SAT está à todo vapor. Grupo de jovens e idosos treinam todos os dias para melhorar a saúde e ficar me forma para o verão. Voluntários estão à disposição para orientar os que se interessarem. Procurar a Rani na secretaria.

RECORDE DE CALOR
O planeta está batendo recordes seguidos das maiores temperaturas da história, de aumento do nível do mar, do número de tempestades, secas, inundações, incêndios, furacões e ciclones. É o que afirma o relatório da Organização Meteorológica Mundial, que compila dados de diversas agências sobre a ocorrência de eventos climáticos extremos no mundo, e revela um 2017 de recordes absolutos na frequência e na intensidade desses fenômenos. O aumento da ocorrência de eventos extremos acompanha a curva de crescimento das emissões de gases-estufa e do aumento da média de temperatura global, como mostra o relatório.

MUDAS DE ÁRVORES
O método mais eficiente para recriar uma floresta tropical desmatada talvez não envolva o plantio de milhares de mudas de árvores, mas simplesmente deixar que a natureza faça o seu trabalho. Essa é a principal conclusão de um estudo recém-publicado por pesquisadores brasileiros no periódico "Science Advances". Ao analisar os dados de 133 estudos já publicados sobre restauração florestal mundo afora, eles verificaram que, na maior parte dos casos, a intervenção humana direta é menos eficiente do que os processos naturais de regeneração da mata.

FOGO NA CHAPADA
O incêndio na Chapada dos Veadeiros, em Goiás, e os ataques às sedes de órgãos ambientais federais em Humaitá, no Amazonas, expõem a fragilidade da segurança e fiscalização nas unidades de conservação no país. Nos 324 parques, florestas e reservas administrados pelo ICMBio, há 1.679 agentes para vistoriar 794 mil quilômetros quadrados, ou 10% do território nacional. É como se cada servidor tivesse que tomar conta, sozinho, de uma área de 470 quilômetros quadrados, aproximadamente o tamanho de Florianópolis ou Belo Horizonte. A situação pode ficar ainda pior, já que o orçamento previsto para o órgão no ano que vem representa menos da metade do dinheiro reservado para este ano.