distrito federal

Quem é o dono dos parques?

Na semana, que antecedeu o feriado de Páscoa, Brasília foi surpreendida com uma superprodução de trabalho dos nossos deputados distritais. Vários projetos que estavam lá, guardados a espera de votação, foram levados para o plenário e aprovados da maneira mais ridícula possível.

Dezenove deputados em plenário, o presidente fala o nome do projeto, pede que aquele que for contra se manifeste, olha para todos os lados e anuncia: "APROVADO!" Não leva mais de 15 segundos para que um projeto de lei seja aprovado pelo plenário.

E assim foi aprovado o projeto de lei de autoria da ex-deputada Luzia de Paula, do partido chamado PEN, que define o uso de coleiras e focinheiras para qualquer cachorro que entre nos parques da capital do País. Exato: QUALQUER!!! Seja ele pequeno, médio ou de tamanho grande. Seja ele dócil ou bravo.

A deputada justifica que pessoas estão sendo atacadas nos parques e o projeto tem como objetivo a segurança do cidadão. As administrações dos principais parques de Brasília não têm qualquer registro destes ataques que tanto preocupam a senhora ex-deputada.

Em que país esta senhora ex-deputada vive? O que o cidadão quer, para sua segurança e integridade física, é a proibição de tráfico de drogas, assaltos, estupros e assassinatos nas áreas dos nossos parques e em todos os cantos da nossa cidade!!!

O que o cidadão de bem quer é um projeto que puna com rigor os maus-tratos aos animais. O que o cidadão de bem quer é que seus representantes os representem. O que o cidadão de bem quer é um projeto de posse responsável, onde os donos de animais domésticos se responsabilizem pela segurança de quem passa perto de seu cãozinho, que recolham os dejetos que eles fazem fora de casa. O que o cidadão de bem quer é a criação do PARCÃO, uma área destinada a brincar com seu pet, como as que existem nas principais cidades do mundo.

Aprovado pelos distritais, o projeto de lei segue agora para sanção ou veto do governador Agnelo Queiroz. Depende dele que esta arbitrariedade vire enfim uma lei.

Mas não vamos esquecer que ele, o governador, também trabalha para nós e precisa saber que uma grande parcela da sociedade é contra.

No próximo sábado, está marcada uma cãominhada no Parque da Cidade para que as pessoas, com seus cães, mostrem sua insatisfação. Mostrem que os parques de Brasília não tem donos!!

Os protetores ainda desconhecem a força que têm

Outro dia li na internet um texto que descrevia a força dos grupos de proteção animal. Uma força que as pessoas desconhecem. Os próprios protetores desconhecem. Gente conhecida como "cachorreiros" ou "gateiros".

Gente que não recebe dinheiro do governo, de ONG's... que gasta o dinheiro do bolso para resgatar, tratar, salvar. Gente que faz rifa para ajudar a pagar esta ou aquela outra despesa, gente que deixa o conforto de casa para entrar no mato, em buracos, em lugares perigosos, pelo prazer de dar uma nova chance de vida a um animal.

São muitos por todo Brasil. Capazes de mobilizações que reúnem donas de casa, estudantes, profissionais liberais e toda uma gama de gente diferente unida num único propósito: salvar vida!

Há, se esta turma tivesse noção da força que tem! Há se esta turma tivesse uma liderança nacional! Conseguiriam tudo que querem! Sim, conseguiriam...

Para alegria dos nossos políticos, esta causa ainda é dispersa... grande, mas dispersa...Um grupo em São Paulo, um no Rio de Janeiro, outro aqui, outro alí....

As redes sociais estão unindo estas pessoas, pouco a pouco... é.... e aí meus amigos, todos aqueles que protegemos terão voz! Acredito que este dia não está longe.... uma boa parte do caminho foi percorrida.... mas precisamos de mais...

Nas próximas eleições, vamos perguntar as políticas de proteção animal dos candidatos. Sim, podemos fazer isso!  E escolher aquele que tiver compromisso com a causa. Não temos a bancada dos ruralistas, dos médicos, dos engenheiros, dos banqueiros? Podemos ter a nossa: dos PROTETORES!

Ulysses Guimarães disse certa vez que político morre de medo do povo nas ruas.... temos ido as ruas, temos chamado a atenção para nossa causa. Acreditem, as coisas só não mudaram ainda porque os protetores desconhecem a força que têm.

Protetor de animais não é super herói

Pedidos de socorro para animais abandonados e maltratados são muito válidos. As pessoas formam correntes e  acabam salvando as vidas deste ou daquele outro bichinho. O intrigante é que muitas vezes alguém faz o pedido de socorro, posta fotos, descreve todos os problemas vividos por aquele ser e, dias depois, entra na internet revoltada porque ninguém fez nada.

"Onde estão os protetores?"

"Se fosse de raça muita gente já teria tomado uma atitude!"

Pois bem, como este animalzinho que você está vendo aí perto, abandonado, judiado, existem outros milhares e os protetores que arregaçam as mangas são poucos. Se ninguém fez nada é por que não deu para fazer. E, se você está vendo o bichinho sofrendo, faça você alguma coisa. Tome atitude! Saia do conforto de casa, suje as mãos e salve aquela vida.

Esta semana que passou ouvi muitas criticas do resgate de um casal de Golden Retriver (tema do post anterior) de uma casa no Lago Sul.

"Poxa, tanto vira latas abandonado aqui perto de casa e ninguém faz nada!!!"

Pois é, ninguém fez nada, nem você que está ao lado destes bichinhos abandonados!

Vamos entender uma coisa: protetor é gente como a gente. Trabalha, estuda, cuida da casa, dos filhos, tem problemas financeiros (e como!), não vive exclusivamente de salvar vidas! Mas sempre arruma um tempinho para fazer isso.  Protetor abre mão dos fins de semana com a família para resgatar, organizar feiras de adoção, fazer visitas as clínicas veterinárias onde os resgatados estão internados. Protetor corre atrás de dinheiro para pagar as despesas, faz rifa, às vezes de alguma coisa que tem em casa, mas abre mão para poder pagar a conta!

Para protetor, cachorro, gato ou seja lá que bicho for, não tem raça. São VIDAS que precisam ser salvas!

Então, antes de criticar, tome uma atitude! Pense que os protetores são como você com a diferença de que eles vão à luta!

Publique os pedidos de socorro uma, duas, três, quatro, mil vezes!!! Mas não critique, porque eles são poucos!

E vamos entender, de uma vez por todas: PROTETOR NÃO É SUPER HERÓI!

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com