Um ato de amor

Marcos Pereira Perfil R7 Um ato de amorParaná, Rio Grande do Sul e São Paulo lideram o ranking de adoções do país. Três em cada cinco processos foram feitos nesses estados nos primeiros seis meses deste ano. Ao todo, representam 372 das 625 adoções no ano, o equivalente a 60% das adoções realizadas no país. É o que revelam os dados da Corregedoria Nacional de Justiça.

De acordo com o Cadastro Nacional de Adoção, existem mais de 33 mil pretendentes para as 5.469 crianças que esperam por uma família e um lar. Em 2014, os estados do Paraná e Rio Grande do Sul juntos foram responsáveis por 1.100 adoções. Apesar do aumento no número de pretendentes e de crianças nos abrigos, há 11 estados sem registro de adoção neste ano.

Penso que adotar uma criança é muito mais do que um gesto de caridade ou de solidariedade. É, com toda a certeza, um ato de amor e de responsabilidade. É um desafio constante, mas que traz muitas recompensas positivas para quem o assume. Todos têm o direito de ter e usufruir de uma convivência familiar e comunitária. É necessário discutir sobre o tema.

As Varas da Infância e Adolescência devem trabalhar em conjunto para acelerar as documentações e diminuir a fila de espera. Acredito que a burocracia, a lentidão na Justiça e falta de qualificação de profissionais são os problemas mais comuns para aqueles que desejam estabelecer uma família. Acima de números, estamos falando de seres humanos. É preciso dar autonomia aos órgãos responsáveis para que as porcentagens funcionem na prática.

Acesse: www.marcospereira.com e www.facebook.com/marcospereira1010

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Perigo constante

Marcos Pereira Perfil R7 Perigo constante A situação dos acidentes de trânsito é mais grave do que pensamos. É a principal causa de morte de jovens no mundo. No Brasil, é a segunda causa de morte entre jovens de 18 a 24 anos, atrás apenas dos homicídios. O excesso de velocidade, o uso de bebidas alcoólicas, a imprudência e a falta do uso do cinto de segurança são os principais motivos dos acidentes.

No começo do mês, os países do Mercosul assinaram um acordo para tentar reduzir os altos índices de morte e violência no trânsito e evitar que o número de vítimas aumente. A taxa de mortalidade, que era de 18 mortes por 100 mil habitantes, subiu para 23 mortes.

Ao me deparar com tantas notícias de acidentes, muitos seguidos de mortes, percebo que devemos analisar as causas iniciais dessas fatalidades para que não deixem mais marcas em tantas famílias. Uma revisão dos pontos falhos no trânsito é papel de todos, principalmente das autoridades e órgãos responsáveis pelo trânsito nos países da América do Sul.

As estradas estão realmente seguras? Faltam equipamentos de proteção? A formação de motoristas é deficiente em nosso país? Os agentes de trânsito estão mal instruídos? Tudo isso deve ser analisado para que haja prioridade na segurança. Acima de dados, estamos lidando com vidas de jovens e o futuro desses países.

Acesse: www.marcospereira.com e www.facebook.com/marcospereira1010

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Lutando contra as drogas

Marcos Pereira Perfil R7 Lutando contra as drogas Hoje, 26 de junho, é o Dia Internacional da Luta contra o Uso e o Tráfico de Drogas. A ONU designou esta data para alertar a todos sobre os perigos e as consequências nas famílias e jovens. Acredito que dentre todos os males que assolam a sociedade, a droga é a que merece mais atenção no momento.

Ao mesmo tempo, a imprensa retrata o tráfico de drogas como o crime que mais encarcera no país. Desde 2006, com a aplicação da Lei das Drogas, vários processos por porte ou tráfico de entorpecentes têm chegado aos tribunais. De acordo com dados do Ministério da Justiça, a proporção do total de presos é de 25% entre os homens e 63% entre as mulheres.

Os traficantes são maioria e chegam a ultrapassar o número de encarcerados pelos crimes de homicídios, furtos e roubos. Segundo o levantamento da Secretaria de Administração Penitenciária, as prisões por posse e tráfico de drogas em São Paulo subiram 25,27%, só entre abril e maio deste ano.

Foram 837 novos presos em um mês. Também devemos lembrar que uma parcela deles é caracterizada por usuários pegos em flagrante pelo porte dessas substâncias ilícitas. Muitas vezes, são indivíduos sem estrutura familiar e apoio que entram na criminalidade em troca de alimentar o vício ou até para saldar dívidas.

Penso que buscar apoio na ressocialização e tratamento químico por parte do Estado para esses infratores, talvez, seja a alternativa mais rápida e viável. Não é apenas na repressão que vamos conseguir acabar com esse problema. O Estado deve ser um agente integrador, oferecer ajuda para a prevenção e recuperação de jovens usuários também pode diminuir o índice de crimes.

Acesse: www.marcospereira.com e www.facebook.com/marcospereira1010

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Ajudando vidas

Marcos Pereira Perfil R7 Ajudando vidasLi recentemente uma notícia que me emocionou. Um australiano, desde os seus 18 anos, doa seu sangue toda semana e já ajudou cerca de dois milhões de recém-nascidos. O gesto desse senhor, hoje com 78 anos, é um exemplo de generosidade e amor ao próximo.

Os médicos utilizam os anticorpos dele para produzir uma vacina que é usada para tratar mulheres grávidas com eritroblastose fetal. Uma doença causada por diferenças no tipo sanguíneo da mãe e do bebê. Estima-se que esse senhor tenha doado sangue mais de mil vezes.

É uma tomada de consciência que toda a sociedade deve ter. A demanda por transfusão é grande e não há como produzir sangue de forma artificial. Vejo a possibilidade de doar como um ato de solidariedade universalizada, pois é necessário que o cidadão se veja na posição do outro. Nunca saberemos o que está reservado para nós e, por isso, devemos trabalhar para o bem.

Depois dessa história, percebo ainda mais a importância de ajudar e orientar as pessoas. Doar sangue é salvar vidas, além de um ato de cidadania. Mostra conhecimento e responsabilidade que foram assumidos pelo indivíduo em relação aos seus direitos e deveres enquanto um ser social. Doar sangue é formar uma corrente a favor da vida.

Acesse: www.marcospereira.com e www.facebook.com/marcospereira1010

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Endividados

Marcos Pereira Perfil R7 EndividadosTodos os brasileiros, nesses últimos tempos, estão sentindo o efeito das contas mais caras. O orçamento está apertado e o dinheiro cada vez mais curto. Segundo dados do Banco Central, quase metade da renda das famílias brasileiras está comprometida com dívidas.

O endividamento das famílias chegou a 46,3% em abril, registrando o maior percentual desde o início do levantamento que começou em 2005. Nesses 10 anos de pesquisa, a fatia das dívidas nunca se expôs tão alta e parte disso veio principalmente do financiamento de imóveis para casa própria.

Penso que o primeiro passo para qualquer pessoa organizar suas finanças pessoais é reconhecer a necessidade que se tem de mudar. Os hábitos cotidianos podem colocar o bolso em risco e para evitar isso é essencial que o cidadão não subestime pequenos gastos, por exemplo.

Vejo como um sinal de alerta essa persistência de dívidas em atraso no país. São patamares elevados que devem ser quitados o quanto antes. Acredito que através de um bom planejamento é possível administrar os débitos. Assim, aos poucos, as contas pesadas são diminuídas para abrir espaços aos investimentos concretos, como a casa própria.

Arma branca

Marcos Pereira Perfil R7 Arma brancaA Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou, na semana passada, o projeto de lei que proíbe o porte, sem justificativa, de facas, punhais, canivetes ou lâminas a partir de 10 cm em todo o Estado. Ao todo, 61 parlamentares da Casa votaram a favor, e três deles contra. O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, tem 15 dias para sancionar ou vetar a lei.

Com a aprovação, quem for flagrado portando um desses objetos poderá receber multa, que varia de R$ 2.400 a R$ 24 mil, e que será determinada pela autoridade policial. Os menores de idade que transportarem algum dos objetos cortantes serão apresentados a um juiz da vara da Infância e Juventude.

Podemos perceber que a discussão sobre o porte de armas brancas deveu-se após uma onda de crimes. Casos recentes foram registrados em que os criminosos esfaqueavam as vítimas para assustá-las durante um assalto. Acredito que se trata de uma medida preventiva para ajudar a coibir essa prática agressiva comum nesses tempos.

É importante citar que existe distinção no texto entre o porte e o transporte de facas, além de excluir da infração o cidadão que trabalha com facas ou similares. Mas também é preciso cuidado e acompanhamento no dia a dia para que não haja falta de profissionalismo e multas desnecessárias a trabalhadores.

É de extrema necessidade uma boa descrição e orientação, além de equipes treinadas para julgar o que entra ou não nesse contexto. Se tudo for feito de forma correta, poderá ajudar e muito a questão de segurança pública no Rio.

Precariedade extrema

Marcos Pereira Perfil R7 Precariedade extremaCerca de 40% da população da região Norte é de crianças e jovens de até 18 anos, que vivem em um ambiente onde 67% das casas não possuem rede de esgoto ou fossas e 45% delas não têm rede de água. É o que revela a publicação Cenário da Infância e Adolescência no Brasil 2015, divulgada pela Fundação Abrinq.

É no Norte que também está a pior taxa de idade-série dos ensinos médio e fundamental. Cerca de 31% dos alunos do fundamental e 45% do médio estavam em séries que não condizem com a idade. A região Nordeste também não está de fora. É o segundo pior cenário, registrando uma população formada por 34% de crianças e adolescentes e 54% dos domicílios sem rede de esgoto.

Sabemos que há uma grande disparidade entre as regiões do nosso país e muitos dos problemas sociais estão ligados ou são provocados pela desigualdade de renda e o desemprego. O atual cenário é de uma crise que têm aumentado conforme o intenso desequilíbrio econômico, mas ainda vejo melhoras se houver incentivo e proatividade do Governo em prover serviços públicos básicos.

É de responsabilidade dos ministérios da Educação e da Saúde desenvolver planos de ação e estabelecer condições seguras para solucionar dificuldades em áreas como habitação, saúde e segurança pública. Onde há um ambiente com infraestrutura e cuidados básicos essenciais, não há marginalização e nem extrema pobreza. Precisamos de ações imediatas.

Buraco fundo

Marcos Pereira Perfil R7 Buraco fundoUm levantamento da Confederação Nacional do Transporte mostra que 50% das rodovias brasileiras estão cheias de buracos e inadequadas. Foram avaliadas pistas com a pavimentação em estado deficiente, ruim ou péssimo.

Cerca de 82 mil quilômetros rodoviários do país foram avaliados por pavimento, sinalização, entre outros. A conclusão todos sabemos: vias irregulares aumentando o perigo da direção. Os caminhoneiros, principais usuários das estradas, são os mais afetados e aqueles que mais correm riscos por causa do abandono da manutenção das vias.

A maior parte das estradas brasileiras também está avaliada como ruim ou péssima. Itens essenciais de infraestrutura, economia nacional e transporte estão cada dia mais esquecidos pelas autoridades. Os governos deixaram de investir, ou investiram muito menos do que era esperado e necessário para que se mantivesse um padrão de qualidade.

Trata-se principalmente da segurança de muitos trabalhadores que estamos falando. É preciso que haja planejamento para uma gestão de qualidade que acabe com a precariedade das vias. É responsabilidade das autoridades, que nos representam, estimular a aceleração de reformas e manutenção regular da malha e da expansão de trechos rodoviários nacionais. Caso contrário, mais acidentes e mortes serão registradas.

Telefonia aquecida

Marcos Pereira Perfil R7 Telefonia aquecidaTodos os dias surgem novidades em smartphones e aplicativos que deixam os celulares mais úteis e indispensáveis. Um tempo atrás, li uma reportagem sobre a alta nas vendas desses aparelhos no Brasil e me chamou a atenção. Já somaram 14,1 milhões de unidades só no primeiro trimestre.

O crescimento no mercado foi 33% maior no primeiro trimestre do ano do que no mesmo período do ano passado. Sabemos que a economia do nosso país não está na melhor fase. Mesmo assim, de acordo com pesquisa de mercado da consultoria IDC Brasil, é esperado uma alta de 16% até o final deste ano.

O Brasil já teve um recorde de vendas de celulares no 4º trimestre de 2014. Hoje, mesmo com as operadoras oferecendo menos subsídios para o consumidor e do dólar alto, cerca de 63 milhões de aparelhos podem ser vendidos em 2015.

Fiquei curioso com o fato, pois se há alta nas vendas é reflexo do uso desenfreado. Percebe-se que as pessoas abrem mão de outros gastos, mas mantém a conectividade. Isso pode ser bom ou ruim, depende de como estão usando as ferramentas de comunicação. O excesso também pode levar à alienação. Quem sabe aí está a oportunidade de sair do mundo virtual e interagir com quem está mais próximo. E, claro, economizar.

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Oceano limpo

Marcos Pereira Perfil R7 Oceano limpoUm jovem holandês de 19 anos combinou reciclagem, criatividade e tecnologia para alertar as pessoas e tentar resolver as questões de sustentabilidade em todo o mundo. Estudante de engenharia, ele trabalhou no desenvolvimento de um filtro que recolhe os plásticos nos oceanos.

A cada ano, os oceanos recebem cerca de 8 milhões de toneladas de plástico. O processo de limpeza levará cerca de cinco anos e deve recolher todo o material flutuante e levar para reciclagem já em terra.

Apesar de ser ainda um protótipo, acredito que seja um grande passo para diminuir os riscos de extinção das espécies marinhas e acabar com parte da emissão de substâncias poluentes que se integram na água.

Existe uma carência de sistemas de tratamento de lixo no país. Há pouca estrutura e escassos recursos utilizados para reaproveitar toneladas de materiais descartados no meio ambiente. Esses resíduos só estão lá por conta da ação humana. É preciso analisar cada novo projeto com compromisso e atitude para que os impactos da poluição não nos causem ainda mais problemas sociais e ambientais.

 

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7