Aqui bate um coração vascaíno

vasco Aqui bate um coração vascaíno
Torcida revoltada, jogadores insatisfeitos, dirigentes no alvo da mira... assim é o clima em São Januário. Difícil é fazer bons prognósticos com tantas derrotas. A nau só não afunda porque ainda nos valemos da boa fase inicial.

Um novo técnico seria a solução? Pouco provável, talvez essa seja apenas a ponta do iceberg. Um conjunto de fatores, desde traquejo administrativo até protestos dos torcedores contribuíram para a desmotivação coletiva dentro de campo.

Meu tio Armando é o responsável por passar a todos da minha família a paixão pelo Vasco da Gama, por isso, abro aqui espaço para ele imprimir sua opinião sobre essa fase difícil que estamos passando.

Fala, tio!

Mensagem à torcida vascaina

Será que fomos inteligentes quando, em coro chamamos Cristóvão de burro?

Mais do que isso: será que não fomos injustos com um profissional honesto, competente, sensato e humilde?

Afinal não foi com ele no comando que conseguimos a gordura que estamos queimando em matéria de pontos perdidos, sem o risco maior de um novo rebaixamento?

Eu não posso responder por ninguém. Mas, em meu nome, peço perdão a Cristovão e principalmente a Deus que também está presente nos esportes.

Afinal não será com injustiça ou desamores que iremos reequilibrar a grande nau vascaína.” (Armando Gomes)
vasco2 Aqui bate um coração vascaíno

Sonho intuitivo de um torcedor vascaíno: ver Eurico e Roberto juntos

Eurico = uma possante Ferrari com freio de fusquinha.
Roberto/administrador = um fusquinha com freio e equilíbrio de uma potente Ferrari.

Acredito que a soma da potência e experiência de um, com o equilíbrio, carisma e idolatria do outro seria a fórmula caseira de salvar a nau vascaína.

Inegavelmente os dois têm em comum um grande coração vascaíno. Basta jogar no lixo qualquer ressentimento do passado. Afinal, isso só beneficia nossos adversários.

Que a cruz de Malta se funda com a cruz de Cristo e que esta opere o milagre da soma e da reconciliação.

Que os dois monstros sagrados da história do Clube de Regatas Vasco da Gama lancem mão de sua fé, inteligência e bom senso e façam esta imensa torcida bem feliz.

O perdão só existe quando exercido, ainda mais por uma grande causa.” (Armando José Gomes)