A RELAÇÃO PAIS/FILHOS NA APRENDIZAGEM – PARTE II

Pais e Filhos Estudo1 300x199 A RELAÇÃO PAIS/FILHOS NA APRENDIZAGEM   PARTE II

Na vida há tempo para tudo. A sabedoria está em saber distribuí-lo.

Olá.

Numa sala de aula genérica há três tipos de alunos:

- Primeiro tipo

Participam das aulas e em casa, aula dada, aula estudada.

- Segundo tipo

Participam das aulas e somente estudam em vésperas de prova.

- Terceiro tipo

Levam as aulas em brincadeira e não estudam em casa.

Os alunos do primeiro tipo têm meta bem definida, serão bem sucedidos no vestibular.

Os alunos do segundo tipo vão acordar para o estudo no cursinho, as vezes com dois ou três anos de preparação. As vezes, entram numa faculdade qualquer  e transferem o problema para mais adiante, quando irão ingressar no mercado de trabalho em condições duvidosas, as vezes sujeitando-se a subempregos n0 mercado de trabalho.

Os alunos do terceiro tipo, se estiverem em bom colégio, serão reprovados. Recomendo para eles uma Escola Técnica. O "FAZER" do Ensino Técnico provavelmente irá motivá-los.

Os alunos do primeiro tipo, minoria numa sala de aula, certamente adquiriram três valores fundamentais: responsabilidade, organização e disciplina. Senhores pais, aí está a fórmula do sucesso: incutir em seus filhos esses três valores fundamentais. É tarefa árdua que exige perseverança, mas é gratificante. Não descuidem da prática de esportes dos seus filhos. Estudar e praticar esporte acabam se tornando hábitos saudáveis.

Na vida, há tempo para tudo. A sabedoria está em saber distribuí-lo entre o estudo, o esporte, o lazer e a convivência com familiares e amigos. Para isso, a contribuição dos pais é fundamental.

Abraço.

 

 

 

A RELAÇÃO PAIS/FILHOS NA APRENDIZAGEM – PARTE I

Pais e Filhos Estudo 300x199 A RELAÇÃO PAIS/FILHOS NA APRENDIZAGEM   PARTE I

Os pais devem compartilhar do estudo de seus filhos com carinho e palavras de estímulo.

Olá.

O meu ex-aluno de 1968, José Tostes Filho, pediu-me para comentar como deve ser a relação pais-filhos no sentido de beneficiar a aprendizagem de seus filhos. Outros pais me fizeram esse mesmo pedido. É assunto para um livro que procurarei resumir em duas matérias.

Desde cedo, os pais devem insistir com seus filhos o quanto é importante estudar para adquirir uma profissão qualificada e viver com dignidade na sociedade.

Os pais devem acompanhar os seus filhos em todas as fases de aprendizagem, desde a Educação Infantil até o ingresso numa Escola Superior, sempre com palavras de estímulo, nunca de reprovação. Conversar sobre as aulas que tiveram, sobre seus professores, o que estão aprendendo.

Na fase do Fundamental I, a tarefa é mais fácil porque o professor passa diariamente tarefa para casa e corrige no dia seguinte. É só acompanhar e, se possível, ajudá-los vez ou outra nas lições de casa. A coisa complica no Fundamental II, com o aumento no número de disciplinas e, consequentemente, no número de professores. O estudante que adquiriu hábito de estudo no Fundamental I, tende a perdê-lo no Fundamental II porque nem todos os professores passam tarefa para casa.

É importante saber que a aprendizagem se processa em dois tempos:

- Primeiro tempo - Escola

O aluno deve participar ativamente da aula. Para isso, deve chegar na escola sem afobação, bem dormido e bem alimentado.

Meta: entender todas as aulas do dia.

- Segundo tempo - Casa

Após a refeição, descansar em torno de uma hora e dirigir-se para o seu cantinho de estudo (constituído por uma mesa com gavetas prateleira e boa iluminação) e começar a estudar. Como? Lendo no material didático os assuntos de todas as aulas do dia, refletindo sobre eles e resolvendo as questões propostas no material. Anotar as dúvidas para saná-las na escola, com seus colegas e/ou professores.

Meta: aula dada, aula estudada.

Completado o segundo tempo, podemos afirmar que o conhecimento envolvido nas aulas do dia está assimilado. É muito importante o acompanhamento dos pais nesse sentido.

A tarefa do professor é abrir as portas para a aquisição do conhecimento. A tarefa do estudante é  ler, refletir e resolver as questões propostas para assimilar o conhecimento (é uma atividade solitária). A tarefa dos pais, é certificarem-se de que tudo está caminhando corretamente, com muito carinho.

Na próxima quinta-feira continuarei com o tema.

Abraço.

 

 

SIMULADO

 SIMULADO

No simulado e no vestibular, o aluno não compete com ninguém mais a não ser com ele mesmo, à procura de seus próprios limites.

Olá.

Atualmente está muito claro que o Ensino Médio é o caminho que conduz à escola superior. São exceções os colégios que "não se importam"com o vestibular e se preocupam "apenas"com a formação de seus alunos.

As boas escolas cumprem as duas finalidades: boa formação e preparação para os vestibulares.

Na preparação para os vestibulares, o simulado é uma arma poderosa. Ele procura imitar todas as condições que o estudante vai encontrar no vestibular. Assim, temos simulado para o ENEM, FUVEST, FGV etc.

Quais são as condições a reproduzir? Número de questões, tempo de prova, grau de dificuldade das questões e distribuição de assuntos.

Após a realização de um simulado, vem a parte mais importante: em casa, o aluno deve se concentrar nas questões que errou. Para cada uma, estudar a teoria envolvida e, a seguir, tentar resolvê-la. Se não conseguir, deve pedir ajuda a um colega ou a seu professor. A meta é tirar nota 10 nessa nova resolução.

Um número conveniente de simulados poderá cobrir os principais assuntos do programa.

A gente ouve especialista em Educação afirmar que o simulado não é um bom instrumento de ensino porque desperta a competitividade e pode gerar angustia. Ora, o ser humano é competitivo por natureza. Compete desde que nasce até que morre, para viver com dignidade. No simulado, o estudante compete com ele mesmo à procura de seus limites. E no vestibular também é assim!

Abraço.

A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE

Baía de Guanabara 300x135 A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE

As duas mais importantes universidades públicas do Rio de Janeiro, UFRJ e UERJ, adiaram o início de suas aulas por falta de funcionários de limpeza.

Olá.

O primeiro governo da presidente Dilma foi calamitoso: devastou as contas públicas, gastou muito mais do que podia, deixou o País sem credibilidade e jogou a atividade produtiva em uma recessão sem previsão para terminar.

O governo nomeou um novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, salvador da pátria. Parece ser competente e honesto. Devemos dar crédito de confiança a ele.

O ministro está aumentando impostos, reduzindo drasticamente as despesas do governo. O povo brasileiro vai atravessar um longo período de sofrimento.

A seguir, um pequeno exemplo de prejuízos causados à Educação pela ação do governo: 92 mil alunos de duas universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro, UFRJ e UERJ, tiveram o início das aulas adiado. Por quê? Por falta de profissionais de limpeza.

A esperança é a última que morre.

Abraço.

 

ESCOLAS MUNICIPAIS

Prova Brasil ESCOLAS MUNICIPAIS

O governo federal distribui verbas para as prefeituras mas não fiscaliza a sua aplicação. Há desvios.

Olá.

A Prova Brasil avalia de dois em dois anos os conhecimentos adquiridos em Matemática e Português dos alunos das escolas brasileiras do curso Fundamental.

As redes municipais concentram, no Fundamental I, 68% dos alunos. Desde a década de 1990 há um processo de municipalização do Fundamental I.

Na última avaliação realizada pela Prova Brasil ficou demonstrado que as médias das escolas municipais é inferior à média nacional. Qual a causa? Especialistas atribuem à falta de professores especializados provavelmente devido ao desvio das verbas que o governo federal entrega aos municípios. Esse desvio foi constatado pelo governo que alega não possuir estrutura para fiscalizar a aplicação das verbas.

Esse é apenas um dos problemas que o governo federal enfrenta, não dá verba suficiente aos seus órgãos de fiscalização.No fim, tudo se resume em duas palavras: má gestão.

Abraço.

ENEM ONLINE

enem1 300x200 ENEM ONLINE

ENEM online, tudo bem, mas o governo deveria tomar iniciativas nas áreas prioritárias: Creches, Educação Infantil e Fundamental I.

Olá.

Chamada no jornal O Estado de São Paulo: "Ministro quer ENEM online ainda neste ano". Claro, com prova bem elaborada.

Uma prova bem elaborada deve apresentar várias virtudes. Entre elas, a abrangência, isto é, deve avaliar os principais assuntos, varrer o programa.

Na prova online imaginada pelo ministro, para cada aluno seriam sorteadas as questões de sua prova. Como deveria estar constituído o banco de questões? O ideal seria, segundo o  ministro, 8 mil questões para cada uma das quatro grandes áreas, Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Matemática.

O ENEM pré-classifica as questões em fáceis, medianas e difíceis. Como seriam as gavetas virtuais de questões para a Matemática, por exemplo? Como a prova tem 45 testes teríamos 45 x 3 = 135 gavetas, elegendo os principais 45 assuntos da matéria. Se colocarmos em cada gaveta 60 testes teremos um total de 8.100 testes para a Matemática.

O ministro Cid Gomes, em seu primeiro pronunciamento disse que consertaria o Ensino Médio em dois anos. Agora, promete o ENEM online para 2015. O senhor não acha, ministro, que um edifício deve ser iniciado pelas fundações? No caso da Educação, Creches, Educação Infantil e Fundamental I?

Nada contra melhorar o Ensino Médio e ENEM online, mas estamos aguardando iniciativas nas áreas prioritárias.

Abraço.

PESQUISADORES EM ALERTA

Pesquisador PESQUISADORES EM ALERTA

Boa gestão dos recursos públicos é o que está faltando no nosso governo.

Olá.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é responsável pelo pagamento de bolsas de estudo a pesquisadores. São bolsas de Iniciação à Docência e Pós - Doutorado.

A CAPES alega estar aguardando recursos do MEC para efetuar o pagamento. Enquanto isso, pesquisadores bolsistas passam dificuldades para pagar suas contas.

O governo federal planeja enviar mais 100 mil estudantes para o exterior. Imagine, caro leitor, o que vai acontecer!

É preciso planejar cuidadosamente para enviar e pagar pontualmente 100 mil bolsistas para o exterior. É o que está faltando nesse governo: boa gestão dos recursos públicos.

Abraço.

CRÉDITO UNIVERSITÁRIO PRIVADO

PRA VALER 300x150 CRÉDITO UNIVERSITÁRIO PRIVADO

Amplia-se a possibilidade do estudo universitário pagando-se as mensalidades após formado.

Olá.

O governo federal está apertando o cinto. Sobrou para o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil). Colocou novas regras, entre elas pontuação mínima de 450 pontos no ENEM. As escolas particulares protestaram, o governo recuou e a batalha prossegue. Enquanto isso, o setor privado se movimentou criando o crédito universitário privado.

O PRA VALER é o maior crédito privado do País. Desde 2006, já financiou cerca de 1 bilhão de reais em mensalidades, o que beneficiou mais de 4o mil alunos em todo o Brasil. Ele abre oportunidade de financiamento para mais de 200 escolas superiores do País. O estudante, após formado, paga um pouco mais da metade da mensalidade por mês durante até 2,5 vezes o tempo de curso.

A contratação do PRA VALER é fácil, rápida e sem burocracia. Basta acessar o site www.pravaler.com.br.

Abraço.

 

UNIFESP: O CÂMPUS DE DIADEMA

UNIFESP Diadema 300x225 UNIFESP: O CÂMPUS DE DIADEMA

Estamos saindo de um mundo de fantasias e entrando na hora da verdade.

Olá.

Há 7 anos foi criado o Câmpus de Diadema da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Por falta de obras adequadas, a instituição comprou módulos de aço construídos para moradia que deveriam ser utilizados para abrigar laboratórios de pesquisa. Os professores afirmam que esses "laboratórios de lata"não são adequados. O Câmpus de Diadema é mais um exemplo da gestão ineficiente do governo federal na área de Educação. Fazem tudo sem planejamento, sem saber se haverá verba suficiente para a execução.

Veja só caro leitor, o governo federal abriu o vestibular da Universidade Federal do ABC em prédios alugados! O que importa para o governo é ampliar o número de alunos, a qualquer custo. Não importa o funcionamento eficiente da universidade.

A UNIFESP divulgou a seguinte nota: "A situação financeira das universidades federais, que em 2014 foi sofrida, passa a ser ainda mais difícil, principalmente no caso da UNIFESP, em que o orçamento está aquém do porte da instituição".

Por que o orçamento está aquém? Falta de planejamento, má gestão.

A verba de que uma universidade necessita para funcionar bem depende, evidentemente, do seu número de alunos.

Caro leitor, as coisas ainda vão piorar: o governo vai congelar um terço de todas as suas despesas.

Bem, sejamos otimistas, afinal estamos saindo de um mundo de fantasias e entrando na hora da verdade.

Abraço.

ENEM X FUVEST

 ENEM X FUVEST

Alguns pedagogos condenam o conteudismo no ensino. Sem conteúdo, não chegaremos a nenhum lugar.

Olá.

Os professores de Matemática Márcio Cintra Goulart e Remo Alberto Fevorini enviaram-me considerações muito interessantes a respeito dos vestibulares do ENEM e da FUVEST.

Sabemos que o ENEM surgiu no governo de Fernando Henrique Cardoso com a finalidade de avaliar certas competências e habilidades adquiridas pelos alunos do Ensino Médio. No início gerou confusão. Havia professores por aí querendo dar aulas de competências e habilidades e, com razão, não sabiam como.

Uma ideia extremamente feliz do MEC transformou o ENEM no maior vestibular unificado do País. Os professores Márcio e Remo apontam texto do MEC: "Ao invés de testar a retenção de conteúdos das diversas disciplinas que compõe o currículo da Educação Básica, como fazem os vestibulares tradicionais, o ENEM exige que o aluno demonstre competências e habilidades na solução de problemas, fazendo uso dos conhecimentos adquiridos na escola e na sua experiência de vida". Ufa!

De uma maneira simples, os professores Márcio e Remo compararam uma questão do ENEM com uma questão da FUVEST. A questão do ENEM fala de um lavrador de Ribeirão Preto. A questão da FUVEST é de Geometria Analítica. As duas questões requerem habilidade para compreender textos e raciocínio. Conhecimentos exigidos pela questão do ENEM: as quatro operações. Pela questão da FUVEST: equação da circunferência, área do círculo, área do setor circular e área do triângulo.

Caros Márcio e Remo, não precisamos ir longe, basta perguntar a qualquer aluno que tenha feito as duas provas e ele dirá: FUVEST é mais difícil. Por quê? Porque exige mais conteúdo. Por quê? Para desenvolver o curso superior sobre uma base sólida de conhecimento.

Alguns pedagogos têm a mania de condenar o conteúdo. Sem conteúdo, não chegaremos a nenhum lugar.

Obrigado, Márcio e Remo.

Abraços.

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com