POLÍCIA COMUNITÁRIA NA USP

USP 300x127 POLÍCIA COMUNITÁRIA NA USP

A polícia terá entre 80 e 120 homens preparados para cuidar da segurança da USP.

Olá.

Em três anos foram feitas nove denúncias de ataques sexuais sofridos por alunos da USP. Três casos de estupro ocorreram na Praça do Relógio onde não existe nenhuma câmera de segurança.

Os alunos eram contra a presença da PM no Campus devido à truculência nas abordagens.

Com a morte de um estudante em 2011 (latrocínio), a reitoria resolveu solicitar a presença da PM.

Para não contrariar os estudantes, a USP e a Secretaria de Estado da Segurança Pública estão estudando um novo modelo de policiamento no Campus: a Polícia Comunitária que terá entre 80 e 120 policiais treinados especialmente para essa função. Serão instaladas 638 novas câmeras.

As autoridades estão animadas com a solução encontrada para a segurança da USP e pretende aplicá-las nas outras duas universidades estaduais de São Paulo.

Abraço.

PROUNI e CGU

 PROUNI e CGU

Antes prevenir do que remediar. O governo deveria fiscalizar o PROUNI para evitar falhas.

Olá.

Uma das características dos governos dos presidentes Lula e Dilma: dispõe das verbas, mas não fiscaliza a sua aplicação. Aí vem a Controladoria Geral da União (CGU) e aponta as falhas existentes na aplicação.

A seguir, algumas das falhas existentes no PROUNI:

- O número de bolsas ociosas (não ocupadas) passou de 15% para 25%, entre 2006 e 2012;

- Foram canceladas 4.421 bolsas para estudantes cujos rendimentos não atenderam aos itens do programa;

- Um dos requisitos para fazer parte do PROUNI é ter renda per capta familiar de até um salário mínimo e meio para bolsas integrais e até três salários mínimos para bolsas parciais. Segundo esse critério, em 2011 foram distribuídas 1.164 bolsas indevidas;

- É obrigatório que o estudante seja brasileiro. Foram encontrados 58 bolsistas não brasileiros;

- Foram encontrados 47 registros de pessoas mortas na condição de bolsista matriculado.

Assim como o CGU encontrou as falhas, deveria haver um órgão que fiscalizasse e evitasse as falhas.

Abraço

 

DEPOIS DAS FÉRIAS

 DEPOIS DAS FÉRIAS

Volta às aulas: momento para reflexões!

Olá.

As férias passaram rapidamente e as aulas estão aí. É um momento para reflexões. Se você atravessou o primeiro semestre ileso, sem nenhuma recuperação, com notas boas, prossiga no mesmo ritmo. Não se mexe em time que está ganhando. No entanto, se você não conseguiu ultrapassar certos obstáculos pelo caminho tais como recuperações e notas baixas, vale a pena prestar atenção no que se segue.

A aprendizagem se processa em dois tempos:

Primeiro tempo - Entendimento das aulas.

Chegue na escola dez minutos antes do início das aulas, disposto a aprender, bem dormido e bem alimentado.

Participe ativamente das aulas. O professor pergunta, você responde. Se tiver dúvida pergunte e o professor responderá.

A meta é: completado o período de aulas você deverá ter entendido todas as aulas.

Segundo tempo - Completar a aprendizagem.

Após a refeição, descanse uma hora e comece a estudar. Aula dada, aula estudada.

Como se estuda uma aula? Leia no material didático e reflita sobre os assuntos dados em aula. Resolva as questões propostas, anote as dúvidas para tirar no dia seguinte com seu professor e ou colegas. Se você não conseguir se concentrar para o estudo, procure orientação com seus professores, coordenadores e/ou com um psicólogo.

Supondo que você entendeu as aulas dadas, estimo que possa estudá-las em duas horas. Faça uma pausa no meio do estudo.

Eu já repeti tudo isso várias vezes: água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.

No começo vai ser difícil, mas se você insistir adquirirá hábito de estudo. Lembre-se de que na vida há tempo para tudo. A sabedoria está em conseguir distribuí-lo entre a escola, estudo em casa, esporte, família, amigos e lazer.

Seja feliz!

Abraço.

 

DISCIPLINA NAS ESCOLAS

Palmatória 300x225 DISCIPLINA NAS ESCOLAS

Não é permitido aos diretores selecionar seus alunos e nem fazer transferência de aluno indisciplinado.

Olá.

A imprensa tem divulgado casos extremos de indisciplina em escolas de Educação Básica da rede pública: desacato ao diretor, dano ao patrimônio público, assédio sexual a docentes, estupro de aluna de doze anos no banheiro da escola, espancamento de professora na saída da escola, invasão de banheiro feminino com câmera...

Alguns diretores, quando se deparam com caso grave de indisciplina, transferem o aluno para outra unidade.

O promotor do Grupo Especial de Educação afirma que a Constituição Federal garante igualdade de condições de acesso e permanência na unidade e acrescenta: “Ou a escola trabalha conceitos éticos e ensina a conviver para que problemas ocorram com menor frequência ou fica essa situação de jogar o problema de um lado para outro ". Resumindo: o promotor é contra a transferência compulsória do aluno.

Alguns diretores procuram selecionar seus alunos, fazendo entrevistas com pais e alunos. As autoridades são contra porque são prejudicados os alunos mais carentes.

Senhores diretores: é proibido a seleção de alunos e a transferência automática. Um dia, todos os alunos serão bem educados e a desigualdade social estará minimizada. Até lá, paciência com os alunos indisciplinados.

Abraço

AS ALTERNATIVAS DO FIES

 AS ALTERNATIVAS DO FIES

O FIES não vai financiar faculdades que reajustarem suas mensalidades acima de 6,4%.

Olá.

Todos os programas para conceder bolsas de pós-graduação estão paralisados à espera da definição do ajuste fiscal.

Quanto ao FIES, as faculdades particulares tentam dois caminhos:

- Propor ao MEC que apenas certos cursos tenham obrigatoriedade de nota mínima no ENEM (menor do que quatrocentos e cinquenta pontos);

- A FGV está estudando um novo modelo de financiamento privado com subsidio público. A ideia é trabalhar com taxas de juro do mercado. Por falar em taxas, o FIES não concederá financiamento às escolas que reajustarem suas mensalidades acima de 6,4%.

Crescem em importância os sistemas de financiamento privado, citados em textos anteriores.

Paciência, amigos, o governo vai gastar apenas o que tem. De nada adianta abrir universidades, criar o PROUNI, o PRONATEC e o Ciência sem Fronteiras e não ter dinheiro para a manutenção dos mesmos.

Abraço

COMO ESTÃO AVALIADAS AS NOSSAS UNIVERSIDADES?

USP1 300x127 COMO ESTÃO AVALIADAS AS NOSSAS UNIVERSIDADES?

A USP é top 50 em nove cursos pesquisados e top 100 em 29.

Olá.

Eu acho importante saber como nossas universidades estão avaliadas em relação às demais do planeta. Desta vez o ranking foi elaborado pela Quacquarelli Symonds (QS), prestigiada instituição.

Foram analisados 36 cursos, tomando por base índices de citação de pesquisas, além de estudos de reputação entre empregadores e acadêmicos.

A USP situa-se entre as cem melhores instituições do mundo em 29 dos 36 cursos analisados. É top 50 nos seguintes cursos: Odontologia (décimo oitavo lugar), Agricultura e Silvicultura  (vigésimo quarto lugar), Arquitetura (trigésimo terceiro lugar), Artes e Design (trigésimo quarto lugar), Ciências Veterinárias (trigésimo sexto lugar), Filosofia (trigésimo sétimo lugar), Farmácia e Farmacologia (quadragésimo sexto lugar) e Engenharia Civil e Estrutural (quadragésimo sétimo lugar).

A Unicamp colocou dezesseis cursos entre os cem melhores e três cursos são top 50: Odontologia (décimo sétimo lugar), Agricultura e Silvicultura (trigésimo lugar) e Engenharia Elétrica e Eletrônica (quadragésimo sétimo lugar).

As primeiras posições no ranking foram ocupadas por Harvard e Massachusetts.  Outras universidades federais brasileiras ficaram entre as cem melhores com um ou dois cursos.

Apesar das falhas que conhecemos e da falta de dinheiro, estamos bem situados com nossas universidades.

Agora vamos concentrar nossos esforços para recuperar o Ensino Básico.

Abraço.

BASE NACIONAL COMUM

Roberto Mangabeira Unger 300x211 BASE NACIONAL COMUM

Cuidado com as aulas complementares!

Olá.

O ministro Roberto Mangabeira Unger, da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE), vai mesmo apresentar proposta de diretrizes curriculares para a Base Nacional Comum da Educação, tarefa que cabe ao MEC.  Invasão de território! Bem, o que importa é que vai ser elaborado um novo currículo. Bom? Mau? Não sei.

Especialistas dizem que os atuais currículos exageram no conteúdo. O que vai ser definido? O que deve o aluno aprender nas várias etapas da Educação Básica?

Atualmente, algumas escolas oferecem mais do que o currículo tradicional. Incluem aulas de empreendedorismo, de coaching, aulas na cozinha, aulas interdisciplinares com a presença de dois ou três professores de disciplinas diversas, etc...

Essas aulas têm por finalidade criar motivação. O empreendedorismo desenvolve a capacidade de observação e a iniciativa. O coaching procura desenvolver o potencial do estudante, criando habilidades que o farão aumentar a performance e viver melhor.

Os pais querem fazer o melhor para os seus filhos, mas as vezes exageram com aulas complementares.  É preciso reservar tempo para o lazer do aluno . Cuidado!

Abraço

PROVAS PADRONIZADAS

  PROVAS PADRONIZADAS

Os relatórios das provas padronizadas prestarão grande ajuda aos professores.

Olá.

Felizmente a greve dos professores da rede estadual paulista de ensino acabou. O governo no seu Plano Estadual de Educação (PEE) garante que em poucos anos atenderá à reivindicação dos grevistas.

Temos uma novidade nas redes de ensino estadual e municipal de São Paulo: implementação de provas bimestrais padronizadas de Matemática e Português. Mais adiante, também de Ciências, pensando na OCDE com sua prova internacional de avaliação. Certamente, a fonte de inspiração é o modelo dos Sistemas de Ensino adotados por muitas escolas particulares e municipais.

Não é fácil aplicar provas padronizadas com sucesso. Por quê? Porque todas as escolas da rede devem lecionar as matérias das provas com o mesmo ritmo. Numa escola onde o professor atrasou com a matéria, imagine a bagunça, caro leitor.

Um relatório de cada prova pode ser de grande ajuda para o professor.

Vamos lembrar do valor pedagógico de uma prova que possibilita ao estudante localizar os seus pontos fracos para, em seguida, fortalecê-los. Aprendemos com os erros.

Há especialistas criticando o número de provas. Na minha opinião, provas bimestrais devem ser obrigatórias. É muito importante que o professor resolva a prova em classe.

É um projeto arrojado. Boa sorte!

Abraço

MAIORIDADE PENAL

  MAIORIDADE PENAL

Enquanto o povo brasileiro aguarda uma solução, desejamos a ele: boa sorte!

Olá.

Não dá para entender o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso. Por várias vezes criticou severamente o péssimo estado dos presídios brasileiros. Seiscentos mil presos estão amontoados em pequenas celas. Para acomodá-los com um mínimo de dignidade seriam necessárias oitocentos mil vagas.

O ministro está acusando o seu governo e a si próprio. Tiveram doze anos para construir os presídios necessários. Por que não construíram?

O povo brasileiro, na sua grande maioria, é a favor da redução da maioridade penal. Isso foi demonstrado por inúmeras pesquisas.

Foi encaminhado um projeto para a Câmara dos Deputados pedindo a redução da maioridade penal. O ministro Cardoso trabalhou intensamente junto aos deputados para que votassem contra. Conseguiu: por cinco votos o projeto foi rejeitado.

Qual foi o principal argumento do ministro? Temos aproximadamente quarenta mil menores infratores por ano. Onde colocá-los? Não temos vagas em presídios. Conclusão: teremos mais quarenta mil menores infratores por ano, com licença para matar.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, defensor da proposta, não se conformou com a derrota e entrou com nova proposta semelhante à primeira, com pequenas modificações. Foi aprovada, mas até transformá-la em lei teremos uma longa caminhada. Creio que voltamos para a estaca zero.

Claro, se todos os menores frequentassem uma Escola Básica eficiente e fossem encaminhados para escolas superiores ou técnicas, não estariam matando por aí. Quando conseguiremos isso?

O que o povo deseja? Uma solução até que as nossas diferenças sociais sejam resolvidas.

Até lá, boa sorte brasileiros!

Abraço

INCLUSÃO NA USP/2016

USP 300x127  INCLUSÃO NA USP/2016

Atualmente, 35% dos alunos vieram da escola pública. A meta é 50%.

Olá.

A qualidade de uma universidade depende da qualidade de seus alunos. Por isso, a USP nunca mediu esforços para elaborar vestibulares que selecionem os melhores alunos. Por isso, também, sempre foi muito cautelosa quanto à inclusão social.

Atualmente, a USP concede 20% de bônus para alunos da escola pública. Se forem negros ou indígenas, mais 5%; 35% dos alunos vieram da rede pública.

Para avançar na inclusão a USP oferecerá 13,5% das vagas pelo SISU, nos próximos vestibulares. O SISU utiliza as notas do ENEM. 10,5% dessas vagas serão destinadas a alunos da escola pública e 1% para candidatos pretos, pardos e indígenas. A ideia inicial era oferecer 15%, mas alguns cursos resolveram não ceder vagas para 2016. Por isso, 13,5%.

Abraço