IDEB – 2009, 2011 E 2013

IDEB 300x286 IDEB – 2009, 2011 E 2013

As coisas estão melhorando no Ensino Básico.

Olá.

Somente por meio de avaliações contínuas do conhecimento adquirido pelos alunos, poderemos ter ideia de como evolui ou não o Ensino Básico do País. De dois em dois anos, o MEC avalia o desempenho dos alunos por meio do Índice do Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).

O jornal O Estado de São Paulo solicitou à consultoria Merritt Educacional a análise do IDEBs de 2013 em relação a 2011 e 2011 em relação a 2009.

O resultado foi positivo: a média geral do País saltou de 4,0 em 2009 para 4,9 em 2013 no Fundamental I e 3,4 para 3,8 no Fundamental II.

 No entanto, a qualidade da Educação caiu em 294 municípios do País. Por quê? Corrupção e má gestão. O MEC libera verbas para as prefeituras, mas não fiscaliza a sua aplicação.

O MEC informou que o programa Mais Educação, em parceria com secretarias estaduais e municipais, prioriza, desde 2008, escolas com IDEB baixo, disponibilizando recursos para as escolas ampliarem a jornada com atividades extracurriculares.

A queda de desempenho pode ser punida com a Lei de Improbidade Administrativa.

Ânimo pessoal, as coisas estão melhorando no Ensino Básico.

Abraço.

LITERATURA NA FUVEST

FUVEST LITERATURA NA FUVEST

A prova de literatura da Fuvest se baseia exclusivamente em nove obras literárias.

Olá.

As provas de Português dos mais importantes vestibulares incluem três disciplinas: Língua Portuguesa, Literatura e Redação.

A prova de Literatura da Fuvest tem características diferentes das demais porque as questões avaliam exclusivamente o conhecimento das nove seguintes obras literárias (relação válida para o vestibular de 2016):

- Viagens na minha terra – Almeida Garret;

- Til – José de Alencar;

- Memórias de um sargento de milícias – Manuel Antonio de Almeida;

- Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis;

- O cortiço – Aluísio de Azevedo;

- A cidade e as serras – Eça de Queirós;

- Vidas secas – Graciliano Ramos;

- Capitães de areia – Jorge Amado;

- Sentimento do mundo – Carlos Drummond de Andrade.

Na minha opinião fornecer a relação de obras torna as coisas mais fáceis para o estudante, mas é preciso ler as obras e refletir sobre elas.

A Fuvest costuma manter a relação por três anos. No quarto ano substitui três obras.

Aí vai a minha sugestão: se você está no primeiro ou segundo ano do Ensino Médio, comece a ler as obras. Será possível terminar a leitura até o vestibular. Agora, se você está no terceiro ano ou já terminou o Ensino Médio, recorra às análises das obras que cursinhos costumam publicar. Não é o mesmo que ler, mas quebra o galho.

Até 2015, a Unicamp adotou essa mesma relação de obras. Para 2016, adotará uma nova relação, serão doze obras, algumas em comum com a Fuvest.

Agora uma crítica: por que duas coleções? Só para complicar a vida do aluno? O programa de vestibular já é suficientemente vasto...

Abraço.

 

O VESTIBULAR DE INVERNO NA UNESP

Unesp1 300x145 O VESTIBULAR DE INVERNO NA UNESP

A UNESP é a única das três universidades do Estado de São Paulo que realiza o vestibular de inverno.

Olá.

A Universidade Estadual Paulista (UNESP) realizou o seu vestibular de inverno. 6.636 candidatos concorreram a 360 vagas para as unidades de Bauru, Dracena, Ilha Solteira, Registro e Sorocaba.

Cursos oferecidos: Agronomia, Zootecnia e Engenharias Ambiental, Civil, Controle e Automação, Produção, Elétrica e Mecânica.

O curso mais disputado foi Engenharia Civil em Ilha Solteira com 48,4 candidatos por vaga. A seguir, Engenharia de Produção com 42,3 candidatos por vaga.

A UNESP garante 25% das vagas de cada curso, no mínimo, para alunos que tenham feito o Ensino Médio em escola pública.

Os candidatos realizaram provas de Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática, Linguagens e Códigos e Redação.

A UNESP é a única das três universidades do Estado de São Paulo que realiza o vestibular de inverno. Vale lembrar que a UNESP aderiu ao sistema SISU (Sistema de Seleção Unificada).

Parabéns aos alunos que conquistaram suas vagas na UNESP. Quem não conseguiu conseguirá no fim do ano.

Abraço.

 

ADEUS DOUTOR TIBA

Doutor Tiba 291x300 ADEUS DOUTOR TIBA

O caminho para a independência na vida adulta passa pela autonomia didática no Ensino Fundamental.

Olá.

Registro aqui homenagem ao educador e psiquiatra Doutor Içami Tiba, falecido recentemente aos 74 anos de idade.

Palavras do Doutor Tiba: “A arte de ser mãe e pai é desenvolver os filhos para que se tornem independentes e cidadãos do mundo”. Concordo plenamente com o Doutor Tiba: devemos preparar nossos filhos para que, quando adultos, pilotem suas vidas com autonomia.

Durante a fase de Educação Infantil e Ensino Fundamental os estudantes em casa são orientados ou pela mãe ou pelo pai ou por nenhum dos dois, que trabalham. Relatório divulgado pela Organização Mundial Men Care revela que o envolvimento do pai na educação é fator fundamental para o desenvolvimento dos filhos.

O exercício da autonomia na vida começa com o exercício da autonomia didática a partir da Educação Infantil. Meta: chegar na faculdade com autonomia didática, não dependendo do didatismo do professor.

Senhores pais, nos primeiros anos de estudo deixem o filho errar e descobrir porque errou. Não façam a lição por ele. Aos poucos aprenderá a entender o que lê. Chegará no Ensino Médio com capacidade de ler e entender os assuntos dados em aula. É esse o caminho para o estudante atingir a independência programada pelo Doutor Tiba.

Doutor Tiba, que Deus o tenha em bom lugar como recompensa pelo seu trabalho construtivo na Terra.

Abraço.

PUC-SP

 PUC SP

A PUC-SP fez acordo com seus professores para pagamento de reajuste salarial de 2005.

Olá.

A PUC- SP tem um histórico de dificuldades financeiras, mas em 2005 estourou a maior crise de sua história. Não pagou o reajuste salarial de 7,66% e desligou 30% de seus funcionários e professores. Enfrentou grandes batalhas na Justiça do Trabalho. A PUC tentava equilibrar as suas finanças.

Os piores momentos da crise foram superados, mas os professores têm reclamado de problemas de gestão. Em dezembro do ano passado, com a finalidade de equilibrar a folha de pagamentos, a universidade demitiu cinquenta professores e trinta e cinco funcionários técnico-administrativos. Pretendia, assim, fazer mais investimentos em pesquisa. Os alunos reagiram, ocupando a reitoria.

Voltando ao reajuste de 7,66% que não foi pago em 2005, foi feito um acordo: de um lado o Sindicato dos Professores (SIMPRO-SP) e a Associação dos Professores da PUC- SP; do outro lado, a Fundação São Paulo, mantenedora da universidade. O acordo homologado na Justiça do Trabalho contém todas as condições de pagamento do reajuste de 2005. Em alguns casos, levará dez anos.

A Associação dos Professores da PUC-SP  considera o acordo uma vitória dos docentes.

Parabéns, PUC – SP. Apesar dos problemas financeiros, conservou o brilho de ser uma das melhores universidades particulares do País.

Abraço.

FUVEST 2016

FUVEST FUVEST 2016

O candidato bem preparado pode ficar tranquilo.

Olá.

Entre 21 de agosto e 09 de setembro estarão abertas as inscrições para o vestibular da FUVEST, um dos mais importantes do País. Seleciona alunos para os vários cursos da USP e para a Medicina da Santa Casa.

Serão oferecidas 11.057 vagas para cursos das áreas de Exatas, Biológicas e Humanas. 9.568 vagas serão disputadas pelo vestibular da Fuvest e 1.484 pelo SISU, que seleciona por meio das notas do ENEM.

O vestibular da Fuvest é realizado em duas fases. A primeira fase seleciona alunos para a segunda, em média, aproximadamente, na proporção de três candidatos por vaga.

A prova de primeira fase será realizada no dia 29 de novembro. Noventa testes envolverão oito disciplinas: Português, Matemática, Física, Química, Biologia, História, Geografia e Inglês.

Para ter uma ideia aproximada do número de candidatos por vaga, por carreira, basta consultar Fuvest 2015 na internet. O mesmo vale para a nota mínima por carreira (nota de corte) para passar para a segunda fase, de anos anteriores.

Provas da segunda fase: 10 de janeiro – Português e Redação; 11 de janeiro – Matemática, Física, Química, Biologia, História, Geografia e Inglês; 12 de janeiro – prova específica de acordo com a carreira.

As questões da primeira fase serão em forma de teste enquanto na segunda, em forma de questões escritas.

Agora eu me dirijo aos estudantes que vão realizar Fuvest 2016: se você se preparou para esse vestibular, vá tranquilo. Serão questões muito bem elaboradas, sem pegadinhas, que certamente selecionarão os alunos mais bem preparados.

A relação das provas de Habilidade Específica para certas carreiras, pode ser encontrada no site da Fuvest.

Abraço.

MAIS MÉDICOS?

 MAIS MÉDICOS?

O CREMESP entrará na justiça para tentar impedir a abertura dos novos cursos.

Olá.

O governo federal não muda, continua o mesmo. O importante é ter Mais Médicos. A qualidade dos serviços prestados à população é coisa secundária. Por isso o SUS tem sido criticado diariamente, sem respostas.

No último dia dez, o governo federal anunciou os nomes das instituições privadas escolhidas para abrir 2.290 novas vagas. O edital é muito claro: fixa o número de leitos públicos, programa de residência e hospital de ensino.

O jornal O Estado de São Paulo resolveu verificar se os municípios convidados têm condições de receber novos leitos (reportagem de Fabiane Cambricoli e Victor Vieira) e constatou que nove entre os onze municípios pesquisados não cumprem requisitos básicos de infra estrutura exigidos pelo edital.

O presidente da Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM), Sigisfredo Brenelli, publicou carta à comunidade acadêmica contra a escolha dos municípios: “ Na formação  médica o aluno tem que lidar com todos os cenários de aprendizagem, desde a atenção básica até em hospital universitário. Ter hospital de ensino e programa de residência, indicam que o local tem profissionais com a qualificação mínima para ensinar”.

O presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP), Bráulio Lula Filho, afirma que o órgão entrará na justiça para tentar impedir a abertura dos cursos.

No programa Mais Médicos, desde o princípio, a presidente Dilma agiu contra a orientação da classe médica.

Abraço.

RELATÓRIO DO ENEM 2014

enem 300x200 RELATÓRIO DO ENEM 2014

Os alunos de classe sócio-econômica elevada tiveram nota mais alta.

Olá.

O instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (INEP) publicou os resultados por escola dos alunos que realizaram o ENEM 2014.

Os dados fornecidos indicam a média de cada escola em função do desempenho de seus alunos que fizeram o exame. Fornecem também informações sobre o nível sócio - econômico das escolas, número de alunos e porcentual de alunos que fizeram todo o ensino médio na mesma escola.

Para fazer parte do ranking as escolas tiveram que atender a duas condições: pelo menos dez alunos deveriam ter participado da prova e esse número deveria ser 50% do número de alunos matriculados na escola.

Foram feitas duas classificações: escolas com menos de 90 participantes (primeiro lugar- Objetivo Integrado – São Paulo – 42 alunos) e escolas com mais de 90 alunos participantes ( primeiro lugar- Móbile SP- 120 alunos).

As escolas particulares têm nota 14% maior do que as públicas. Das cem melhores escolas do País, 29 são de São Paulo. As escolas técnicas são as melhores entre as públicas. A melhor escola da rede pública de São Paulo, excluindo as técnicas é a escola Professor Eduardo Velho Filho, de Bauru ( 457 lugar). É escola de tempo integral. Os alunos de condição sócio – econômica elevada têm nota maior.

Senhores pais, a classificação no ranking do ENEM é apenas um dado para escolher escola para seus filhos. Deve ser utilizado com muito cuidado. Outros dados: conversa com alunos e professores da escola, com o coordenador, porcentagem de aprovação, muito ou pouco exigente em relação à participação dos alunos.

É preciso encontrar uma escola que se ajuste ao perfil de seus filhos. Ele é estudioso ou não? Se não for, estará disposto a ser?

Abraço.

 

O PROGRESSO DAS FACULDADES PARTICULARES

 O PROGRESSO DAS FACULDADES PARTICULARES

As faculdades particulares enriquecem e os professores empobrecem.

Olá.

As faculdades particulares do país têm melhorado as suas condições financeiras. No entanto, o gasto com o corpo docente não têm acompanhado a evolução financeira das escolas.

A  melhora da situação financeira é atribuída à alta das mensalidades e, principalmente, ao Financiamento Estudantil (FIES). Na Kroton, aproximadamente 60% dos alunos têm Fies.

Apesar disso os grandes grupos educacionais de ensino superior com ações na bolsa (Kroton, Anima, Estácio e Ser) têm destinado para os professores cada vez menos recursos. Em 2010, em média, 45% da renda líquida e em 2014, apenas 35%! As quatro empresas, nesse mesmo período, tiveram em média um aumento de 201% na renda líquida.

A Federação dos Professores do Estado de São Paulo (FEPESP) solicitou à consultoria de Oscar Malvessi, professor da FGV, que analisasse os dados publicados pelas quatro instituições de capital aberto, publicados anualmente em seus balanços contábeis. O presidente da FEPESP, Celso Napolitano declarou: “Essa grande lucratividade resultou em enxugamento dos gastos com o corpo docente em detrimento das condições do trabalho e da qualidade de ensino”. Com poucas exceções, o Magistério é uma profissão desvalorizada em todos os níveis de ensino.

Caro leitor, se você quiser dados mais detalhados do estudo do professor Malvessi, veja matéria publicada no Jornal O Estado de São Paulo, dia 28 de julho, de autoria de Roberto de Toledo, Paulo Saldaña e Rodrigo Burgarelli.

Abraço.

POLÍCIA COMUNITÁRIA NA USP

USP 300x127 POLÍCIA COMUNITÁRIA NA USP

A polícia terá entre 80 e 120 homens preparados para cuidar da segurança da USP.

Olá.

Em três anos foram feitas nove denúncias de ataques sexuais sofridos por alunos da USP. Três casos de estupro ocorreram na Praça do Relógio onde não existe nenhuma câmera de segurança.

Os alunos eram contra a presença da PM no Campus devido à truculência nas abordagens.

Com a morte de um estudante em 2011 (latrocínio), a reitoria resolveu solicitar a presença da PM.

Para não contrariar os estudantes, a USP e a Secretaria de Estado da Segurança Pública estão estudando um novo modelo de policiamento no Campus: a Polícia Comunitária que terá entre 80 e 120 policiais treinados especialmente para essa função. Serão instaladas 638 novas câmeras.

As autoridades estão animadas com a solução encontrada para a segurança da USP e pretende aplicá-las nas outras duas universidades estaduais de São Paulo.

Abraço.