13 fev as 19h39

bento 16 Monarcas, assim como o Papa, deviam ter prazo de validade

Seria bom que a renúncia de Bento XVI, ao abrir um precedente de mais de 600 anos, fizesse refletir outros monarcas longevos que andam por aí.

Pode ser que o próprio Ratzinger, aliás, tenha sido influenciado pela recente decisão da rainha Beatriz, da Holanda, de passar a coroa para seu filho Guilherme.

Monarcas não gostam de abdicar, o que torna ainda mais surpreendente o gesto do Sumo Pontífice de Roma.

Os ingleses adoram sua rainha, que reina desde 1953 (popularidade de 69% em pesquisa do ano passado), mas é legítimo perguntar se 60 anos de reinado já não seriam suficientes para reservar a Elizabeth II um confortável lugar na História – e em algum refúgio do countryside.

Rija como está, é bem possível que venha a ser sucedida não por seu filho, Charles, nem mesmo pelo seu neto, William, e sim pelo bisneto que virá a nascer este ano.

Foi assim como Luís XIV, no início do século XVII.  Luis XV era bisneto dele.

Voltando à renuncia do Papa: era uma hipótese tão remota que a única vez em que foi  aventada veio à luz como comedia, e não como o drama em que compreensivamente se converteu.

Foi no filme Habemus Papam, do italiano Nanni Moretti, de 2011. O Papa eleito (Michel Picolli) entra em crise existencial logo depois de eleito e tem de ser acudido por um psicanalista e uma psicanalista.

O final – que não conto aqui – é desconcertante.

 

Veja mais:

+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

 

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • del.icio.us
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Digg
  • Facebook
  • Netvibes
Comente

"Monarcas, assim como o Papa, deviam ter prazo de validade"

13 de February de 2013 às 19:39 - Postado por fcdsantos

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.