No brasil, governar é dar desconto

Governar e legislar (e julgar) neste País vem se tornando uma interminável gincana de bizarrices. A última parafernália republicana vem de Campinas, interior de São Paulo, onde um vereador criou (e o prefeito aprovou) uma lei que obriga restaurantes a dar 50% de desconto para quem fez a famosa operação de redução de estômago. Juro.

Como se sabe, quem faz a tal cirurgia bariátrica (e sobrevive a ela) vê seu apetite reduzido drasticamente. Glutões que antes dragavam panelas de comida passam a se saciar com pequenas rações diárias. E, em sua maioria, quando vão comer fora, não dão conta das porções que os garçons trazem à mesa (a não ser aquelas mixarias caríssimas da chamada alta gastronomia). Fato.

Pois bem. E o que o vereador, o prefeito, os munícipes e, principalmente, o dono da churrascaria têm a ver com isso? A princípio, imagina-se, nada. Mas por princípio instalado em nosso Estado que faliu, tudo.

Como nossos governantes têm-se mostrado incapazes de justificar suas dispendiosas existências, o desafio deles ultimamente se resume a transferir responsabilidades. Com multas. No caso do vale-estômago, a fiscalização será feita pelo Procon, e o empresário que descumprir a mamata vai morrer com R$ 469,80.

A nova regra vale para restaurantes e estabelecimentos similares que sirvam pratos à la carte e serviços de rodízio. Ficam de fora a comida a quilo, bebidas e sobremesas. Lanchonetes não são obrigadas a cumprir a lei. Entendeu a relevância social da iniciativa?

O vereador Francisco Sellin (PMDB), autor da esmola com o caixa alheio, pensou em tudo. Para conseguir o benefício, o cliente deverá comprovar que passou pela redução de estômago, apresentando um laudo ou declaração assinada por um médico - que deve ser inscrito no Conselho Regional de Medicina (porque o troço é sério, né?).

Ah, tá. Sem entrar muito em detalhes sobre a brilhante ideia, dá pra imaginar espertinhos falsificando atestados ou, singelamente, pedindo pra embrulhar a sobra para levar pra casa. Gentileza gera gentileza.

Mesmo que isso não ocorra (afinal, brasileiro dá muito valor a essa história de benefício), é o caso de perguntar: aonde vai parar essa mania de repassar para a esfera privada o que, caso fosse, seria um problema público?

Se a prefeitura de Campinas acha que ex-gordinhos devem receber tratamento especial em rodízios de carne, que o faça, mas com dinheiro do contribuinte. E pague pra ver o que a população vai achar disso. Provavelmente, se a meia-entrada de cinema ou shows fosse paga com impostos, muita gente seria contra a carteirinha de estudante.

E por aí vai. Sem parar. O que nos cabe perguntar nessa farra do boi é: quando nossos mandatários vão voltar a ser ocupar com estradas, hospitais, escolas, creches? Justiça social não se faz com desconto. Já nos bastam as cotas. Quando seremos um País por inteiro?

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

6 Comentários

"No brasil, governar é dar desconto"

21 de December de 2012 às 09:27 - Postado por Juliana

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Natan
    - 07/01/2013 - 17:24

    Muito legal o texto, Chega de senso comum. Os ricos podem beber, dirigir, pagar multa e matar, que nada acontece, já os pobres.........

    Responder
  • Elizabeth
    - 31/12/2012 - 09:09

    Este texto mostra a total ignorância de quem o escreveu! A obesidade é um problema serio no pais e nao deve ser tratada com descaso. O obeso sofre muito e eh uma DOENÇA! Além disso, nao só os glutões como aqui dito passam por esta cirurgia. Tenho cirurgia semelhante, em virtude de DIABETES! Em restaurantes, consigo comer no maximo 2 camarões peq/médios com meia batata soute ou 1 colher de sopa rasa de arroz. Acha justo pagar o mesmo valor? Ou terem pratos no cardápio que façam meia porção? (50% e nao os 70% cobrados atualmente? Lamentável seu post. Se informe mais a respeito das gastroplastias redutoras e suas indicações!

    Responder
1 2 3
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com