Maga Patas ao Alto1 Tratar e prevenir leishmaniose são obrigações do governo. Não somos culpados!

Em tempo de protestos, tenho muitas reivindicações a fazer. Vou começar pela saúde.

Em primeiro lugar, quero questionar a ausência de um plano eficaz do governo para acabar com uma doença gravíssima, que fugiu do controle do Ministério da Saúde: leishmaniose.

Existem vacinas a ser dada no cão. Por que o governo não patrocina essa vacinação?  Por que não disponibiliza testes eficazes da doença gratuitamente? Pois fica mais barato matar o bicho contaminado.

Embora a doença tenha tratamento, o Ministério da Saúde quer que você mande seu cão para a morte.

Muitos foram mortos e nada adiantou. A doença se alastra pelo País. De acordo com Marcos Ciampi, da ONG Arca Brasil, de 2010 a 2011, a leishmaniose matou mais do que a dengue em nove estados brasileiros.

Que fique claro aqui, a doença NÃO é transmitida por cães a outros animais ou a humanos por contato nem lambidas. Pega-se leishmaniose pela picada de um mosquito infectado, chamado flebótomo ou “mosquito palha”.

Uma vez que o cão é picado, ele se contamina com o protozoário. Se um mosquito fêmea picar o cão, contamina-se também. E se essa mosquita safada picar o humano, ele fica doente.

Espie minha página no Facebook!

Ciampi conta que uma decisão judicial invalidou a portaria do Ministério que proibia o tratamento de cães contaminados. Sim, chegaram a proibir que nos tratássemos.

— O Brasil está na contramão das condutas mundiais. Os cães são mortos com base em exames pouco confiáveis e existem milhares de resultados falsos positivos

Para o diagnóstico, usa-se sorologia comum, que também detecta a doença do carrapato. Ciampi conta que, em Minas Gerais, cerca de 70% dos cães que foram mortos não tinham leishmaniose.

Essa nova decisão permite que os proprietários e clínicas particulares façam o tratamento, que não é barato.

Mas o Ministério da Saúde, que deveria fornecer remédios e promover... saúde, continua patrocinando a morte de cães.

Desde 1960, países europeus tratam e controlam a doença. Leishmaniose não tem cura, mas com remédios os sintomas desaparecem, e o cão vive feliz como outro qualquer.

Como prevenir? Fontes: Arca Brasil e WSPA

-  Há vacinas que impedem a ação do mosquito. Ciampi cita as duas disponíveis nas clínicas veterinárias particulares: Leishmune (Zoetis) e LeishTec (Hertape)

- Repelentes para passar no cão podem ajudar, bem como uma coleira que repele o mosquito. Só procurar nas lojas especializadas.

- Não acumule lixo, que atrai o mosquito. Fezes devem ser recolhidas imediatamente!

- Evite passear no final de tarde, quando o mosquito gosta de atacar

- Tenha em casa plantas repelentes, como citronela e neem

Quais os sintomas? Fonte WSPA

- Perda de apetite

- Emagrecimento rápido

- Feridas na pele, principalmente no focinho, orelhas, articulações e cauda (que demoram a cicatrizar)

- Pelos opacos, descamação e perda de pelos

- Crescimento anormal das unhas

- Aumento abdominal, com barriga inchada, pelo aumento do fígado e do baço

- Problemas oculares, como vermelhidão e secreção

- Diarreia, vômito e sangramento intestinal

Veja mais

 + Irã proíbe cães de passear e os ameaça de morte

+ Criança explica o porquê não quer comer polvo icon biggrin Tratar e prevenir leishmaniose são obrigações do governo. Não somos culpados!

+ Cão sem um olho demonstra gratidão pela humana que salvou sua vida

+ Curtiu o blog? Vire nosso amigo no Facebook!

+ Sigam-me os bons!

http://r7.com/Iz_u