Uma dúvida persiste entre os falantes de Português, no Brasil. Afinal, de acordo com as regras gramaticais, qual é a forma correta: "Ele tinha chego" ou "Ele tinha chegado"? Pra gente começar a conversa, precisamos entender por que alguns verbos assumem mais de uma forma de conjugação.

Já ouviu falar em verbos abundantes?

Segundo os principais dicionários e gramáticas, verbos abundantes são os verbos irregulares que apresentam mais de uma forma de conjugação equivalente para o mesmo tempo e pessoa. No caso de "chego" e "chegado", estamos falando de formas equivalentes de particípio.

E o fato gramatical é: o verbo CHEGAR não apresenta particípio abundante, ou seja, não possui duas formas equivalentes. Portanto, o correto é CHEGADO; e não chego. No caso que citamos no início deste texto, o adequado é "Ele tinha CHEGADO".

Mas por que tanta gente acaba usando construções como "Ele tinha chego"?

Como verificamos, alguns verbos possuem formas equivalentes. No caso do particípio, são abundantes os verbos: expulsar, pagar, ganhar e salvar, por exemplo. Por essa razão, são aceitas as construções: "Ele foi expulso da escola" e "O boleto foi pago".

Então, por que o desvio gramatical acontece? Um dos prováveis motivos é o de que o falante faz analogia (comparação) ao termo e emprega a mesma forma em outros verbos similares. Se eu digo, "ele tinha salvo o arquivo" (correto), posso dizer, também, "ele tinha chego em casa" (incorreto).

Se eu digo, "O projeto foi aceito pela diretoria" (correto), vou dizer "Ele tinha trago os sapatos" (incorreto). Pela simples comparação, o usuário faz novas construções que, inicialmente, não existem na gramática.

E tem outro detalhe: uma das formas do particípio é igual ao presente do indicativo. Veja só:

Eu trago quem quiser na minha casa. (correto: presente do indicativo)
Ele tinha trago à festa todos os amigos. (erro: particípio do verbo “trazer” - não abundante)

Verifique alguns exemplos de verbos abundantes que possuem duas formas de particípio:

  • ACENDER - acendido, aceso
  • ACEITAR - aceitado, aceito
  • CORRIGIR - corrigido, correto
  • ELEGER - elegido, eleito
  • EXPULSAR: expulsado, expulso
  • ENTREGAR - entregado, entregue
  • EXTINGUIR - extinguido, extinto
  • FIXAR - fixado, fixo
  • FRITAR - fritado, frito
  • LIMPAR - limpado, limpo
  • PRENDER: prendido, preso
  • SALVAR: salvado, salvo
  • SOLTAR: soltado, solto

Percebemos, por meio da analogia, a formação de novas construções. Fique atento às duas formas de particípio aceitas pela gramática. Saber analisar as características brasileiras do Português é muito importante. E ter o conhecimento das normas vigentes, também. Como sempre digo, o mais bacana é saber qual a situação adequada para o uso formal e informal do idioma.

http://r7.com/2Sw_