Confira o texto que estava em um edital do Ministério da Educação:

"(...) ao ano são 198 viagens (16,5*12) e sendo a média de 10 pessoas por viajem, se chega a um total anual de 1980 transportes que a um gasto médio estimado de R$100,00 por viajem (ida e volta com 2 refeições e 2 bebidas) se chega a R$198.000,00 (1980*100) (...)"

A grafia correta para designar o substantivo que tem o significado de um "deslocamento que se faz para se chegar de um local a outro, relativamente distante" é VIAGEM, com "G".

Depois desse erro ortográfico e de outras reclamações em relação ao conteúdo e aos valores apresentados, o ministro da Educação, Mendonça Filho, ordenou o cancelamento do edital de licitação para a prestação de serviços de alimentação, durante viagens de trabalho, em aeronaves da Força Aérea Brasileira.

O MEC, por meio de assessoria de imprensa, informou que o processo para o edital tramitava desde 2014 e que o ministro Mendonça Filho não sabia dos problemas existentes.

Todos podem cometer erros ortográficos. Isso acontece. Não tem jeito. Porém, o texto de um edital precisa passar por procedimentos sérios e competentes de revisão, ainda mais vindo de nosso Ministério da Educação. Um erro ortográfico tão evidente não pode passar.

http://r7.com/ETjZ