Um verdadeiro show de horror com o Português!

No dia 17 de abril de 2016, data histórica para a política do país, os deputados brasileiros mostraram o quanto precisam estudar o nosso querido Português.

Os representantes da população, deveriam, em um momento como esse, dar um bom exemplo em relação ao uso adequado do idioma. Afinal, a votação realizada hoje, na Câmara dos Deputados, contou com um altíssimo grau de importância e seriedade para a sociedade brasileira.

A votação foi transmitida por praticamente todos os meios de comunicação, na TV, na Internet e no Rádio, ou seja, chegou a milhões de pessoas, de todas as classes sociais, no Brasil inteiro. Portanto, o contexto era amplamente formal, e os homens públicos deveriam se preocupar com o uso adequado do registro idiomático padrão, na perspectiva da oralidade.

Vejam alguns exemplos dos desvios gramaticais cometidos pelos nobres deputados brasileiros:

  • "Vinte e um sem terra foi assassinado"
  • “Pelos evangélico”
  • “Vemos os governo cerceado de seus direito”
  • “Pelos picareta”
  • “Por tudo que Luma e Dilma fez pelo Brasil”
  • “Pelos corretor de seguro”
  • "Em nome de milhares de mineiro"
  • "Em homenagem àqueles que lutaro"
  • “A juventude ocupou dezenas de escola”
  • "Em respeito às instituição democrática"
  • “Um dos representante do Estado de São Paulo”
  • “Vários que estão aqui acha que a Constituição...”
  • “Com isso, ocorre a perca total”
  • “Muito dos nosso estudante, não consegue estudar”
  • “Pra que essa casa seja passado a limpo”
  • "Em nome de milhão de brasileiro"
  • "Eu voto contra a democracia desses cara"

Repito: o contexto de uso da língua, na referida votação, era amplamente formal. Isto quer dizer que os deputados deveriam se preocupar, e muito, com uma boa comunicação, tanto no que diz respeito à educação e a cordialidade no momento de falar, como no que concerne à gramática do Português. Recomendo a eles, portanto, um curso intensivo de Língua Portuguesa.

Nesta noite histórica, dia 17 de abril de 2016, às 23h07, o "sim" ganhou. Daqui para frente, a questão é política e jurídica: votação no Senado Federal, possível afastamento, julgamento e veredicto. Entretanto, hoje, quem perdeu foi a educação brasileira. Uma grande parcela de nossos parlamentares deu uma aula de como não se comunicar adequadamente. Foi um péssimo exemplo.

Por uma educação de qualidade em todas as escolas, por representantes mais educados, qualificados e competentes e pelo Português Brasileiro, VOTO SIM!

http://r7.com/3Zl5