Leciono disciplinas voltadas para a prática de produção textual há 11 anos. E não tenho dúvida alguma: o uso “correto” da vírgula é o principal problema dos alunos.

É comum ouvir que a vírgula é uma marcação usada para identificar a pausa e a respiração na leitura de um texto. Essa ideia, ainda que tenha um aspecto intuitivo interessante, está longe de resolver os problemas de uso da pontuação em textos.

Se o autor de um texto colocar uma vírgula em todas as pausas e em cada “respiração”, o entendimento ficará complicado. Na internet, você encontra diversos exemplos e piadas sobre o assunto. Veja:

1. A vírgula pode ser uma pausa; ou não.
Não, espere.
Não espere.

2. A vírgula pode ser uma solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

3. A vírgula pode mudar uma opinião.
Não quero saber.
Não, quero saber.

Você pode achar mais centenas de exemplos. Já pensou se a vírgula fosse, realmente, a marca de uma respiração? Como ficaria o texto de quem “respira” a cada palavra?

“Sempre, que, respiro, coloco, a, vírgula, para, marcar, foi, minha professora, que, disse.”

Não fica bom, não é verdade? Mas como resolver esse problema?

É necessário entender que a pontuação é um código linguístico utilizado para facilitar a leitura. Para fazer um uso adequado desse código, deve-se compreender as características sintáticas da língua. Lembra de sujeito, verbo, predicado, complemento, adjunto, objeto, aposto e vocativo?

Se você quiser colocar vírgulas adequadamente em seu texto, será necessário lembrar da temida análise sintática. Pra quem não sabe, a sintaxe cuida da organização dos elementos nos períodos. De modo geral, a vírgula identifica:

  • a inversão da ordem direta da frase;
  • a intercalação de elementos que interrompem a leitura do enunciado;
  • a omissão de alguns elementos subentendidos;
  • a ênfase.

Separei alguns exemplos para iniciarmos o diálogo:

1. NUNCA SEPARE O SUJEITO DO PREDICADO COM VÍRGULA
Ex.: A leitura e a análise sintática (sujeito) são fundamentais para o entendimento do uso da vírgula. (predicado)

2. USE A VÍRGULA EM CASO DE APOSTO
Ex.: Roberto Carlos, famoso cantor brasileiro, cantou neste evento.
Obs.: Aposto é a expressão que explica ou dá especificação a outro termo da frase.

3. USE A VÍRGULA EM CASO DE VOCATIVO
Ex.: Querido amigo, ouça meu conselho
Obs.: Vocativo é o termo utilizado para chamar a pessoa com quem se fala.

Usar a vírgula não é tão complicado assim. Você só precisa identificar os elementos sintáticos expostos no período. O primeiro passo é ter o conhecimento dos termos essenciais da oração: sujeito e predicado. Em seguida, entender a função do verbo. Depois disso, o estudo caminha melhor.

No texto de hoje, passei apenas alguns exemplos. Para que você tenha um entendimento completo, é preciso ler, estudar e escrever, isto é, praticar a produção de texto de todas as formas.

Repito: a vírgula não é uma marcação que serve para pontuar a respiração.

"Se, fosse, assim, quem, respira, muito, enquanto, pensa, antes, de, escrever, não, conseguiria, de, forma, alguma, colocar, a, vírgula, corretamente."

http://r7.com/mgwO