Rosana Hermann

Comentários

Feed RSS para comentários sobre este post.

O URL de TrackBack deste post é: http://noticias.r7.com/blogs/querido-leitor/me-sinto-contente-tao-contente-que-e-quase-um-descabimento/2013/02/19/trackback/

  1. crônica muito bem escrita e tão leve... muito bacana.

    fiquei feliz de ler.

    fala, Caetano:

    "Gosto de sentir a minha língua roçar
    A língua de Luís de Camões
    Gosto de ser e de estar"

    beijos!

    Comentário por Cláudio Rúbio — 19/02/2013 em 11:07 AM

  2. Amei!!! Concordo plenamente.
    E a música da Gal é o máximo.

    Comentário por nicole puzzi — 19/02/2013 em 11:11 AM

  3. Rosana!

    Amo seus textos, são das coisas raras que existem nessa internet a fora que me fazem pensar e refletir. Não sei se porque me identifico muito com o seu modo de pensar ou se a coincidência de estar pensando a mesma coisa.
    Mas queria te agradecer por isso. Por me fazer pensar e refletir!

    Obrigada

    Comentário por Luciana Pereira (@LuMetal) — 19/02/2013 em 12:35 PM

  4. Rosana, sempre a li, mas nunca comentei seus textos, embora muitas vezes os tenha achado sensacionais, porém esse último não poderia passar em branco. Gosto da maneira como escreve indo daquilo que parece fútil à questões existenciais sempre com propriedade e imprimindo seu toque. Parabéns pelo pelo trabalho árduo e criativo e por nos presentear com pequenos toques de realidade. Abraços.

    Comentário por Jefferson — 19/02/2013 em 7:14 PM

  5. Me lembrou do Gil, também na voz da Gal, o barato total:

    Quando a gente tá contente
    Tanto faz o quente
    Tanto faz o frio
    Tanto faz
    Que eu me esqueça do meu compromisso
    Com isso e aquilo que aconteceu dez minutos atrás

    Dez minutos atrás de uma idéia já dão
    Pra uma teia de aranha crescer
    E prender
    Sua vida na cadeia do pensamento
    Que de um momento pro outro começa a doer

    Quando a gente tá contente
    Gente é gente, gato é gato
    Barata pode ser um barato total
    Tudo que você disser deve fazer bem
    Nada que você comer deve fazer mal

    Quando a gente tá contente
    Nem pensar que tá contente
    Nem pensar que tá contente a gente quer
    Nem pensar a gente quer
    A gente quer, a gente quer
    A gente quer é viver

    (Musiquinha fofa, cheia de lalalás)

    Comentário por Daniela — 20/02/2013 em 12:26 AM

  6. Rosana, ao ler o seu texto fui tomada por uma sensação tão boa! Pode parecer incomum, eu sei, mas senti felicidade por seu contentamento.
    Tenho andado convencida que a raíz do contentamento é a simplicidade e, como bem sabemos, ser simples não é tarefa das mais fáceis. Acho que é isto que você descobriu em si mesma. Acho que ser simples é o que você chama de caber-se, conter-se, contentar-se.
    Estou nesta busca, que eu também consiga chegar lá! Beijos

    Comentário por Regiane — 20/02/2013 em 1:06 PM

  7. Ah, voltei pra dizer que eu e muitos dos seus leitores esperamos ansiosamente pelo lançamento do seu livro de crônicas. Será que podemos contar com isto? Seria um maravilhoso presente para todos nós!! :D

    Comentário por Regiane — 20/02/2013 em 1:10 PM

  8. Simplesmente Excelente!

    Comentário por Carol — 21/02/2013 em 10:26 AM

Deixe um comentário

Quebras de linhas e parágrafos são automáticos, os endereços de email nunca são exibidos, HTML permitido: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Fechar esta janela.

0,316 Powered by WordPress