Rosana Hermann

14 de fevereiro de 2013 às 13h39

Gradiente, Apple e o iPhone. E o imbroglio todo.

O imbroglio Gradiente x Apple comentado no JRNews ontem à noite.
E a Apple não está proibida de vender o iPhone no Brasil, por enquanto, tudo bem. A menos que a Gradiente processe a Apple para que ela não venda. Por enquanto tudo bem.

6 Comentários

"Gradiente, Apple e o iPhone. E o imbroglio todo."

14 de February de 2013 às 13:39 - Postado por rosana

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Doug
    - 17/02/2013 - 9:45 AM

    A Gradiente entrou com pedido de registro da marca iphone em 2000, ou seja, 6 (seis) anos ANTES DA APPLE. A Gradiente aguardou a aprovação desse registro por 8 (oito) anos. Bem, a Apple em 2006, entrou com pedido, no INPI, SABENDO que existia um pedido da Gradiente. Em 2007, a Apple, nos USA, deu de cara a Cisco, que havia registrado o nome iphone. Veja, a Apple foi tão cara de pau que, tão logo a Cisco solicitou interrupção de vendas, a Apple entrou em acordo. Veja, isso foi em 2007. Em 2008, a Gradiente recebeu aqui o DIREITO DE USO da marca. Logo, a Apple sabia que DEVERIA TER PROCURADO A GRADIENTE E NEGOCIADO. Ela fez isso? Não. ARROGANTEMENTE, continuou vendendo, NUNCA PROCUROU A DONA DA MARCA - GRADIENTEN, NUNCA. Veja! a Gradiente, infelizmente, justo quando recebeu o direito, passou por momentos de instabilidade pesada, inclusive sendo prejudicada pela Suframa (instituição BRASILEIRA), e não pode utilizar seus recursos intangíveis, como é o caso da marca Iphone. Veja o que vou comentar, a Gradiente, NO PIOR MOMENTO DE SUA HISTÓRIA, NÃO PROCESSOU A APPLE PARA SE REERGUER. Vou repetir, NÃO PROCESSOU A APPLE. A Gradiente continuou sua labuta, buscou parceiros no mercado, executou seu plano de recuperação e no início de 2012 voltou ao mercado com SEUS PRÓPRIOS RECURSOS. Veja, nos anos de 2008, 2009, 2010, 2011, 2012 até hoje, a Apple vem comercializando o Iphone SABENDO QUE É DA GRADIENTE E NUNCA BUSCOU NEGOCIAR. A Apple agora fala em má-fé da Gradiente. Veja bem, a Apple? Sabendo durante todos esses anos que estava passando por cima de uma diretriz de Mercado (quem registra primeiro e atende às exigências é dona do direito) a Apple, simplesmente, DESRESPEITOU O MERCADO, OS CONSUMIDORES, E NOSSAS LEIS. E agora ela, com muita cara de pau, fale em MÁ-FÉ DA GRADIENTE. A Apple usou um nome que a ela NÃO PERCENTE POR 5 ANOS, NOVAMENTE 5 ANOS E FALA EM MÁ-FÉ DOS OUTROS? Vamos lá, em frente. Em documentos, que qualquer investidor pode consultar da Apple, no Board of Directors, cita que há princípios éticos - olha que contradição! A ética é da porta para dentro? " To satisfy its duties, directors are expected to take a proactive, focused approach to their position, and set standards to ensure that the Corporation is committed to business success through the maintenance of high standards of responsibility and ethics. Quer dizer que pode passar por cima das empresas brasileiras? das leis brasileiras? Desconsiderar nossas diretrizes é passar por cima de nós, sejamos ou não fãs dos produtos Apple (que são excelentes, claro), mas isso não autoriza a americana a fazer o que está fazendo. Ela tem todo o direito de recorrer à justiça. Outra coisa, a Gradiente lançou seu produto Iphone em 18 de dezembro de 2012, portanto, dentro do prazo de 5 anos. A Gradiente, então, buscar exercer seu direito. Incompreensível a postura de muitas pessoas em julgar que a Gradiente está sendo oportunista em defender o que SEMPRE FOI DELA. Mas é preciso perdoar essa "ignorância" pelo desconhecimento GERAL dos leitores. A Apple cita em seu Iphone "produto registro nos USA e em outros países", mas não diz "aqui no Brasil a gente usa sem licenciar e de graça". Veja, se você verificar, há softwares embarcados nos produtos, óbvio, e a Apple PAGA várias licenças de empresas estrangeiras, várias, mas aqui, opa, é Brasil, pagar para a Gradiente, para quê? Brasil, não é? Aqui a Apple usa uma marca por 5 anos, não procura a Dona e ainda tem brasileiros que defendem esse tipo de manobra. E Agora? A Gradiente deve ser uma empresa que abaixa a cabeça e diz "Oi, Apple fica com a marca que você usou por tanto tempo, eu não pude devido às condições da época, sei que nunca me procurou, mas tudo bem, a gente compreende, somos brasileiros, tudo gente boa"? Está de brincadeira? ÉTICA, APPLE? Como vocês me entram com um processo de CADUCIDADE depois de 5 anos USANDO ALGO QUE NUNCA PERTENCEU A VOCÊS? A Gradiente não usou, no pior momento da crise, buscando voltar ao mercado, um processo contra vocês para se reerguer, e agora, depois de lançar o site, inserir os produtos que iniciar sua reentrada, página no Facebook, já com 140 mil seguidores, e um processo limpo, vocês, Apple vêm falar em má-fé da Brasileira? Só pode ser piada. Bem, que os leitores reflitam um pouco. A Apple pagou para Cisco em 2007. Se quiser tanto a Marca, pague por ela. Se continuar nessa completa arrogância, pode se surpreender e a Gradiente não vender para vocês e tomar a decisão de vender para a Samsung. Aí o custo ficará maior do que o peso da Arrogância. A Gradiente é dona desde 2008. Parabéns para a Gradiente. Douglearner

    Responder
  • Daniel
    - 15/02/2013 - 10:57 AM

    Rosana a CCE não faliu. Eles têm tv, notebooks, etc...

    Responder
1 2 3
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com