Rosana Hermann
YouTube Doubler

Quase 40 milhões de views teve o primeiro vídeo, o 'original', digamos assim. Logo na abertura vemos que há uma descrição do figurino, calça jeans e camiseta preta. Senti que existia uma intenção em ter a mulher como figura, forma, sem levar em conta nada que a roupa pudesse trazer. Sem que a roupa intereferisse

O vídeo da direita foi uma adaptação da CBN. E eu achei que existe um 'bias'. A garota está com uma blusa de alcinha menos neutra, mais pra decotada. NAO ESTOU DIZENDO, PELOAMORDEZEUS, QUE USAR DECOTE BLA BLA BLA DA DIREITO A QUALQUER HOMEM DE BLA BLA BLA.NAO, por favor. Estou dizendo que a experiência original parece ter pensado num figurino 'neutro', enquanto o da experiência brasileira não teve o cuidado de reproduzir as mesmas circunstâncias. Só isso.
Em termos de assédio o resultado é similar.

TAlvez fosse o caso da MESMA modelo, com a MESMA roupa fazer a MESMA experiência em muitas capitais do mundo. Tipo o carinha que dançou o mundo todo 'Matt', só que testando o nivel de civilidade das ruas em diferentes cidade

E isso não é ciência exata, ok? Mas eu ACHO que o vídeo da CBN adicionou um elemento a mais. Fica mais difícil comparar as situações, experimentalmente falando. O que não JUSTIFICA A INVASAO.

NADA JUSTIFICA A INVASÃO. Nem de comentário, elogio, cantada, crítica, pergunta, spam. Se a gente não pediu, não tem que oferecer.

Eu não saio na rua para:

.ser julgada
.ser elogiada, criticada, assediada
.ser cantada
ou WHATEVER

Eu quero existir sem ter que pedir licença e sem ser incomodada por isso.
Eu quero interagir com pessoas, sim, mas não sexualmente.
Simples assim.

_______________

Do jeito como foi feito, não dá pra comparar.
E vc? O que acha?

O vídeo da esquerda:
Creator/Owner/Director: Rob Bliss Creative- A Viral Video Agency - http://robblisscreative.com/
Business/Media Contact: rob@robblisscreative.com

O vídeo da direita:
Repórter GAbriela Rangel da CBN

http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/pais/2014/12/23/ASSEDIO-NAS-RUAS-DE-SAO-PAULO.htm

Abaixo os videos ampliados

É só entrar no site Population.io , colocar sua data e local de nascimento, sexo no nascimento e ver.

Como eu sou meio velhota, o resultado é meio assustador:

 

86% das pessoas na Terra são mais jovens que eu!

 

86porcentonomundo 640x392 >=======>  Sou o ser humano número 6,236,689,308 no planeta . E você?

No Brasil 88% da população é mais jovem que eu!

 

88porcentomaisjovembrasil 640x367 >=======>  Sou o ser humano número 6,236,689,308 no planeta . E você?

 

 

De acordo com a expectativa de vida para mulheres brasileiras, viverei até os 85 anos e morrerei no dia 18 de julho de 2042. Ou seja, tenho mais 27 anos e meio para aproveitar.

 

Se você tem medo de falar de morte ou ver uma data (mas não deve ficar com medo, porque a expectativa de vida pro Brasil é alta!)  veja só  a primeira parte.

mas é legal!

 

  • 18 Jul2042

19 de dezembro de 2014 às 20h24

Como saber se ‘esta imagem é real?’

Estava a velha a tweetar e veio uma foto atrapalhar.

A foto era essa

Screen Shot 2014 12 19 at 20.01.41 640x428 Como saber se esta imagem é real?

 

Vi a foto mais de uma vez na minha TL. Eis que o @jornalismoWando fez a pergunta MASTER :

 

Gatilhada pela dúvida, fiz o seguinte para saber se 'esta imagem era real'. 1. Clicar com o botão direito do mouse para pegar o endereço da imagem Screen Shot 2014 12 19 at 20.06.16 640x489 Como saber se esta imagem é real? 2. Abrir o Google images , images.google.com, clicar na câmera para pesquisar por imagem Screen Shot 2014 12 19 at 20.08.25 640x298 Como saber se esta imagem é real? 3. Colar a URL da foto Screen Shot 2014 12 19 at 20.09.37 640x341 Como saber se esta imagem é real? no campo e pesquisar: 4. E pegar os resultados: Screen Shot 2014 12 19 at 20.11.23 640x561 Como saber se esta imagem é real? Clicar nos resultados e ver a foto original Screen Shot 2014 12 19 at 20.12.33 640x433 Como saber se esta imagem é real?

 

alguns dos links que publicaram esse foto original de Picos, no Piauí. .

http://www.portalsaibamais.com/novo/2014/10/ato-reune-apoiadores-de-aecio-neves-nas-ruas-de-picos/ .

GP1 - http://www.gp1.com.br/noticias/sociedade-civil-organizada-de-picos-promove-manifestacao-em-apoio-a-candidatura-de-aecio-360449.html

Então a foto era uma montagem. Bem feita. Ok. E qual o problema? O problema é que ao publicar uma imagem falsa sem ter fonte nem certeza, sem pesquisar, as pessoas acreditam e formam opinião e JUIZO sobre uma coisa errada. Por exemplo, um perfil EVIDENTEMENTE já acusou PAULISTANOS . Porque é, . Se está na Internet é verdade . Se é reacionário só pode ser 'coisa de paulistano', porque Paulistanos não têm limite. Nem a zoeira.

Screen Shot 2014 12 19 at 20.15.28 640x635 Como saber se esta imagem é real?

Além da pesquisa por imagem no Google tem também o velho e bom TinEye, pesquisa reversa de imagem. que nem sempre funciona. Enquanto isso na PAULISTA que fica no PIAUI, pessoas seguram uma faixa photoshopada É isso. 

Nesta 3a. feira, 16 de dezembro, o Boeing 777 do vôo 280 da American Airlines decolou do aeroporto de Incheon em Seul, capital da Coréia do Sul, com 240 passageiros e 15 tripulantes em direção a Dallas, nos Estados Unidos.

Ao atravessar o Oceano Pacífico,  o avião encontrou uma tempestade de grandes proporções, obrigando o Piloto a notificar os controladores do aeroporto de Narita em Tóquio, que estavam atravessando 'turbulências intensas".

Veja primeiro a simulação do que aconteceu, da Tomo News. Ajuste em Settings para Captions, Tradução e Português, se vc quiser)

 

Entre os passageiros estava o advogado  Marc Stanley, amigo do presidente Obama, que relatou os momentos vividos no Facebook e postou fotos.

turbulencia1 480x640 >====>   Vídeo MUITO impressionante de uma terrível turbulência num vôo Seul Dallas esta semana

turbulencia2 480x640 >====>   Vídeo MUITO impressionante de uma terrível turbulência num vôo Seul Dallas esta semana

No perfil do advogado tem mais fotos.

 

O mais impressionante é ESTE vídeo, registrado durante o pior da Turbulência, num vídeo vertical

 

Aqui, o melhor vídeo, registrado pelo passageiro John Mitchell, publicado no Washington Post

Alguns passageiros e tripulantes sofreram ferimentos e foram atendidos, mas nada fatal, felizmente.

Mas imagine o medo durante e o trauma depois.
Ler mais em:

.http://www.cmjornal.xl.pt/mundo/detalhe/amigo_de_obama_fotografa_voo_caotico.html
.Facebook de Mark Stanley - https://www.facebook.com/marc.r.stanley?fref=ts
.Tomo News - https://www.youtube.com/watch?v=eptmSOMa7_g

.Washington Post - http://www.washingtonpost.com/blogs/capital-weather-gang/wp/2014/12/17/heart-pounding-video-documents-american-airlines-flight-turbulence/?Post+generic=%3Ftid%3Dsm_twitter_washingtonpost

 

Posts Relacionados

17 de dezembro de 2014 às 08h53

>=====> TEORIA DO VÍDEO VERTICAL

21zVbCB >=====> TEORIA DO VÍDEO VERTICAL

 

Update - Os cineastas argentinos  Gonzalo Moiguer e Rodrigo Melendez fizeram um curta metragem..  NA VERTICAL


 

http://gizmodo.com/heres-a-trailer-for-a-vertical-movie-because-the-world-1668345952

Parece interessante. Eu já quero ter um monte de coisas!

O projeto estava no Kickstarter. Muito bom.

Dá pra fazer roupas, chinelos, tudo, com suas fotos.

EGOcTyo Vem ai o app SnapShirt, pra você vestir todas as fotos que você quiser

Se9JN29 Vem ai o app SnapShirt, pra você vestir todas as fotos que você quiser

Os olhos do mundo estão voltados para o sequestro de cerca de 40 pessoas, entre funcionários e frequentadores de um café no centro de Sydney, Australia. Olhos humanos e eletrônicos. A CNN traz informações ao vivo em edição extraordinária, TV de vários países cobrem tudo minuto a minuto, portais dão destaque de capa, incluindo o Brasil, já que uma das pessoas sequestradas é Brasileira. O sequestrador teria pedido uma bandeira do ISIS, em troca da liberação de reféns.

O nome do sequestrador seria - Sheikh Man Haron Monis

 

A cobertura jornalística acontece em todas as plataformas de mídia, como sempre acontece.

A novidade não vem dos jornalistas, mas da massa, do público, que quer ser parte da notícia de qualquer jeito.

A sociedade do espetáculo preconizada por Guy Debord em 67, mesmo ano em que Andy Warhol citou a famosa e a sempre citada frase (que, ao que tudo indica, não é de autoria dele ) "no futuro todos serão famosos por 15 minutos", resumem boa parte do nosso zeitgeist.

O fenômeno do Selfie, que transformar cada um em protagonista e o resto do planeta em cenário de cada autorretrato, tem invadido momentos antes considerados de 'respeito', como velórios, acidentes naturais, tragédias humanas em geral.

O funeral de Mandela, o enterro de Eduardo Campos, o velório do "Chaves", Nana Gouveia no furacão em Nova York, a musa do volume morto da Cantareira, são os primeiros exemplos dos Selfies oportunistas para estar no foco dos acontecimentos, uma nova moda ou patologia que podemos chamar de Selfie-xação ou melhor, Selficção.

Sim, a mistura de Selfie com Ficção, que descreve o desejo das pessoas que querem criar uma narrativa pessoal dentro de qualquer notícia que chama a atenção da sociedade, local ou mundial.

Selfie porque a pessoa se coloca em primeiro plano, na frente da notícia, que vira pano de fundo. E ficção porque ela, na verdade, não é parte do acontecimento, ela se insere de forma forçada, comparecendo ao local do funeral, da destruição, ao redor do sequestro, criando páginas na Internet.

É o que acontece agora no sequestro do Café Lindt em Sydney.

Populares tiram Selfies no local:

 

Screen Shot 2014 12 15 at 12.03.07 640x585 O sequestro no café em Sydney e o desejo de ser parte da notícia:  a Selficção

Screen Shot 2014 12 15 at 12.05.041 640x626 O sequestro no café em Sydney e o desejo de ser parte da notícia:  a Selficção

Veja, não são pessoas cobrindo a notícia, como repórteres-cidadãos, são populares que querem marcar presença no acontecimento, algo como 'eu estive lá', para ganhar pontos sociais com os amigos.

Quem não pode tirar selfie no café onde ocorre o sequestro, criam páginas tipo 'rezem por Márcia' no Facebook, pedindo orações pela brasileira que estaria entre os sequestrados. A intenção original é sempre boa, mas não é muito difícil imaginar que há um desejo de estar ligado ao acontecimento de qualquer forma, nem que seja pra dizer 'eu criei uma página pra ela', eu participei. A hashtag #PrayForSydney nos une, somos todos parte da notícia, é só postar.

Repare, que a imagem do header diz "Like & Share".

 O sequestro no café em Sydney e o desejo de ser parte da notícia:  a Selficção

É DIFERENTE de um abaixo-assinado, que pode mesmo mudar leis, porque é um documento. Não estamos falando de uma petição, mas de uma página de pedido de orações, que está no reino da subjetividade e da religiosidade, não do meio pragmático legal.

Todos torcemos pelo desfecho sem vítimas desse horrivel sequestro.

Mas com selfies no local, sorrisos em todos lugar, deslumbramento das pessoas que dão entrevistas na CNN, a primeira vítima fatal parece ser a de sempre: o bom senso.

Acompanhar as notícias, compartilhá-las, discutí-las, é muito legal.

O chato é quando o ser humano abandona o senso de realidade para viver na selficção.

ÂPhoto 15 12 14 11 39 35 AM 640x480 O sequestro no café em Sydney e o desejo de ser parte da notícia:  a Selficção

LEia mais - https://storify.com/mashable/sydney-siege

13 de dezembro de 2014 às 18h38

De onde surgem as grandes ideias no mundo de hoje?

Navegar pelas estrelas e pelas pessoas.

12 de dezembro de 2014 às 09h16

O narcisismo nosso de cada dia

Os anos 60 marcaram os Estados Unidos não só pelo movimento Hippie, Woodstock, sex-drugs-and-rock-and-roll, a revolução sexual por causa da pílula anticoncepcional, assassinato de Kennedy, de Martin Luther King e pela derrota na Guerra no Vietnã. Os anos 70 para os americanos chegaram com um certo pessimismo, falta de perspectiva e grandes mudanças sociais, como a construção da família.

De uma forma simplista,podemos dizer que as pessoas trocaram a ideia original de uma reprodutora pela de produtora. Assim, o projeto antes universal de constituir uma família para procriar abriu espaço para o conceito de indivíduo pronto para criar e recriar sua vida.

O novo projeto de realização individual levou o foco para o 'eu', ampliando desde todas as questões psicológicas, como o consumo, aliado na construção dessa identidade em busca do grande objetivo, a realização dos desejos de cada um.

A busca de cada 'eu' consumista, impulsionou a criação de uma sociedade narcisista, apoiada pela mídia e pelo capitalismo em busca de lucros. O resultado foi a sociedade do espetáculo, com seus excessos, a troca da qualidade pela quantidade, o conteúdo pela forma, a aparência sobre a essência.

Tudo isso foi teorizado e descrito por Cristoph Lasch no livro"A Cultura do Narcisismo, a vida americana na era da diminuição das expectativas".

Aqui, um breve destaque de um texto sobre o livro, com um destaque muito interessante e ainda moderno na nossa sociedade do Selfie.

U0Pwd4F O narcisismo nosso de cada dia

Lasch acertou. O narcisismo é uma tentativa de encontrar felicidade num mundo sem esperança, de esquecer o passado e o futuro e 'viver o momento', preenchendo o vazio com consumo.

A sociedade trocou o interesse social e político pelas questões centradas no ego e a realização dos desejos.

O exemplo mais extremo é o radicalismo. Apesar de um 'aparente' interesse pelo bem social e político, o radical busca a atenção para si, para sentir-se importante, para dar significado a sua vida, associando-se com outras pessoas que, por sua vez, buscam a validação pela aprovação dos líderes de seu grupo.

Fica fácil entender o movimento que acontece agora com o celular: estamos adaptando o mundo a nossa individualidade, trocando a mídia de massa pela massa de indivíduos com sua mídia pessoal, os celulares e demais gadgets móveis, sempre a nossa disposição.

Agora o mundo todo está em nossa mão.

2014. Why so seventies?

11 de dezembro de 2014 às 09h15

Livros que vão mudar sua vida

Life-Changing Books: Your Picks | Open Culture.

Eu adoro o site Open Culture. Adoro.
Aqui tem uma lista imensa de 'livros que podem mudar sua vida'. Sim, a lista é em inglês. Mas não custa nada pegar o título, o nome do autor, jogar no Google e ver a tradução do título para comprar o livro em português, por exemplo.

Afinal, são livros que podem mudar sua vida, você não vai perdê-los só por alguns cliques a mais.

<3