Rosana Hermann

28 de março de 2014 às 16h31

Bruna Marquezine: só dá ela

Veja como está a lista das notícias mais lidas no portal R7.com nesse momento, mais precisamente, veja quais são as duas mais lidas :

HwRmoXq Bruna Marquezine: só dá elaA número 02, 'Bruna Marquezine se desespera ao fazer exame' é um sinal dos novos tempos. Trata-se de um vídeo postado pela BFF da Bruna, Marcela Gomes (@maaa_gomes) no Instagram, uma das redes sociais mais amadas do mundo. Tão amada que muita gente mais jovem está deixando de usar o Twitter pra postar só no Insta. Marcela Gomes também é amiga de Neymar.

Além de ter namorado com o jogador, o que ajudou a alavancar o interesse dos veículos de comunicação, Bruna é linda, jovem, querida e tem muitos, muitos fãs. Só no Instagram ela tem praticamente dois milhões e meio de seguidores. Wow!

A9TpW05 Bruna Marquezine: só dá ela

Boa parte desse interesse deve ser masculino, porque quando você vai pesquisar os resultados de Bruna Marquezine no Google (mais de 6 milhões)  antes mesmo que você termine de digitar o nome o auto complete do site já dá opções nacionais e internacionais associadas a ela: nua e hot.

eSYc9wg Bruna Marquezine: só dá ela

Por tudo isso é fácil compreender que qualquer coisa sobre ela vire 'notícia mais lida'.

A 1a. mais lida tem uma pegada diferente, porque cai num binômio que extremo interesse, composto por vaidade-riqueza. A parte da vaidade fala de cabelo, talvez o assunto MAIS pesquisado por brasileiras. A mulher do nosso país ama cuidar de cabelos e unhas muito mais do que qualquer outra parte ou o todo do corpo. Pessoas que não fazem exercícios regularmente, nem por estética nem por saúde, pessoas que não dão importância para o peso ou a forma, que abriram mão de padrões corporais, ainda assim cuidam dos cabelos e das unhas com grande paixão.

Imagine quando o assunto cabelo vem da Marquezine! E ainda com esse apelo financeiro, que bate direto no quesito luta-de-classes e injustiça social: ela pagou 20 MIL reais pra ficar loira.   E se arrependeu depois.

2dCA1Ys Bruna Marquezine: só dá ela

 

E aí vem a pergunta: como é que pode um procedimento capilar custar 20 mil reais, que é o preço de muitos carros bons? (Duvida? Clique)

A explicação foi dada no jornal Extra. Além de clarear os próprios fios, Bruna fez um mega-hair para alongar e dar volume aos seus cabelos originais. O 'cabelo natural loiro virgem' veio do Sul do Brasil e custa 20 mil o quilo. Sério, gente, isso é a raça humana. Nós, humanos, valorizamos o cabelo 'loiro natural virgem' de tal forma que um quilo desse cabelo vale um automóvel.

Chocado? Chocada? Bom, não tem como reclamar com ninguém, a não ser nós mesmos.

Nem adianta ficar só culpando a mídia. Somos nós que nos interessamos, que consumimos, que clicamos, que queremos saber da vida dos famosos. Somos nós que ainda colocamos a ideia de 'pessoas de cabelo loiro e liso' como sendo aspiracionais e, assim, criamos essas aberrações mercadológicas que culminam com isso, 1kg de cabelo loiro virgem natural vale 27 salários mínimos.

Ler e analisar as preferências do público brasileiro, encarar pesquisas que mostram que o povo brasileiro ainda culpa a MULHER por ser estuprada ou assediada, achando que ela ~provocou com suas roupas atrevidas~ (ABSURDOOOO), que ainda acredita que ~homem é assim mesmo, tem desejo, não consegue se controlar~( que raiva desse conceito, viu), é difícil. Mas é tão necessário como encarar um diagnóstico ruim. É ruim, é grave, é uma doença terrível, mas é melhor saber e começar a tratar do que fingir que não está acontecendo nada e deixar a coisa pior.

Foi isso que fizemos durante muitos anos antes da Internet, empurramos todas as nossas mazelas pra debaixo do tapete. Agora, veio tudo a tona. O povo brasileiro, em média, é machista, preconceituoso, invejoso e fofoqueiro. Só nos resta tentar ao menos começar a mudar tudo isso.

 

 

27 de março de 2014 às 22h00

Odeio email, mas… fazer o quê?

27 de março de 2014 às 11h13

Sobre ontem a noite

Então, fui lá no JRNews com Heródoto Barbeiro. E devo ter falado bobagem porque o deputado Molon ligou pra mim, mas não consegui falar com ele.
Onde foi que eu errei, hein? Se bem que eu acho que sei.

No final da matéria tem um infográfico muito bom, que esclarece as possibilidades sobre o desaparecimento do avião, que reproduzo aqui.

20140318 Desaparecimento aviao Empresa que achou pista sobre rota do MH 370 usou tecnologia de ponta inédita

 

 

 

Empresa que achou pista sobre rota do MH-370 usou tecnologia de ponta inédita - Notícias - R7 Internacional.

aplicativo Na Real, vestido em 3D com estampa que dá batimento, cabelão em vias de crescimento e toda boa intenção do mundo.

:0

bit.ly/aplicativonareal

24 de março de 2014 às 10h57

Logo eu

Veja você.

Aqui estou eu interpretando os sonhos intensos que tenho tido nas últimas noites. Logo eu. Que acho ridículo quando as pessoas ficam contando sonhos publicamente. Logo eu, que não vejo sentido em conversinhas reais ou inventadas de gente que chega e diz 'sabe, sonhei com você', que me deixam numa situação de bizarro impasse entre responder 'muito obrigada por sonhar comigo, embora o sonho seja algo involuntário e não-intencional' ou 'parabéns, seu cérebro tem um incrível bom gosto para escalar o elenco das suas noites oníricas'.

Ok, alguém sonhar com você dá uma sensação de que você realmente existe no inconsciente dos outros, deve ser um alento para pessoas com insegurança emocional aguda que chegam a duvidar da própria existência no planeta.

Na verdade eu acho que os sonhos só têm importância para quem sonha. Se ela não conseguir interpretá-los ou tirar algum proveito a partir desse simbolismo, pode ser interessante ela procurar ajuda de um terapeuta Junguiano ou algo assim. Nunca disse que sonhos são inúteis, eu só não vejo o sentido de contar o sonho para todo mundo ou para os atores e personagens que sua cabeça botou lá, a menos que elas realmente consigam ler coisas interessantes na sua história. Mas, se for só pra chamar atenção, puxar conversa mole, sentir-se importante, começar um papinho amigo, aí contar o sonho é um porre. É sintoma de chatice, não um mapa do seu estado mental.

Meus dois sonhos estavam correlacionados, como se fossem capítulos do seriado 'O medo de enfrentar a vida'. No primeiro sonho eu estava viajando e ligavam da minha casa de forma desesperada avisando que não tinha sal.  Não tinha sal, portanto não era possível fazer comida, não tinha nada pra ninguém comer, eu não deixei dinheiro pra comprar sal, sal, não tinha sal.

E aí me veio: Roma antiga, soldados, soldo dos soldados pago com...sal. Salarium, era o nome do bauzinho que continha o raro e valioso sal. O medo de ficar sem sal é o medo de ficar sem salário, sem rendimento, sem dinheiro pra viver. Sem garantia, sem certeza. Sem sal e sem graça. Vida insossa.

E ontem, depois do medo de ficar sem salário, sonhei com uma cobra picando tudo e todos. Um cara, que no meu sonho era amigo de um parente falecido, aparecia na casa onde eu estava e trazia uma caixa. Dentro da caixa, uma cobra terrível. A cobra atacou todo mundo como uma louca. Quando tentou atacar meus cachorros, pulei em cima da cobra, catei-a pelo pescoço (onde fica mesmo o pescoço da cobra se ela é TODA pescoço?), impedi que ela picasse os bichinhos e dei um jeito de não deixar que ela alcançasse minha mão pra me picar. Quer dizer, eu domei a serpente.

Qual serpente? Óbvio, a serpente que expulsa a gente do paraíso. A serpente do Jardim do Éden. O Jardim onde fica a árvore do conhecimento cujo fruto funciona magicamente assim: uma vez tendo provado do fruto do conhecimento não dá pra continuar vivendo no paraíso da ilusão. A verdade se revela.

Quer dizer, de acordo com o scandisk da minha mente, eu sei que sei tudo o que sei e, embora eu saiba, eu tenho medo de ter que fazer mudanças na minha vida que me levem para um estado de não-paraíso-parado-e-estável, que pode colocar em risco todas as pessoas, parentes, filhos, funcionários, agregados, cachorros que dependem da minha estabilidade financeira.

Estou com medo de voar porque o chão é mais seguro. Exatamente o que sinto quando entro no avião.

Agora vou meditar sobre o fato de que cobra não tem asa e muito sal faz mal pra pressão.

Pela atenção obrigada, pela chateação, desculpa.

E falei sobre a ferramenta que o twitter colocou para vc ver o seu primeiro tweet.

Tá no blog do twitter, blog.twitter.com

E, sim, o vestido é do Ali Express e ficou curto na hora que eu sentei.

Ah, sim, tem faixa bônus.

E ainda...

8 anos do Twitter em vídeo, via @mashable

Posts Relacionados

O vídeo foi postado há alguns dias e mostra o deserto de Negev, em Israel. O 'riacho Zin' aparece com intervalo de alguns anos. Este ano várias pessoas gravaram em vídeo.
É impressionante ver um rio voltando ao deserto.

Leia mais aqui.

meubolofailwhale 21 de março de 2006, o dia em que o Twitter nasceu

 

Todo mundo sabe o quanto eu amo o Twitter, um dos serviços realmente mais revolucionários da Internet. (Estou exagerando? É o amor) E agora, dia 21 de março, esse menino completa 8 anos, 7 dos quais passei com ele.

Não vou elencar tudo o que o Twitter me proporcionou, vou apenas lembrar o que o Twitter proporcionou para todos nós. Notícias em primeira mão, amigos sem fronteiras, conversas e polêmicas, descobertas sobre nossos pensamentos, comportamentos e sentimentos. O Twitter permitiu contato direto com marcas, artistas, anônimos, tudo e todos. E, principalmente, ensinou a gente a ser mais  sintético e menos prolixo.

Por causa do pequeno tamanho de cada Tweet, inventamos linguagens, encolhemos palavras, criamos siglas.

E as #hashtags.

Ahhhh, as #hashtags!

A navegação toda da Internet já era tagueada, mas as HASHtags, que delícia.

E porque esse menino Twitter é pequeno, veloz e comunicativo ele virou o que é hoje.

O Twitter é assim, moderno, atlético, aberto, querido. Tudo o que a gente quer ( e pode) ser.

Go, Twitter.

Thanks for the journey so far.

Detesto clichês em geral. Odeio alguns em específico, como 'todo mundo tem uma criança dentro de si'. Tá, tem, beleza, mas dito assim fica piegas de uma forma que nem eu nem a criança dentro de mim aguentamos.

A criança que fui e ainda sou é inquiridora, tão inquiridora que agora mesmo ela está aqui me perguntando se é inquiridora ou inquisitiva que fala.

- Não sei, Rosaninha, depois você olha no Google, ok? Tia Rosana quer terminar o post.

:/ (Rosaninha=Graúna contrariada)

Sempre gostei de entender as coisas, compreender os processos, as leis do universo, sempre busquei explicações para o comportamento de todas as pessoas. Sei que nem tudo é questão de lógica, mas eis aí uma paixão antiga, a lógica e eu, eu e a lógica. Por isso gosto tanto de matemática, por isso fui estudar física, por isso me tornei jornalista, por isso escrevo, tweeto, sou chamada de chata muitas vezes. Sou aquela pessoa que se sente muito melhor no trânsito depois de saber a causa do congestionamento. Mesmo não saindo do lugar fisicamente, o fato de arquivar uma explicação lógica na cabeça me possibilita fazer planos, projetar o futuro. 'Foi acidente? Com vítima? Vai ter polícia, perícia, vão fechar a avenida e eu ainda vou ficar aqui umas duas horas. Então, vejamos, vou ler no Kindle'.

 

- Tia, você tá enrolando muito, fala logo.

- Tá bom, mas vai brincar que eu vou falar de um assunto que não é pra criança.

Tudo isso para dizer que eu realmente não estou conseguindo entender o que aconteceu com a estilista L'Wren Scott, que tinha um longo relacionamento com Mick Jagger. Ainda não é conclusivo que ela tenha se suicidado, o que é sempre muito, muito triste, mas tudo aponta para tal. Por mais que eu saiba, sinta, lamente e processe muitos sentimentos em relação ao doloroso fato no que diz respeito ao meu lado emocional, meu cérebro lógico continua tentando entender como ela teria se enforcada na maçaneta da porta com um lenço ou écharpe. Ela tinha mais de 1.90m de altura, as maçanetas ficam nas portas à altura das mãos, ou seja, eu não consigo compreender a geometria.

Tenho até medo de perguntar isso no twitter ou em qualquer outro lugar onde o texto é limitado e conciso, porque dá margem pra más interpretações e julgamentos igualmente rápidos e sumários, mas eu realmente não conseguia entender o que acontceu. Então fui procurar.

A maçaneta da porta era em formato de L. Segundo um policial, "era teria amarrado a écharpe à maçaneta e em seguida, ajoelhado, pressionando seu corpo pra frente até desmaiar. A partir daí a gravidade agiria." Este texto diz que o processo teria sido rápido e sem muita dor.

Para algumas pessoas só o fato de eu querer entender já é uma ofensa, um sacrilégio. Não acho. Acho natural querer entender tudo o que o ser humano faz, até as coisas mais dolorosas. Porque de tudo se tira um aprendizado, um alerta, alguma coisa que possa, talvez, impedir que mais sofrimento aconteça.

Isso explica o como. Mas tem sempre o por quê. 

Aqui diz que eles haviam terminado o relacionamento de 13 anos, mas alguns amigos desmentem. Dizem também  que ela tinha dívidas de mais de 6 milhões de dólares.

L'Wren não deixou bilhetes. Apenas ligou um pouco antes para sua assistente e pediu para que ela fosse a seu apartamento. Foi ela que encontrou L'Wren já sem vida.

Toda morte é triste. Toda morte prematura é mais triste ainda. Todo suicídio é um mistério trágico.

O que aprendemos é que nunca será possível compreender a complexidade da alma humana.

Como conversei outro dia com meu marido, a morte pode acontecer a qualquer momento. A morte é a realidade lógica. A vida, essa sim, é um milagre.

Que coisa linda é estar viva.

Celebremos, querido leitor, celebremos a vida.

 

 

 

 

 

 

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com