Rosana Hermann

11 de setembro de 2014 às 09h05

Esse novo vício de publicar a opinião

7 de setembro de 2014 às 16h22

Muito prazer, Vitruviana

No meio da tarde aconteceu esse diálogo na timeline do meu twitter:

E assim rolou a conversa sobre o polimatismo, essa arte de fazer muitas coisas, mas não ser especialista em nada. E aí eu conclui de forma pragmática o que eu sempre soube de forma intuitiva: sou uma versão feminina da figura do Jack-of-all-trades, o faz-tudo, desprezado momentaneamente pela atual moda da especialidade. Sou uma mulher renascentista.

Assim que disse isso para o Thiago, olhei para o meu dia.

Acordei bem cedo e sai de casa sorrateiramente para levar os cachorros para passear. Por que? Pra não acordar ninguém em casa. Aproveitei o passeio para testar um 'spy glass', aqueles óculos que têm uma câmera dentro da armação. (Minha ideia original era usar os óculos pra gravar enquanto uso as mãos para fazer pulseiras de Loom Bands, mas não rolou ainda).

-testando, 1,2,3,testando-

Depois de tomar café da manhã e limpar a mesa, fui correr no Minhocão (NoJokesAllowed). Foi uma má escolha de horário, estava MUITO quente.

Voltei da corrida, tomei um banho padrão FIFA a-minha-grande-mágoa-é-que-SãoPaulo-não-tem-água-e-eu-preciso-me-lavar e decidi fazer ravioli para o almoço. Isso mesmo, ravioli. Há algum tempo venho acalentando o sonho de fazer ravioli em casa, por causa de um ~vídeo que eu vi na internet~. Nas férias aproveitei um passeio gastronômico para comprar um template de ravioli e não tinha estreado o bichinho.

E assim assisti uns tutoriais, remixei tudo na cabeça e fui pra cozinha fazer do meu jeito. Farinha de trigo + farinha integral, ovos das minhas próprias galinhas caipIRas, sal, azeite e braço. Fiz a massa, deixei na geladeira e fui fazer o molho de tomate. A partir dos tomates, mesmo. Cozidos, pelados, picados, refogados, basilicados e tudo mais. Em seguida fiz o recheio À la Lavoisier, com cottage que tinha na geladeira, uns pedacinhos de moçarela (Ai, ortografia) de leite de búfala, manjericão e parmesão ralado. E então chegou a hora de estender a massa em máquina.

Resgatei o long-lost pau-de-macarrão e fui fazer musculação no mármore da pia.

Cara, fiz foça, viu. Mas abri a massa beeeeeeem fininha. Ok, ok, não era um papel manteiga, mas ficou boa. Aí montei os raviolis, estreei o template de metal, cozinhei, botei o molho, ralei parmesão, botei folhinhas de basilico, servi. E em algum ínterim fiz uma saladinha The Flash.

Aqui o resultado, devidamente fotografado com um telefone a putanesca.

E aqui, a documentação da confecção do mesmo. (Porque se a gente não prova com fotos ninguém acredita, ô povo!)


O Processo (#NotKafka)

Depois tirei a mesa, lavei toda a louça, limpei o chão da cozinha e encerrei as atividades das áreas úmidas da casa.

Agora vou passar o resto do domingo escrevendo roteiros na área sexa. E, em algum intervalo, vou fazer minhas loom bands.

Agora me diz, eu sou a versão feminina do Jack-of-all-trades, né? Rosana-pra-toda-obra, o joker, a carta curinga. Daí este blog, há 14 anos ser definido como 'especializado em generalidades'.

Assim sou.
Assim somos.
Múltiplos.
Renascentistas.
Muito bom.

A Internet é incrível, um mundo em permanente reconstrução. A forma mais fácil de perceber essa constante mutação é a nossa linguagem. Todos os dias a gente incorpora virais, memes e...clichês.

Com a ajuda dos amigos do Twitter,produzi uma lista e depois um texto juntando tudo.

Aqui vai o texto com alguns clichês recolhidos, em destaque:

"Pouca gente sabe, mas as redes sociais geram muitos novos clichês. Usar clichês, quem nunca?
Eu uso de vez em quando,
sou dessas.
Aliás,
pareço legal, mas escrevo MUITA merda. #prontofalei

Quer dizer, incoerencia, aqui me tens de regresso!
Dá vontade de dizer “bom senso, please come to Brazil!”
As ideia!
Outro dia uma pessoa na TV até condenou o uso informal da linguagem nas redes. Achei desnecessario. Vai ver o forninho caiu pra essa pessoa.
Em compensação AMOOOO quando alguém escreve algo como “faça mil favor”! Como não amar?

Clichê é normal, clichê é bacon e bacon é vida! #SQN

Só posso dizer, obrigada Internet!
Internet, sua linda! E ai alguém diz: Ai, Rosana Hermann, quanto clichê! Manda mais que  tá pouco!

Eita Giovanna!
Giovanna, melhor pessoa!
Uma garota que conheço tão pouco e já considero tanto!
#morri com tanto clichê
Pode isso, Arnaldo?
Acelera Meteoro! 

PS - Todo mundo gostou do post! lacrei! 

 

 

4 de setembro de 2014 às 09h14

Agora que somos neurônios

Agora que somos neurônios

Posts Relacionados

IYiPjnD Apresentadores AND apresentadores: minha visão do MasterChef

Ana Paula Padrão é uma ótima jornalista.
Ontem, como apresentadora do reality show Master Chef, ficou apagada. Concordo com a crítica de Mauricio Stycer.

Ana Paula Padrão é coadjuvante do divertido trio de jurados do “MasterChef” - Entretenimento - UOL Entretenimento.

Apresentar de fato um programa, conduzir um talk show, uma plateia, um game, é uma arte. Tem que ter o programa inteiro na cabeça, saber se relacionar com plateia e convidados e, principalmente, tem que saber a que veio, para onde está indo e o que pretende com tudo aquilo.

Como conversamos num debate no RIA da Fundação Telefônica, com praticantes de ativismo social, o importante é Ter A Visão Do TOdo, Visão de Mundo. Sem isso você é uma peça solta, perdida, que qualquer um encaixa onde quiser.

O formato privilegia os 3 jurados, a experiência do programa investe nos personagens que sempre form um elenco, cada um com suas historinhas que vão conquistar o público. E, como em todos os reality shows que afunilam um grande número de candidatos para uma quantia menor de participantes, tem que ter os 'engraçados', os 'agressivos', etc. Cada reality show tem uma bíblia que rege essa formação de um 'elenco' de participantes.

Ana Paula Padrão apareceu pouco na estreia. Me fez lembrar do Rafael Cortez quando estreou como apresentador de um reality show de talentos na Rede Record. Me fez lembrar também de Amanda Françozo fazendo as cabeças do reality show Troca de FAmilia. É só uma função. Receber o candidato aprovado ou eliminado, fazer uma cabeça, o chama-chama, como dizemos em TV. A pessoa não é dona do programa,não se coloca, não se expressa, faz só um papel pré-estabelecido.

Eu gosto da Ana Paula Padrão e sei que é só um episódio de estreia. Mas conhecendo reality shows, já posso dizer que prefiro Ana Paula fazendo documentários sobre mulheres oprimidas no Afeganistão do que abraçando eliminados que não sabem fazer nem um bom arroz.

Quando ao programa, adorei.

icon smile Apresentadores AND apresentadores: minha visão do MasterChef

Posts Relacionados

1 de setembro de 2014 às 13h21

The Fappening: sobre as fotos que vazaram

No último dia do infindável mês de agosto de 2014, incontáveis fotos de jovens americanas famosas  como Jennifer Lawrence, Avril Lavigne, Rihanna, 'vazaram na Internet', ao que tudo indica por causa de uma falha no aplicativo Find My iPhone. O hacker entrou nos arquivos dessas celebridades no iCloud, encontrou as fotos, tentou vendê-las em troca de Bitcoins, os arquivos foram todos publicados no Reddit e assim a coisa toda se deu.  Detalhes estão em todo lugar, mas se você quiser ler mais detalhes agora clique para ver a lista de mais de 100 famosas em mais de 400 videos e fotos vazados.   Leia mais aqui. 

DtyciWk The Fappening: sobre as fotos que vazaram

A primeira reação normal de qualquer ser humano é fazer perguntas como 'quem foi? já descobriram? e se fosse comigo? será que meus arquivos no iCloud estão seguros?' A resposta a gente já sabe. Não, nada é seguro, nada é inviolável e viver é muito perigoso.

A segunda reação comum é querer ver as fotos para saber como são, se são parecidas com a gente, se realmente são fotos íntimas, se as pessoas estão nuas. A maior parte de nós, na verdade, quer ver para poder dizer que viu quando alguém perguntar. É quase uma 'obrigação social' participar de tudo e saber de tudo. Ver fotos vazadas, assistir vídeos virais, participar de memes é praticamente a nossa 'nova boa educação'  que antes correspondia ao dar bom dia, boa tarde, boa noite e pedir licença. Hoje, na Internet ininterrupta, global e em diferentes fusos horários, bom dia-boa tarde-boa noite nem sentido faz e o negócio é 'estar por dentro de tudo o tempo todo'.

StPGgyX The Fappening: sobre as fotos que vazaram

Outro comentário muito comum, infelizmente, foi aquela coisa horrorosa de CULPAR A VITIMA. 'Ain, mas também, pra que tirar fotos nuas?'. Porque tem câmera, tem corpo, tem foto, tem espelho e nada pode ser mais natural para uma criatura do que ter curiosidade de se ver em fotos, nua inclusive. Não é da conta de ninguém, não é crime, não é errado, não é feio, não é 'digno de punição' ou de 'bem-feito' e quem acha o corpo nu algo 'sujo ou impróprio' poderia entrar agorinha numa máquina do tempo, voltar pra Idade média e não voltar nunca mais para o presente, obrigada. E o pior: até gente BACANA como Ricky Gervais culpou as vítimas. 

O que MAIS me chamou a atenção, no entanto, foi confirmar o óbvio: que uma parte significativa da Internet é movida por garotos punheteiros. Tanto é que o nome dado a esse vazamento no dia de ontem foi 'batizado' de  The Fappening 2014. 

jTH6Wc3 The Fappening: sobre as fotos que vazaram

Fappening é a mistura de palavras Happening com Fapping. E fap é um verbo onomatopeico em inglês para para masturbar-se. Quer dizer, aos olhos (e mãos) desses garotos (e homens adultos com mentalidade de 11 anos), não importam as garotas, suas vidas, o vazamento. Importa só ter material novo pra bater punheta. E isso na Internet, onde se tem acesso a todos os tipos de imagens e dispositivos e toys para qualquer fim sexual. Mas, aparentemente, mesmo tendo TUDO, o que é 'proibido' ou 'privado' ainda tem um efeito sobre mãos que raciocinam mais rápido que cérebros. Ou isso ou estou velha demais para entender a arte de se masturbar com memes novos e afins. Anyway, prazer que vem do sofrimento do outro tem nome e classificação:perversidade.

Vi e li coisas tão primárias e tontas que acabei acordando do meu mundo adulto onde pessoas devem se respeitar e cai na vala comum da garotada que curte jackass e quer que tudo se exploda, contanto que eles possam se masturbar em seus quartos. Aliás, muitos programas de TV, fechada e aberta, tem como pauta assumida dar conteúdo visual para punheteiros. Espero não estar chocando ninguém com esse Desafio do Balde de Realidade na sua cabeça.

Enfim, amiguinhos, o mundo tá desse jeito. Vamos trabalhar pra melhorar a segurança dos serviços na nuvem porque pra mudar a cabeça das pessoas vai demorar um pouquinho mais. Porque a grosseria, como a zuêra, não tem limite.  E a realidade é o que é. Pra transformá-la é preciso mais do que um post. Mas a conscientização é um primeiro passo.

Em frente.

shareasimage 2 The Fappening: sobre as fotos que vazaram

27 de agosto de 2014 às 19h56

5000 mil dias de blog

Os primeiros posts que publiquei usando a ferramenta blog já se perderam. O registro oficial que tenho como ~primeiro post~ é de 19 de dezembro de 2000. Usando o Day Between Dates para a data de hoje, cheguei ao resultado: 5 mil dias de blog

 

wiWJALr 5000 mil dias de blog

 

E o número de posts registrados nesse blog, do blogspot mais R7 e mais os que foram importados do UOL?

Mais de 23 mil posts.

CNni6Pm 5000 mil dias de blog

 

Faça a conta. 23.720 (esse post conta, né?) / 5000 dias = 4.74 posts por dia, ou seja, praticamente 5 posts por dia.

 

Sim, eu postava MUITO mais do que hoje. Mas há quase 14 anos a Internet, o Mundo, as Pessoas, TUDO era bem diferente. Não existia Twitter, YouTube, Facebook, Gmail, WhatsApp, Instagram, NADA DISSO!

O blog era a modernidade, o contato com as pessoas, nosso lugar na Internet. Era tudo.

O Querido Leitor é muito importante na minha vida, por tudo o que já me proporcionou, pelas pessoas que me trouxe.

Só pra contar rapidamente, um dia eu contratei um leitor para fazer um levantamento das coisas que eu tinha postado. Ele trabalho um ano. E o resultado da coleta SÓ DE TEXTOS - 8.941 paginas MIL PAGINAS EM PDF. Só de TEXTO

Isso sem contar ANOS de posts mais recentes.

Por isso, quero agradecer a tudo e a todos por este marco de 5 mil dias ou 13 anos 8 meses e 9 dias.

São MILHARES de crônicas.

Fazer um livro? Daria uma coleção de livros. Sério.

Se alguém quiser pegar o arquivo pra selecionar tudo e fazer um livro de 15 anos de blog no ano que vem, eu topo!

Obrigada, querido leitor.

De coração.

 

PS - Aqui o ~site~farofa em janeiro de 2000, há mais de 14 anos.

https://web.archive.org/web/20000408041137/http://www.farofa.com.br/

 

 

Não, não é mesmo, Geisy. Toda razão.
Não é crime querer ser famoso.

Mas acho importante lembrar que também não é vergonha nenhuma ser anônimo.

Só acho que essa crença quase dogmática de que o único caminho da felicidade plena é a fama é, não apenas errado, mas perigoso.

Porque em busca de sonhos muitas vezes impossíveis (porque 7 bilhões de pessoas não serão famosas ao mesmo tempo) muitas pessoas fazem mal a si e as outros.

Bom dia, anônimos e famosos do meu Brasil.

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com