Rosana Hermann

5 de abril de 2005 às 10h49

Oprah Winfrey

Ela é mesmo ótima. Não deixa convidado puxar saco, fazer média, ou agir com hipocrisia. Vi a Gwyneth Paltrol fazendo uma receita horrorosa, um filé de peixe sem sal, coberto por uma massa de missô batida com saquê e colocado no microondas. Na volta, Oprah, com elegância disse que adorava Gwyneth, que era eternamente grata por sua gentil presença no programa mas que, certamente, peixe sem sal com missô não era seu prato preferido. E que, talvez, ela até provasse a iguaria, se Jude Law estivesse na cozinha fazendo a receita.

Depois, foi a vez de Celine Dion. A cantora chegou dizendo que 'não era justo que artistas ricas como elas tivessem tanta sorte na vida e que ela gostaria de trocar de papel com as mulheres simples que batalham, pegam ônibus e dão duro'. E Oprah respondeu :'oh, no...no you wouldn't!!!'. Celine insistiu que gostaria de trocar de lugar com uma mulher pobre. E a Oprah: "eu já fui pobre, querida..passei muita fome, as piores coisas e,a credite, é melhor ser como a gente é hoje...muito melhor!' E a última insistência de Celine: 'Eu queria trocar porque eu nunca vivi privações...' E La Winfrey: 'baby, acredite, você não ía gostar...'

Mil pontos para Oprah. Só os idiotas aplaudem os mentirosos.

Posts Relacionados

5 de abril de 2005 às 10h17

Comunicação

Há mais de cinquenta anos a gente assiste televisão passivamente, bunda na almofada e ouvidos abertos. Do preto e branco à transmissão em cores, do indiozinho da tupi ao menininho dos cobertores Parahyba que avisava a hora de dormir. Há algumas décadas tivemos o privilégio de competir com a programação com o controle remoto na mão, mudando os programas de acordo com nossa vontade e não pela vontade da emissora. Depois, vieram as TVs a cabo, oferecendo alternativas para quem puder pagar. Lindo.

Porém, até a era da Internet, as únicas formas que tínhamos de sermos ouvidos eram:

- gritar com a TV, dar boa noite para os âncoras ao fim do telejornal e responder às perguntas dos games do Silvio Santos na sala, mesmo sabendo que parecíamos idiotas falando sozinhos.
- escrever uma cartinha para a emissora que, não importando o assunto, queixa ou sugestão, ía parar nas montanhas de cartas que fazem figuração para fundo de sorteio.
- telefonar para a empresa e ouvir o som de ocupado.

Mas aí veio a Internet e.... (e continua amanhã, quarta-feira, no Blônicas. Sacanagem? Não. Marketing? Hum...um pouco, mas não intencional. Eu não sei o resto também, ainda não escrevi. Era um post mesmo. Mas bastou eu publicar um texto um pouco maior aqui e já veio bronca de leitor dizendo que era muito grande e deveria estar lá no Blônicas. Então, começou aqui e continua lá amanhã. Me ajude a lembrar disso, ok?)

Posts Relacionados

5 de abril de 2005 às 08h45

Chavões

O blog Ofício dos Chavões é um filhote do Homem-Chavão ou é parente do Hugo Chavez? Aqui, linkado, os 'sumos chavões' já previstos sobre a morte do papa. Incluindo a III frase 'o papa é pó' que, coincidentemente, é o tagline de hoje da Dani Abade no MSN.

5 de abril de 2005 às 08h40

Speedy UOL

Vou perguntar o nome dele, assim que a musiquinha glim-glim-glim da espera terminar. O atendente do Speedy UOL que está falando comigo é eficiente, gentil, atencioso, coisa rara. Nem sei se vai resolver o problema, mas fiquei muito feliz com a grata surpresa.

É Fernando.

5 de abril de 2005 às 08h27

Maradona

Acabei de ouvir no rádio que o Maradona disse que seu agente o roubou e que ele está na ruína, sem um peso. Ué, mas não era isso que ele queira? Perder peso?

(neste momento o dono da casa estica uma bengala, engancha-a na autora e, puxando-a retira-a do palco)

Posts Relacionados

5 de abril de 2005 às 08h24

Suspende o sashimi

Como? Surto de doença em SP por contaminação de parasita em salmão cru no sushi e sashimi?

Suspende o almoçono japonês e salta uma banana nanica!

Vou fazer greve de djéps. Até que alguém mexa os seus pauzinhos.

5 de abril de 2005 às 07h10

Jornal

Acabei de ler o Estadão. No texto do Arnaldo Jabor, ele diz que quando o Papa João Paulo II entrou, ele, Jabor, 'era jovem e implicava com tudo'. Bom, acho que a única coisa que mudou é que agora ele não é mais jovem porque continua implicando com tudo. A gente é o que a gente é. Na melhor das hipóteses, piora. Como aconteceu com o Quiroga. Eu gostava dos textos filosóficos e delirantes deste interessante astrólogo argentino. Não sei se ele casou, mudou, ou o quê, mas virou uma tia chata dando bronca na turminha da sala de aula, composta de doze signos. Isso, quando ele não roga praga. Tenho a sensação de que vai sair um dedo em riste na minha cara dizendo 'bem feito, quem mandou? agora agüenta!'.

Vou abolir os implicantes da minha leitura matinal.

Posts Relacionados

5 de abril de 2005 às 06h33

Intelig. Ligue.

Assunto Ruth Lemos, a simpática nutricionista-ista, Rainha da Internet Brasileira. Ontem, estava na dúvida se ela tinha sido contratada pela Giovanni FCB para fazer campanha do jornal O Globo ou da Intelig. Pois hoje, está no Globo: é Intelig.

O Free deu o toque nos comentários e indicou a coluna do Ancelmo Gois, que sabe sempre de tudo antes.

Faz sentido. Se você quiser dizer "Saia da rotina com Intelig: ligue" vai lembrar da D. Ruth.

Iche!

5 de abril de 2005 às 06h10

Paraíso dos fungos

E aí você acorda e vê que tem um pontinho verde na fatia de pão integral .E não era a ervilha de castigo das piadinhas de criança, que veste jeans e chora no cantinho, mas uma comunidade de fungos, que surgiu no pão, entre as viagens da mesa pra geladeira e da geladeira pra mesa, nesse calor infernal.

Ainda bem que o pãozinho quente da padaria já estava de plantão.

4 de abril de 2005 às 22h33

Sob nova direção

Adorei o figurino das meninas. Lindos vestidos. No break, vi um comercial do prêmio profissionais do ano com meu amigo Blota. Fiquei feliz por ele.