Rosana Hermann

5 de dezembro de 2012 às 17h26

Um trocadilho não é uma ideia

Um trocadilho é só uma brincadeira de sons e sentidos.  Pode ser velho , muito velho, inédito, moderninho,infame, tanto faz. Um trocadilho é somente um trocadilho, uma brincadeira com palavras que vem e passa. Por mais elaborado que seja o trocadilho não é uma ideia. Quando as pessoas confundem trocadilhos com ideias e querem forçar a existência de uma ideia a partir de um trocadilho quase nunca dá certo.

Porque uma ideia, de verdade, é como uma entidade que quer existir e busca pessoas para ser materializada. Uma ideia existe para resolver um problema. Uma ideia é o sopro de um pequeno gênio que procura o artista, a inspiração de uma musa que o coloca num patamar criativo.

O trocadilho é um joguinho de inversão de sílabas, de rimas, de duplo sentido, de palavras homônimas homófonas. Veja uma lista de trocadilhos aqui.

Há várias classificações para o trocadilho, na verdade. Vale a leitura aqui. . O trocadilho tem até um nome mais pomposo, paranomásia.

Mas é só isso, uma coisa que nasce e fica no âmbito das palavras e seus significados. Não é a partir daí que se cria, se materializa uma ideia.

Cito aqui dois exemplos de ideias que começaram com trocadilhos e que não deram certo:

Casa dos Autistas e African Idol.

O primeiro foi um programa na MTV que acabou em processo e pedido de desculpas. Trocaram uma letra de Casa dos Artistas para Casa dos Autistas e, a partir do trocadilho sonoro tentaram fazer um programa que, bem não deu muito resultado positivo.

Outro exemplo é African Idol, um claro trocadilho com 'American Idol' para a agência Africa. Para fazer o formato caber no trocadilho, criaram um show de calouros para estagiários da agência. A reação nas redes sociais foi tão ruim que o projeto foi cancelado, com a explicação de que foi ~suspenso~.

Existem exemplos de trocadilhos que geraram ideias, acredito eu, mas é a exceção. A ideia é diferente. Ela precisa ficar em pé, ter consistência, atender a uma série de pré-requisitos e gerar novidades e soluções. Em geral, quando a gente não conhece um processo, acaba achando que tudo é muito fácil. Tem muita gente que pensa que fazer propaganda é fácil, é só bolar um trocadilho e fazer um slogan. Nâo têm ideia de tudo o que tem por trás.

Criar exige pesquisa, compreensão, visão, estudo. Existe, sim, um momento de eureka!, de insight, de epifania, que só vem com muito esforço e trabalho. É como se depois de absorver uma avalanche de informação você esquecesse tudo. Depois, só o essencial fica e é a partir daí que as ideias começam a aparecer.

Eu sei que o humor que faz sucesso com muita gente é diferente. Muitas vezes o humor que dá certo na TV, na Internet é aquele que representa o que o povo quer, mesmo sem ser original. Existe um humor que funciona que é a associação óbvia, a primeira que vem à cabeça. Mas normalmente, você deve jogar fora as primeiras doze, quinze ideias e associações óbvias que vêm à cabeça, pra que depois comecem a surgir as coisas que realmente interessam.

Cada um tem seu processo e eu não sou dona da verdade.
Só sei que forçar uma ideia completa a partir de um trocadilho é como tentar encaixar uma tampa quadrada num pote redondo.

2 Comentários

"Um trocadilho não é uma ideia"

5 de December de 2012 às 17:26 - Postado por rosana

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Rodrigo
    - 05/12/2012 - 9:48 PM

    Vale a pena lembrar que em inglês chama-se 'wordplay' e em alemão 'Wortspiele'. Ou seja, não é uma idéia, mas uma brincadeira mesmo.

    Responder
  • Cláudio Rúbio
    - 05/12/2012 - 6:56 PM

    o trocadilho que mais me vem à cabeça, nos últimos tempos, é "fez-se bruxa" (facebruxa), para fotos que estragam a imagem da pessoa fotografada publicadas no facebook. e é muito bom que não vire uma ideia, senão, seria torturante demais. beijos!

    Responder
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com