Réu confesso, o jornalista Antonio Pimenta Neves assassinou com um tiro na nuca e outro nas costas a ex-namorada Sandra Gomide, também jornalista, em agosto de 2000, num haras em Ibiúna.

Condenado a 19 anos de prisão em 2006, está em liberdade até hoje, graças a um habeas corpus, enquanto aguarda a decisão definitiva da Justiça.

Agora, oito anos após a morte de Sandra, Pimenta foi condenado a pagar uma indenização no valor de R$ 166 mil aos pais da sua ex-namorada a título de danos morais e materiais.

Mas nada garante que vá pagar o que a Justiça determinou. Como sabemos, sempre cabe mais um recurso quando o réu tem bons e bem remunerados advogados.

"O cidadão brasileiro é tratado de forma falsa neste país. As pessoas falam que todos têm direitos iguais, mas isso é mentira. A Justiça existe somente para uma minoria que tem poder. Minha irmã está morta e o criminoso, mesmo confessando a autoria do crime, está em liberdade, advogando tranquilamente, enquanto amargamos a dor da perda", desabafou Nilton Gomide, irmão de Sandra, para a repórter Cristina Christiano, do "Diário de S. Paulo".

O pai de Sandra, João Florentino Gomide, está internado com grave doença no intestino, mas a cirurgia foi adiada porque também tem problemas no coração.

A mãe, Leonilda Florentino, sofre de transtornos bipolares e outros problemas físicos desde a morte de Sandra.

"Ela perdeu a vontade de viver e já não pode mais nem andar", contou Nilton à repórter. Um dia, quem sabe, João e Leonilda serão indenizados.  

http://r7.com/QR2m