Na velha redação do Estadão da rua Major Quedinho, no centro da cidade, final dos anos 1960, dona Beth era uma figura muito falada. Mal falada, diga-se logo, para começo de conversa. Seus dois filhos trabalhavam lá, na editoria de esportes,... Continue lendo