Bem que a presidente Dilma chamou Pelé para tentar dar um jeito na zona em que se transformou a organização da Copa de 2014 no Brasil, mas as raposas já haviam tomado conta do galinheiro.

Tenho lá minhas dúvidas se Pelé terá condições de cumprir a missão que lhe foi confiada para ser o olheiro do governo e tomar conta de Ricardo Teixeira, o dono da CBF. Afinal, o ex-atleta e o ex-dirigente são, há muito tempo, acima de tudo, homens de negócios.

Como tal, seus interesses comerciais serão sempre mais importantes do que os interesses do nosso futebol ou do país. Pelé, como sabemos, nunca foi um craque na política, e fico me perguntando: o que ele pode fazer num ambiente já dominado, além de Teixeira, por Joana Havelange, diretora-executiva do COL (Comitê Organizador Local), dirigentes da Fifa, Eike "Eu posso Tudo" Batista, Rede Globo, o ministro Orlando Silva, grandes empreiteiras alimentadas por tesouros federais, estaduais e municipais, e por aí vai?

As espantosas notícias publicadas esta semana sobre a grande festa do caqui que está sendo montada no Rio, para abrigar neste sábado o tal "Sorteio Preliminar da Copa de 2014", são uma pequena amostra da orgia com dinheiro público que nos aguarda nos próximos três anos.

É um verdadeiro deboche, meus amigos. Estão tirando uma onda com a nossa cara. A Fifa mandou para o Brasil R$ 856 milhões para "ajudar nas despesas" da organização do Mundial. Pois, acreditem, já no primeiro evento, quem vai pagar tudo somos nós, cidadãos contribuintes, uma brincadeira de R$ 30 milhões.

Sim, é o que nos explica candidamente a executiva Joana Havelange:

"Contratamos a Geo Eventos (empresa da Globo, que beleza!...), que foi atrás de patrocinadores e conseguiu Prefeitura e Estado".

Ou seja, quem ficou com a conta foi o contribuinte carioca. O espetáculo todo, com imagens geradas pela própria Globo para 200 países, deve durar cerca de duas horas, mas o aeroporto de Santos Dumont ficará interditado por quatro horas para o barulho dos aviões não interferir na pureza do som. Os passageiros que se danem. Quem quiser viajar pode ir para o Galeão.

Joana já garantiu que vai fazer tudo o que a dona Fifa mandar, como ela explicou à Folha:

"A Fifa fez os requerimentos em relação ao tamanho do palco e outras especificações. O orçamento foi feito com base nestes requerimentos".

Entenderam? O dinheiro é nosso, mas quem dá as ordens é a Fifa. E a grana da Fifa ficou com quem?

Não é coisa para pobre. Para vocês terem uma idéia, está sendo montado um salão com 18 metros de altura e  7.600 metros quadrados de área coberta na Marina da Glória, um reduto de Eike Batista que será mostrado para o mundo todo, entre outras benfeitorias. Não foi divulgado o valor que ele receberá pelo aluguel da área.

Para enfeitar o palco, está sendo instalado um painel de luzes de LED de 225 metros quadrados, com as cores da bandeira brasileira. Nos intervalos do sorteio, vai ter show de Ivete Sangalo e Ivan Lins, entre outros.

Ali Pelé fará sua estreia como "embaixador honorário do Brasil na Copa 2014", título que recebeu esta semana da presidente Dilma Rousseff para irritar Ricardo Teixeira, que sempre viveu às turras com o maior ídolo da história do futebol brasileiro.

Em qual dos dois o caro leitor aposta suas fichas?

Da minha parte, temo que Pelé vá levar um baile neste jogo do poder em que Ricardo Teixeira sabe tudo, nada de braçada e não tem limites.

Em tempo:

para não ficar de fora deste circo de absurdos e da farra com o dinheiro público, a Prefeitura de São Paulo mantém em Londres, já há há alguns meses, como "secretário especial" de Gilberto Kassab, nomeado para ser "observador junto aos organizadores da Olimpíada de Londres-2012", o ex-vereador e ex-deputado federal tucano Walter Feldman.

O fato ficou meio esquecido na chamada grande imprensa, só preocupada com a Copa do Mundo de 2014. O que anda fazendo Feldman de tão importante, às nossas generosas custas, já que não deve sair barato manter um homem destes em Londres?

Há algo de estranho nesta missão do ex-vereador, em fase de transição (favor não confundir...) do PSDB para o PSD que está sendo criado por Kassab.

Se a Olimpiada de 2016 está marcada para a bela e gloriosa cidade do Rio de Janeiro, o que faz lá um "secretário especial" da prefeitura paulistana?

Veja mais:
+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

http://r7.com/VXpj