Com as vitórias do Flamengo (2 a 1 no São Paulo) e do Fluminense (3 a 2 no Santos), os quatro grandes do futebol carioca agora estão entre os seis primeiros colocados no Brasileirão.

Ao final da 27ª rodada, o campeonato se resume a um Torneio Rio-São Paulo na disputa pelo título. Há muitos anos não víamos uma supremacia tão clara do futebol carioca sobre o paulista.

Vamos aos números: os cariocas venceram 13 partidas contra os paulistas, perderam seis e tivemos quatro empates. Na soma dos pontos ganhos, os quatro times do Rio chegaram a 183 contra 94 dos dois times de São Paulo, ou seja, têm quase o dobro.

A grande festa do domingo estava preparada para ser no Morumbi na reestreia de Luis Fabiano, com todos os 63 mil ingressos vendidos, mas o São Paulo de Adilson Batista mais uma vez se apequenou diante de sua torcida, e o Flamengo de Luxemburgo fez de Rogério Ceni, com defesas espetaculares, o melhor jogador em campo.

Em São Januário, o Corinthians de Tite, sem Liedson e Emerson, foi valente ao buscar o resultado (2 a 2), depois de ficar duas vezes atrás no placar, fez a melhor partida do segundo turno e mostrou que ainda está vivo na luta pela liderança, que já foi sua na maior parte do campeonato.

A liderança do Vasco serve também para demonstrar qual a importância de um técnico de futebol. Com Ricardo Gomes fora de combate há mais de um mês, após sofrer um AVC, o Vasco, que já foi campeão da Copa do Brasil, segue no trilho sob o comando do auxiliar Cristovão Borges.

Técnico bom é o que monta a equipe com um padrão de jogo definido antes de começar o campeonato, depois vai fazendo alguns ajustes e escala a cada partida o que tem de melhor no elenco. Assim não precisa passar o jogo inteiro pulando e gritando à beira do gramado, xingando o juiz e os erros do seu time, como se fosse um torcedor de time de várzea.

O Fluminense de Abel Braga entrou na disputa pelo título ao derrotar no sábado o Santos de Muricy, que jogou a toalha e vai ficar só cumprindo tabela enquanto não chega a decisão do Mundial de Clubes no Japão. O Botafogo de Caio Júnior perdeu para o Atlético-GO, mas manteve a quarta colocação. O Flamengo é o quinto, em seguida vem o Fluminense.

Não falei nada do Palmeiras? Pois é, falar o que? O time de Felipão conseguiu empatar (1 a 1) com o lanterna América-MG, jogando em São Paulo no sábado. Não tem time nem para tentar uma vaga na Libertadores.

A boa notícia da rodada para os paulistas foi a volta de Luis Fabiano, que jogou 60 minutos sem sentir dor e saiu aplaudidíssimo de campo. As vaias novamente foram para o técnico Adilson Batista, que não entendeu nada até agora.

"Precisei agir com a razão. Entendo a importância do atleta, o jogo era para ele, mas tenho que pensar no coletivo e no que era melhor para o São Paulo no momento".

Não diga! Até os refletores do Morumbi sabiam que Luis Fabiano, depois de sete meses sem entrar em campo, não tinha condições de jogar os 90 minuots e seria substituído no começo do segundo tempo. O problema não foi a saída dele, que já era esperada por todos, mas quem o técnico colocou no seu lugar: Carlinhos Paraíba.

Sim, ele tirou o artilheiro, o homem enfiado na área que o São Paulo tanto esperava, para substituí-lo por um ciscador de rabo de cavalo, que ninguém sabe até hoje em que posição joga.  O grande estratregista Adilson Batista atribuiu as vaias à saída de Fabiano, e não à entrada do seu jogador predileto, que ainda entregaria o gol da vitória de graça  para o Flamengo.

Mesmo assim, apesar da sua diretoria com prazo de validade vencido e presidente contestado pela Justiça, comandado por um técnico sem noção que a torcida não aceita mais, o São Paulo continua em terceiro lugar no mais embolado Brasileirão dos últimos anos.

Apenas seis pontos separam o líder Vasco do sexto colocado, que agora é o Fluminense. Não há favorito. Dos seis primeiros, qualquer um pode ser campeão. Até o São Paulo de Juvenal Juvêncio e Adilson Batista, agora com Luis Fabiano.

Qual é o palpite do caro leitor? O que vai dar neste Brasileirão? No fim, quem vai levar o título: paulistas ou cariocas?

Em tempo, às 14h11:

O leitor Thyago TYP me corrige: ao contrário do que escrevi acima, o Fluminense subiu para quinto e o Flamengo é o sexto colocado do Brasileirão.

http://r7.com/kxaQ